Corinthians – Futebol em Números http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br Aqui você que vê o futebol de uma maneira diferente. Números, estatísticas, dados, curiosidades, listas, recordes, traduzidos de maneira fácil para entender ainda melhor a história do futebol e o que rola dentro do campo. Mon, 25 Sep 2017 07:00:48 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 O caminho das equipes na reta final do Brasileirão http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/25/o-caminho-das-equipes-na-reta-final-do-brasileirao/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/25/o-caminho-das-equipes-na-reta-final-do-brasileirao/#comments Mon, 25 Sep 2017 07:00:48 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1914 O Campeonato Brasileiro completou praticamente 2/3 de seus 380 jogos nesse final de semana após as nove partidas da 25ª rodada (Sport x Vasco jogam amanhã). Restando agora 13 rodadas (1/3 da disputa), a competição deverá ter uma disputa intensa contra o rebaixamento. No G6, bloco dos classificados para a Libertadores, a disputa parece definida, ainda mais que um deles já estará garantido pelo título da Copa do Brasil (Cruzeiro e Flamengo).

Um fator importante nessas rodadas finais é o mando de campo. Dez equipes terão pela frente sete partidas em casa e seis fora. Outros dez, o inverso (seis como mandante e sete como visitante).

6 jogos em casa e 7 fora nas últimas 13 rodadas:
Corinthians (1º), Santos (2º), Flamengo (7º), Chapecoense (9º), Atlético-MG (11º), Fluminense (12º), Sport (15º), Vitória (16º), Coritiba (19º) e Atlético-GO (20º)

7 jogos em casa e 6 fora nas últimas 13 rodadas:
Grêmio (3º), Palmeiras (4º), Cruzeiro (5º), Botafogo (6º), Atlético-PR (8º), Vasco (10º), Bahia (13º), Avaí (14º), São Paulo (17º) e Ponte Preta (18º)

Abaixo, o caminho de cada equipe até a 38ª rodada e os confrontos contra equipes que estão no G6 (em azul) e no Z4 (em vermelho):

1º Corinthians
Cruzeiro (f), Coritiba (c), Bahia (f), Grêmio (c), Botafogo (f), Ponte Preta (f), Palmeiras (c), Atlético-PR (f), Avaí (c), Fluminense (c), Flamengo (f), Atlético-MG (c) e Sport (f)

2º Santos
Palmeiras (f), Ponte Preta (f), Vitória (c), Sport (f), Atlético-GO (c), São Paulo (f), Atlético-MG (c), Vasco (c), Chapecoense (f), Bahia (f), Grêmio (c), Flamengo (f) e Avaí (c)

3º Grêmio
Fluminense (c), Cruzeiro (c), Coritiba (f), Corinthians (f), Palmeiras (c), Avaí (f), Flamengo (c), Ponte Preta (f), Vitória (c), São Paulo (c), Santos (c), Atlético-GO (c) e Atlético-MG (f)

4º Palmeiras
Santos (c), Bahia (c), Atlético-GO (f), Ponte Preta (c), Grêmio (f), Cruzeiro (c), Corinthians (f), Vitória (f), Flamengo (c), Sport (c), Avaí (f), Botafogo (c) e Atlético-PR (f)

5º Cruzeiro
Corinthians (c), Grêmio (f), Ponte Preta (c), Coritiba (f), Atlético-MG (c), Palmeiras (f), Atlético-PR (c), Flamengo (f), Fluminense (c), Avaí (c), Vitória (f), Vasco (c) e Botafogo (f)

6º Botafogo
Vitória (c), Chapecoense (c), Vasco (f), Avaí (f), Corinthians (c), Atlético-MG (f), Fluminense (c), Sport (f), Atlético-PR (c), Atlético-GO (c), São Paulo (f), Palmeiras (f) e Cruzeiro (c)

7º Flamengo
Ponte Preta (f), Fluminense (c), Chapecoense (f), Bahia (c), São Paulo (f), Vasco (c), Grêmio (f), Cruzeiro (c), Palmeiras (f), Coritiba (f), Corinthians (c), Santos (c) e Vitória (f)

8º Atlético-PR
Atlético-MG (c), Atlético-GO (c), São Paulo (f), Vitória (f), Sport (c), Chapecoense (c), Cruzeiro (f), Corinthians (c), Botafogo (f), Ponte Preta (f), Vasco (c), Avaí (f) e Palmeiras (c)

9º Chapecoense
Vasco (f), Botafogo (f), Flamengo (c), Atlético-MG (f), Fluminense (c), Atlético-PR (f), Sport (c), São Paulo (f), Santos (c), Vitória (c), Atlético-GO (f), Bahia (f) e Coritiba (c)

10º Vasco
Chapecoense (c), Avaí (f), Botafogo (c), Atlético-GO (f), Coritiba (c), Flamengo (f), Vitória (c), Santos (f), São Paulo (c), Atlético-MG (c), Atlético-PR (f), Cruzeiro (f) e Ponte Preta (c)

11º Atlético-MG
Atlético-PR (f), São Paulo (f), Sport (f), Chapecoense (c), Cruzeiro (f), Botafogo (c), Santos (f), Atlético-GO (c), Bahia (f), Vasco (f), Coritiba (c), Corinthians (f) e Grêmio (c)

12º Fluminense
Grêmio (f), Flamengo (f), Avaí (c), São Paulo (c), Chapecoense (f), Bahia (c), Botafogo (f), Coritiba (c), Cruzeiro (f), Corinthians (f), Ponte Preta (c), Sport (c) e Atlético-GO (f)

13º Bahia
Coritiba (c), Palmeiras (f), Corinthians (c), Flamengo (f), Vitória (c), Fluminense (f), Ponte Preta (c), Avaí (f), Atlético-MG (c), Santos (c), Sport (f), Chapecoense (c) e São Paulo (f)

14º Avaí
Atlético-GO (c), Vasco (c), Fluminense (f), Botafogo (c), Ponte Preta (f), Grêmio (c), Coritiba (f), Bahia (c), Corinthians (f), Cruzeiro (f), Palmeiras (c), Atlético-PR (c) e Santos (f)

15º Sport
São Paulo (f), Vitória (f), Atlético-MG (c), Santos (c), Atlético-PR (f), Coritiba (c), Chapecoense (f), Botafogo (c), Atlético-GO (f), Palmeiras (f), Bahia (c), Fluminense (f) e Corinthians (c)

16º Vitória
Botafogo (f), Sport (c), Santos (f), Atlético-PR (c), Bahia (f), Atlético-GO (c), Vasco (f), Palmeiras (c), Grêmio (f), Chapecoense (f), Cruzeiro (c), Ponte Preta (f) e Flamengo (c)

17º São Paulo
Sport (c), Atlético-MG (f), Atlético-PR (c), Fluminense (f), Flamengo (c), Santos (c), Atlético-GO (f), Chapecoense (c), Vasco (f), Grêmio (f), Botafogo (c), Coritiba (f) e Bahia (c)

18º Ponte Preta
Flamengo (c), Santos (c), Cruzeiro (f), Palmeiras (f), Avaí (c), Corinthians (c), Bahia (f), Grêmio (c), Coritiba (f), Atlético-PR (c), Fluminense (f), Vitória (c) e Vasco (f)

19º Coritiba
Bahia (f), Corinthians (f), Grêmio (c), Cruzeiro (c), Vasco (f), Sport (f), Avaí (c), Fluminense (f), Ponte Preta (c), Flamengo (c), Atlético-MG (f), São Paulo (c) e Chapecoense (f)

20º Atlético-GO
Avaí (f), Atlético-PR (f), Palmeiras (c), Vasco (c), Santos (f), Vitória (f), São Paulo (c), Atlético-MG (f), Sport (c), Botafogo (f), Chapecoense (c), Grêmio (f) e Fluminense (c)

]]>
1
No Morumbi, Corinthians leva vantagem contra São Paulo na história http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/22/no-morumbi-corinthians-leva-vantagem-contra-sao-paulo-na-historia/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/22/no-morumbi-corinthians-leva-vantagem-contra-sao-paulo-na-historia/#comments Fri, 22 Sep 2017 15:32:03 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1912 São Paulo e Corinthians jogarão no próximo domingo, às 11h, no Morumbi, pela 25ª rodada do Brasileirão. O clássico paulista colocará o tricolor, na zona do rebaixamento, frente ao Corinthians, líder disparado da Série A. Há 10 anos, os clubes se enfrentaram em situação parecida no mesmo palco, mas com o Corinthians na zona do rebaixamento e o São Paulo na liderança – deu Corinthians (1 x 0, gol do zagueiro Betão).

Agora, em 2017, Corinthians e São Paulo já jogaram cinco vezes. Uma pela Florida Cup (0 x 0), três pelo Paulistão e uma pelo Brasileirão (3 x 2 para o Corinthians em Itaquera). No Estadual, os clubes empataram por 1 x 1 na primeira fase. Na semifinal, o Corinthians venceu por 2 x 0, no Morumbi, com gols de Jô e Rodriguinho, no jogo marcado pelo Fair Play de Rodrigo Caio. Na volta, em Itaquera, houve empate (1 x 1).

Em Brasileiros, Corinthians e São Paulo se enfrentaram 59 vezes, com 21 vitórias do Corinthians, 14 do São Paulo e 24 empates. Na história, são 323 jogos, com 128 vitórias do Corinthians, 93 do São Paulo e 102 empates. No Morumbi, palco do próximo jogo, a vantagem história também é corintiana. No geral, em 142 jogos, são 50 vitórias do Corinthians, 36 do São Paulo e 56 empates. No Campeonato Brasileiro e no Morumbi, foram 36 jogos, com 10 vitórias do Corinthians, 19 empates e 7 vitórias do São Paulo. Em 1990, os clubes fizeram a final do Brasileirão, com duas vitórias do Corinthians na decisão (1 x 0 na ida e na volta).

No último jogo entre São Paulo e Corinthians pelo Brasileirão, no Morumbi, porém, deu São Paulo e de goleada: 4 x 0, com gols de Cueva, David Neres, Chávez e Luiz Araújo. A goleada, aliás, quebrou um jejum de 13 jogos sem vitória do tricolor sobre o rival em seu estádio. Do jogo disputado há quase um ano (dia 5 de novembro de 2016), o São Paulo conta apenas com apenas três remanescentes: Cueva, Rodrigo Caio e Buffarini – o goleiro Denis hoje está no grupo, mas não vem sendo aproveitado pelo técnico Dorival Júnior. Pelo lado do Corinthians, nove dos 14 jogadores que entraram em campo naquela derrota seguem no time: Cássio, Fágner, Balbuena, Guilherme Arana, Camacho, Rodriguinho, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Romero.

 

]]>
21
Corinthians: time com mais rodadas na liderança desde 2003 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/19/corinthians-time-com-mais-rodadas-na-lideranca-desde-2003/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/19/corinthians-time-com-mais-rodadas-na-lideranca-desde-2003/#comments Tue, 19 Sep 2017 17:42:07 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1907 Líder do Brasileirão de 2017 desde a 5ª rodada, o Corinthians acumulou até agora 20 rodadas na 1ª colocação no campeonato desse ano. Assim, chegou a marca de 110 rodadas na liderança, ultrapassou o Cruzeiro (com 109) e se tornou o clube com mais rodadas na primeira posição desde o início da era dos pontos corridos, em 2003.

Com mais 14 rodadas até o final do campeonato, o Corinthians – que já tem pelo menos mais três rodadas na liderança garantidas, já que abriu 10 pontos sobre o Grêmio, o segundo colocado -, poderá terminar o Brasileirão com 34 rodadas na liderança e quebrar outro recorde do Cruzeiro. Desde 2006, quando o campeonato passou a ser disputado por 20 clubes, a Raposa foi a equipe que mais rodadas ficou na liderança em uma só edição do Brasileirão (33 em 2013). Desde o início da era dos pontos corridos, o Cruzeiro também é o maior recordista com 40 rodadas, em 2003, quando o campeonato foi disputado por 24 clubes e teve 46 rodadas.

O São Paulo, tricampeão em 2006, 2007 e 2008, aparece no terceiro lugar no ranking dos clubes que mais vezes lideraram o Brasileirão desde 2003, em 576 rodadas disputadas até aqui, seguido pelo Palmeiras (55), Fluminense (48) e Atlético-MG (32). Entre os 12 grandes, o Vasco é o time que menos ficou na liderança (apenas 10 rodadas), seguido por Flamengo (13) e Inter (14).

Desde 2003, o Corinthians é atualmente o 3º entre os clubes que mais vezes ficaram no G4, com 211 rodadas. Mas poderá alcançar ainda esse ano a marca do Cruzeiro, o segundo colocado, com 216 rodadas. O São Paulo, com 245 rodadas, ainda é o clube que mais vezes ficou no G4.

Clubes que mais vezes ficaram na liderança no Brasileirão na era dos pontos corridos, desde 2003:

Corinthians 110
Cruzeiro 109
São Paulo 68
Palmeiras 55
Fluminense 48
Atlético-MG 32
Santos 27
Botafogo 21
Grêmio 20
Atlético-PR 15
Internacional 14
Flamengo 13
Vasco 10
Ponte Preta 9
Sport 5
Coritiba 3
Criciúma 3
Figueirense 3
Chapecoense 2
Santa Cruz 2
Avaí 1
Bahia 1
Goiás 1
Juventude 1
Náutico 1
Paraná 1
São Caetano 1
Vitória 1

 

]]>
6
Desde 2003, campeões brasileiros tiveram queda de rendimento na campanha http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/11/desde-2003-campeoes-brasileiros-tiveram-queda-de-rendimento-na-campanha/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/11/desde-2003-campeoes-brasileiros-tiveram-queda-de-rendimento-na-campanha/#comments Mon, 11 Sep 2017 16:01:57 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1890 Time com a melhor campanha do 1º turno na história dos pontos corridos, com 47 pontos, e único a fechar um turno invicto, o Corinthians iniciou o 2º turno com uma grande queda de rendimento – três derrotas e uma vitória. Hoje, o time treinado por Fábio Carille tem a terceira pior campanha do returno, com três pontos, melhor apenas do que Coritiba (2) e Sport (1).

Com 7 pontos de vantagem sobre o Grêmio, 2º colocado, e 9 sobre o Santos, 3º colocado, e 50 pontos até a 23ª rodada, o Corinthians ainda tem uma das melhores campanhas de um líder nessa etapa do campeonato e também uma das maiores vantagens sobre os concorrentes. Desde 2003, apenas três times conseguiram chegar aos 50 pontos (São Paulo, em 2007, Cruzeiro, em 2013, e o próprio Corinthians, em 2015). Desses, o São Paulo (2007) e o Cruzeiro (2013), conseguiram a maior vantagem sobre o vice-líder (8 pontos).

E desde 2003, a queda de rendimento na campanha dos campeões é algo comum. Principalmente no meio do campeonato. Um padrão que pode se observar é de que esses times campeões quase sempre começam o Brasileirão muito bem, têm depois uma pequena queda de rendimento, e depois voltam a ter uma boa arrancada rumo ao título. O técnico espanhol Pep Guardiola recentemente disse que um campeonato por por corridos se ganha, basicamente, com o bom desempenho nas oito primeiras e nas oito últimas rodadas em campeonatos de 38 rodadas.

Nas 14 edições anteriores do Brasileirão por pontos corridos, desde 2003, os campeões tiveram queda de rendimento durante a campanha. Uns mais, outros menos. Relembre:
2003 (Cruzeiro)
Invicto nas nove primeiras rodadas (6 vitórias e 3 empates), a Raposa teve uma queda de rendimento entre a 21ª e 28ª rodada (eram 46 rodadas naquele ano), quando venceu dois jogos, empatou três e perdeu três. Depois disso, teve duas sequências de oito vitórias seguidas até o título.
1º turno – EVVVVEVVEDVEDVVDVVVVDVE
2º turno – EDVEDVVVVVVVVDDVVVVVVVV

2004 (Santos)
O time do Santos campeão de 2004 fugiu um pouco do padrão e teve um início ruim no Brasileirão. Em 8 rodadas, venceu apenas duas partidas e perdeu cinco. O mau rendimento causou a queda do técnico Leão, trocado por Luxemburgo. Depois disso, o time venceu sete partidas seguidas e teve uma queda de rendimento entre a 21ª e a 25ª rodada (três derrotas e duas vitórias). Fechou depois o campeonato com uma invencibilidade de nove jogos.
1º turno – DVDDVDDEVVVVVVVDVEVVDDV
2º turno – VDVEVEVVVDVEVDEVEVVEVVV

2005 (Corinthians)
Com um empate e duas derrotas (uma delas por 5 x 1 para o rival São Paulo), o Corinthians demitiu o técnico argentino Daniel Passarela logo no início do Brasileirão. Depois disso, com o interino Márcio Bittencourt deu uma arrancada no campeonato com 11 vitórias em 13 rodadas. Mas entre a 17ª e 22ª rodada o time teve uma queda de rendimento, com uma vitória, três empates e duas vitórias em seis jogos. Pouco depois, o time até trocou novamente de técnico – entrou Antônio Lopes na 27ª rodada, e teve uma sequência de 14 jogos de invencibilidade.
1º turno – EDDVVVVVDDVVVVVVDEVED
2º turno – EVVEVVVVVEVEVEDVVDEVD

2006 (São Paulo)
Treinado por Muricy Ramalho, o São Paulo de 2006 teve uma das campanhas mais regulares entre os campeões. Da 7ª rodada até a 14ª, ficou invicto e deu uma boa arrancada com seis vitórias e dois empates. Da 15ª a 23ª, não somou tantos pontos (3 vitórias, 5 empates e 1 derrota), em seu pior momento na competição. Depois disso, encerrou o Brasileirão com uma invencibilidade de 13 jogos.
1º turno – VDVVDVVEVEVVVDEVEVE
2º turno – EVEVVDEVVVEVEVVVEVE

2007 (São Paulo)
O time de Muricy Ramalho teve a melhor defesa na história dos pontos corridos e chegou a ficar 9 jogos seguidos sem tomar gol. Na campanha, ficou 16 jogos sem perder (da 13ª a 28ª rodada) e só foi ter uma pequena queda de rendimento entre a 29ª e 31ª rodada (duas derrotas seguidas e um empate).
1º turno – VDEVDVVEVEEDVVVVVVV
2º turno – EVVVEVVVVDDEVVVDVED

2008 (São Paulo)
Novamente comandado por Muricy, o São Paulo fez uma campanha de recuperação após um 1º turno não muito bom (9 vitórias, 6 empates e 4 derrotas). No returno, perdeu o primeiro jogo e depois ficou 18 partidas sem perder até o título, ultrapassando o Grêmio na reta final.
1º turno – DEEEVVVEEDVVVDVEVDV
2º turno – DVEEEVEVVVEVVVVVVEV

2009 (Flamengo)
Outro campeão que teve um primeiro turno ruim e uma arrancada no returno, o Flamengo teve seu pior momento entre a 15ª e a 20ª rodada, quando venceu apenas um jogo, empatou outro e perdeu quatro, sendo três seguidos. Da 22ª até a 38ª rodada, porém, perdeu apenas um jogo, e deixou o líder Palmeiras e depois o São Paulo para trás nas rodadas finais.
1º turno – DEVVDDVEVEDEEVVEDVD
2º turno – DDVEVVEVEVVVDVVVEVV

2010 (Fluminense)
O time do técnico Muricy ficou invicto da 4ª até 18ª rodada e disparou na liderança. No final do 1º turno e início do 2º turno, porém, teve seu momento de instabilidade. Da 17ª a 23ª rodada, venceu apenas um jogo, empatou três e perdeu três. Depois, da 29ª a 33ª rodada, ficou sem vencer (três empates e duas derrotas), mas acabou campeão com nove jogos de invencibilidade.
1º turno – DVDVVVVEVVEVVVEVEED
2º turno – VDDEVVVEDDEEVEVEVVV

2011 (Corinthians)
Comandado por Tite, o Corinthians teve um ótimo início, com 9 vitórias e 1 empate (sendo 7 vitórias seguidas). Depois, da 18ª a 25ª rodada, teve uma queda grande de rendimento. Em 8 jogos, perdeu cinco, empatou um e venceu apenas dois. Na reta final, venceu quatro jogos seguidos e foi campeão com um empate contra o Palmeiras na última rodada.
1º turno – VVEVVVVVVVDDVEEEVDD
2º turno – VDVDDEVEVDVEVDVVVVE

2012 (Fluminense)
O time do técnico Abel Braga foi regular durante quase todo o Brasileirão e só foi ter sua queda de rendimento nas rodadas finais, após o título. Invicto até a 11ª rodada, teve ainda mais duas boas invencibilidades (12 jogos entre a 13ª e 24ª rodada) e seis jogos entre a 26ª e 31ª rodada, com cinco vitórias seguidas. Terminou o Brasileirão com duas derrotas e um empate nas três rodadas finais.
1º turno – VEEEVVVVEVVDEVVVEVV
2º turno – EEVVVDVVVVVEDVEVDED

2013 (Cruzeiro)
O time do técnico Marcelo Oliveira deu uma arrancada entre a 15ª e a 26ª rodada, quando ganhou 11 jogos (oito seguidos) e empatou mais um. Depois disso, entre a 27ª e a 30ª rodada, perdeu três jogos e venceu apenas um. Mas depois, venceu quatro jogos seguidos e chegou ao título na 34ª rodada. Nas últimas quatro rodadas, já campeão, empatou dois e perdeu outros dois jogos.
1º turno – VEDVEEVVVDVVEDVVVVV
2º turno – VVVEVVVDDVDVVVVEDDE

2014 (Cruzeiro)
O time bicampeão, novamente treinado por Marcelo Oliveira, teve uma campanha parecida com a de 2013, quando distanciou-se dos rivais após uma grande arrancada. Entre a 9ª e a 20ª rodada, ficou invicto (ganhou 9 e empatou 3 jogos). Depois, entre a 21ª e a 28ª rodada, teve uma queda de rendimento, com 4 derrotas, 1 empate e 3 vitórias. Nas dez rodadas finais, porém, ganhou 7 e empatou 3, sendo campeão com folga.
1º turno – VEVDVVVDVVVVEEVVVVE
2º turno – VDVDVEVDDVEEVVVVVEV

2015 (Corinthians)
O time do técnico Tite foi campeão com duas grandes sequências de invencibilidade. A primeira, entre a 9ª e a 25ª rodada (12 vitórias e 5 empates) e a outra entre a 27ª e 36ª rodada (8 vitórias e 2 empates). Na campanha, teve um momento ruim no início do campeonato (um empate e duas derrotas, entre a 3ª e a 5ª rodada), após a eliminação na Libertadores. Depois, teve uma pequena queda de rendimento entre a 23ª e 26ª rodada (1 vitória, 2 empates e 1 derrota).
1º turno – VVEDDVVDVVEVVVEVEVV
2º turno – VVVEEVDVVEVVVVVEVDE

2016 (Palmeiras)
Dirigido por Cuca, o Palmeiras fez um bom primeiro turno e um ótimo returno. Entre a 14ª e 18ª rodada, porém, teve seu pior momento, quando venceu um jogo, empatou dois e perdeu outros dois. Da 18ª a 32ª rodada, ficou invicto por 15 jogos.
1º turno – VDVDVVVEVVDVVEVDDEV
2º turno – VVEVVEEVVVVEVVDVEVVV

]]>
2
São Paulo foi o time da Série A que mais perdeu jogadores para o exterior http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/04/sao-paulo-foi-o-time-da-serie-a-que-mais-perdeu-jogadores-para-o-exterior/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/09/04/sao-paulo-foi-o-time-da-serie-a-que-mais-perdeu-jogadores-para-o-exterior/#comments Mon, 04 Sep 2017 22:46:25 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1883 Dos 629 jogadores que entraram em campo pelo Brasileirão de 2017, 77 deixaram as equipes, sendo que 13 deles apenas trocaram de clube na Série A. Além disso, 19 se transferiram para a Série B e 35 foram para clubes do exterior.

Dos 20 clubes da Série A, o São Paulo foi o que mais perdeu jogadores para times de fora do país (6). Já Bahia, Botafogo, Coritiba e Flamengo não tiveram baixas no elenco para clubes do exterior (reforçando que essa lista contabiliza apenas jogadores que entraram em campo no Brasileirão).

Com sete saídas, contando jogadores que deixaram o clube para algum time aqui do Brasil ou da lista de dispensados, o São Paulo também está entre aqueles que mais perderam jogadores, ao lado de Atlético-GO, Ponte Preta e Vitória.

O Corinthians, líder do Brasileirão, teve duas baixas no elenco, sendo apenas uma para o exterior: o atacante reserva Léo Jabá, oriundo das categorias de base, que foi para o Akhmat Grozny, da Rússia. O outro que saiu da equipe foi o também reserva Clayton, que voltou ao Atlético-MG após cinco meses de empréstimo.

Dos 35 jogadores da Série A que foram para o exterior, seis foram para a França, o principal destino, seguido por Argentina e Portugal, com quatro cada. Mas um fato a se destacar é que nenhum dos jogadores que saíram da Série A foram transferido para grandes clubes da Europa. O volante Douglas, do Vasco, vendido ao Manchester City-ING, acabou emprestado ao Girona, único clube espanhol a levar um brasileiro. No futebol francês, quatro brasileiros foram para o Lille (Caju, Thiago Maia, Thiago Mendes e Luiz Araújo), um para o Bordeaux (Otávio) e outro para o Nantes (Andrei Girotto). Para Portugal, nenhum foi para Porto, Benfica ou Sporting. Para o futebol italiano, houve apenas uma transferência: João Schimidt, do São Paulo para o Atalanta. Para a Inglaterra, tirando Douglas, que nem ficou por lá, o único vendido foi Richarlison, ex-Flu, para o Watford. Já a Alemanha não levou jogadores de times brasileiros nessa janela.

Os jogadores que deixaram os clubes na Série A de 2017 (até a 22ª rodada):

Atlético-GO (7)
3 para o exterior:
Felipe Garcia (G) – Moreirense-POR
Marcão (Z) – Rio Ave-POR
Everaldo (A) – Querétaro-MEX
Outros:
Eduardo Diniz (LD) – CRB (Série B)
Abuda (V) – Figueirense (Série B)
Júnior Viçosa (A) – Goiás (Série B)
Walterson (A) – Figueirense (Série B)

Atlético-MG (3)
1 para o exterior:
Rafael Carioca (V) – Tigres-MEX
Outros:
Danilo Barcelos (LE) – Ponte Preta
Maicosuel (M) – São Paulo

Atlético-PR (6)
1 para o exterior:
Otávio (V) – Bordeaux-FRA
Outros:
Marcão (Z) – Atlético-GO
Bruno Mota (M) – Náutico (Série B)
Carlos Alberto (M) – Rescidiu o contrato
Grafite (A) – Santa Cruz (Série B)
Yago (A) – Figueirense (Série B)

Avaí (3)
1 para o exterior:
Iury (A) – Zorya-UCR
Outros:
Vinícius Pacheco (M) – Fortaleza (Série C)
Denílson (A) – São Paulo

Bahia (2)
Outros:
Diego Rosa (M) – Atlético-GO
Gustavo (A) – Goiás (Série B)

Botafogo (4)
Outros:
Camilo (M) – Internacional (Série B)
Montillo (M) – Aposentou
Joel (A) – Avaí
Pachu (A) – Santa Cruz (Série B)

Chapecoense (3)
2 para o exterior:
Andrei Girotto (V) – Nantes-FRA
Rossi (A) – Shezen-CHN
Outros:
Niltinho (A) – Atlético-GO

Corinthians (2)
1 para o exterior:
Léo Jabá (A) – Akhmat Grozny-RUS
Outros:
Clayton (A) – Atlético-MG

Coritiba (0)

Cruzeiro (2)
2 para o exterior:
Caicedo (Z) – Barcelona-EQU
Ábila (A) – Boca Juniors-ARG

Flamengo (1)
Outros:
Leandro Damião (A) – Internacional (Série B)

Fluminense (3)
2 para o exterior:
Richarlison (A) – Watford-ING
Outros:
Lucas Fernandes (M) – Atlético-PR
Maranhão (A) – Ponte Preta

Grêmio (6)
4 para o exterior:
Gaston Fernández (M) – Estudiantes-ARG
Lincoln (M) – Rizesport-TUR
Pedro Rocha (A) – Spartak Moscou-RUS
Bolaños (A) – Tijuana-MEX
Outros:
Lima (V) – Ceará (Série B)
Nicolas Careca (A) – Figueirense (Série B)

Palmeiras (1)
1 para o exterior:
Matheus Iacovelli (A) – Estoril-POR

Ponte Preta (7)
2 para o exterior:
Kadu (Z) – Goztepe-TUR
Ravanelli (M) – Akhmat Grozny-RUS
Outros:
João Lucas (LE) – Figueirense (Série B)
Fábio Braga (V) – Dispensado
Xuxa (M) – Figueirense (Série B)
Negueba (A) – Dispensado
Clayson (A) – Corinthians

Santos (4)
2 para o exterior:
Caju (LE) – Lille-FRA
Thiago Maia (V) – Lille-FRA
Outros:
Rafael Longuine (A) – Coritiba
Rodrigão (A) – Bahia

São Paulo (7)
6 para o exterior:
Maicon (Z) – Galatasaray-TUR
Lucão (Z) – Estoril-POR
Thiago Mendes (V) – Lille-FRA
João Schmidt (V) – Atalanta-ITA
Luiz Araújo (A) – Lille-FRA
Chávez (A) – Boca Juniors-ARG
Outros:
Wesley (V) – Sport

Sport (5)
1 para o exterior:
Ronaldo (V) – Ohod-ARA
Outros:
Matheus Ferraz (Z) – Goiás (Série B)
Fabrício (V) – Oeste (Série B)
Neto Moura (M) – América-MG (Série B)
Leandro Pereira (A) – Dispensado

Vasco (4)
3 para o exterior:
Douglas (V) – Girona-ESP (emprestado pelo Manchester City-ING)
Bruno Gallo (V) – Qatar SC-CAT
Muriqui (A) – Guanghzou Evergrande-CHN
Outros:
Andrezinho (M) – Goiás (Série B)

Vitória (7)
4 para o exterior:
Euller (LE) – Avispa Fukuoka-JAP
Cleiton Xavier (M) – Nagoya Grampus-JAP
Pisculichi (M) – Argentinos Juniors-ARG
Pineda (A) – Santiago Wanderers-CHI
Outros:
Leandro Salino (LD) – Dispensado
Flávio (V) – Dispensado
Paulinho (V) – Dispensado

 

]]>
3
Flamengo: 1º grande a superar os 100 gols na temporada http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/28/flamengo-1o-grande-a-superar-os-100-gols-na-temporada/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/28/flamengo-1o-grande-a-superar-os-100-gols-na-temporada/#comments Mon, 28 Aug 2017 14:04:02 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1866 Com os dois gols na vitória por 2 x 0 sobre o Atlético-PR, o Flamengo chegou a marca de 101 gols na temporada e se tornou o primeiro grande a superar a casa dos 100 gols em 2017. O rubro-negro, que disputou 56 jogos até aqui, tem também a melhor média de gols (1,80), à frente do Grêmio (1,75). O Fluminense, que fez 54 jogos, tem o segundo maior ataque em 2017 com 94 gols, seguido pelo Grêmio (93). O Vasco, por outro lado, é o grande com o ataque menos positivo no ano – fez apenas 44 gols em 41 jogos.

Gols feitos em 2017:

Clube Gols Jogos Média
Flamengo 101 56 1,80
Fluminense 94 54 1,74
Grêmio 93 53 1,75
Palmeiras 83 50 1,66
Atlético-MG 82 52 1,58
Internacional 79 50 1,58
Cruzeiro 78 54 1,44
São Paulo 73 46 1,59
Santos 71 48 1,48
Corinthians 68 50 1,36
Botafogo 67 54 1,24
Vasco 44 41 1,07

.

Já entre as defesas, o Corinthians segue com a melhor marca em 2017. Em 50 jogos, o time do técnico Fábio Carille levou apenas 27 gols, média de 0,54 por partida. O Cruzeiro, de Mano Menezes, com 42 gols sofridos em 54 jogos (0,78), tem a segunda melhor média. Entre os piores, o São Paulo é quem tem a defesa mais vazada (1,39 gol por partida). Em 46 jogos no ano, o tricolor paulista levou 64 gols. Vasco (1,24) e Fluminense (1,20), são outros com médias altas de gols sofridos.

Gols sofridos em 2017:

Clube Jogos Gols Média
Corinthians 50 27 0,54
Santos 48 39 0,81
Cruzeiro 54 42 0,78
Internacional 50 42 0,84
Grêmio 53 44 0,83
Flamengo 56 47 0,84
Vasco 41 51 1,24
Atlético-MG 52 53 1,02
Palmeiras 50 53 1,06
Botafogo 54 54 1,00
São Paulo 46 64 1,39
Fluminense 54 65 1,20

.

Em termos de aproveitamento de pontos, o Corinthians segue também como o melhor no ano entre os grandes. Em 50 jogos, foram 30 vitórias, 16 empates e apenas 4 derrotas (duas, porém, nos últimos três jogos). Com 70,7%, o alvinegro é o primeiro, seguido por Flamengo, Grêmio e Santos. O São Paulo, com apenas 47,1%, tem o pior aproveitamento entre os 12 grandes (apenas 47,1%).

Aproveitamento de pontos dos grandes em 2017:

Clube Jogos Vit. Emp. Der. Aprov.
Corinthians 50 30 16 4 70,7
Flamengo 56 31 16 9 64,9
Grêmio 53 30 13 10 64,8
Santos 48 26 12 10 62,5
Internacional 50 26 15 9 62,0
Palmeiras 50 28 7 15 60,7
Cruzeiro 54 27 16 11 59,9
Atlético-MG 52 26 10 16 56,4
Fluminense 54 24 15 15 53,7
Botafogo 54 24 13 17 52,5
Vasco 41 17 9 15 48,8
São Paulo 46 17 14 15 47,1
]]>
17
Jô iguala Tevez como maior artilheiro do Corinthians nos pontos corridos http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/23/jo-iguala-tevez-como-maior-artilheiro-do-corinthians-nos-pontos-corridos/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/23/jo-iguala-tevez-como-maior-artilheiro-do-corinthians-nos-pontos-corridos/#comments Thu, 24 Aug 2017 00:51:44 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1863 Autor do gol da vitória do Corinthians, hoje, contra a Chapecoense, o atacante Jô chegou a 12 gols no Brasileirão de 2017 e voltou a ser o artilheiro da competição, agora ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense.

Com 1 gol marcado em 2003 (quando se tornou o jogador mais jovem a marcar pelo clube, com 16 anos), mais 8 gols em 2004 e 4 gols em 2005 (na campanha do título), Jô chegou agora a marca de 25 gols pelo Corinthians na era dos pontos corridos e igualou a marca do atacante Carlos Tevez. O argentino marcou 20 gols em 2005 (recorde em uma única edição pelo clube desde 2003) e mais 5 em 2006.

O meia Jadson, que marcou 4 gols no Brasileiro de 2017, aparece em 5º na lista com 21 gols, um a mais do que Paulinho, hoje no Barcelona.

Jô tem a chance ainda de ser o primeiro artilheiro do Corinthians na história dos brasileiros.

Maiores artilheiros do Corinthians no Brasileirão desde 2003, na era dos pontos corridos
1º Jô (25)
Tevez (25)
3º Guerrero (23)
Liedson (23)
5º Jadson (21)
6º Paulinho (20)
7º Elias (19)
8º Ronaldo (18)
9º Gil (16)
10º Bruno César (14)
Rogério (14)
Rosinei (14)
Vágner Love (14)
14º Danilo (13)
15º Dentinho (12)
Emerson (12)
Finazzi (12)
Luciano (12)
Marcelo Mattos (12)
20º Chicão (11)
Jorge Henrique (11)
Roger (11)
23º Carlos Alberto (10)
Fabinho (10)
Romarinho (10)
Romero (10)
27º Alexandre Pato (9)
Gustavo Nery (9)
Rodriguinho (9)

Mais de Futebol em Números no twitter:
@rodolfo1975

]]>
5
Desde 2006, 70% dos times do Z4 na 21ª rodada caíram para a Série B http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/22/desde-2006-70-dos-times-do-z4-na-21a-rodada-cairam-para-a-serie-b/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/22/desde-2006-70-dos-times-do-z4-na-21a-rodada-cairam-para-a-serie-b/#comments Tue, 22 Aug 2017 12:32:25 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1858 O perigo do rebaixamento inédito no Brasileirão para o São Paulo existe, ainda mais levando-se em conta o retrospecto dos clubes que caíram para a segunda divisão desde 2006, quando o campeonato por pontos corridos passou a contar com 20 participantes. Desde então, 70,5% dos clubes que estavam na zona do rebaixamento na 21ª rodada (como a atual), acabaram caindo para a Série B (31 dos 44). Apenas 13 deles (29,5%), conseguiram se livrar da degola. Em 2012 e 2013, todos os quatro times que estavam no Z4 na 21ª acabaram caindo.

O São Paulo, 17º colocado com 23 pontos, tem hoje a mesma pontuação e campanha do Internacional, que em 2016 foi rebaixado, mas que na época ocupava a 15ª colocação. Ambos chegaram à 21ª rodada com 6 vitórias, 5 empates e 10 derrotas.

Desde 2006, a pontuação média do 17º colocado foi de 42 pontos aos final de 38 rodadas. Para superar essa marca, o São Paulo precisaria de pelo menos mais 20 pontos em 19 rodadas – um aproveitamento de 39,2%, superior ao atual de 36,5. Mas essa pontuação pode ser maior ainda, já que os rivais também estão com a pontuação próxima do São Paulo – Vitória e Avaí (18º e 19º têm 22 pontos). Em alguns anos, o 17º foi rebaixado com 45 pontos (Coritiba em 2009) e 44 pontos (Corinthians 2007, Figueirense 2008 e Portuguesa 2013). O Inter, no ano passado, caiu com 43 pontos.

Outro grande que corre risco de rebaixamento novamente é o Vasco. Com 25 pontos, o time já passou por uma situação semelhante em 2008, ano de sua primeira queda. Naquele ano, porém, o Vasco era o 13º colocado. Hoje está na 16ª posição. Nos outros dois anos em que caiu, o Vasco já estava na zona do rebaixamento na 21ª rodada (24 pontos em 2013 e apenas 13 pontos em 2015).

Entre os 13 clubes que estavam no Z4 na 21ª rodada e que conseguiram escapar, o caso mais impressionante é o do Fluminense de 2009. Dirigido por Cuca, o time tinha apenas 16 pontos (sete a menos que o São Paulo de hoje e apenas um ponto a mais do que o lanterna de 2017, o Atlético-GO). Com uma incrível arrancada, o tricolor carioca somou mais 30 pontos em 17 jogos (58,8% de aproveitamento) e terminou na 16ª colocação com 46 pontos.

Outros times que escaparam foram o Corinthians de 2006 (23 pontos); Atlético-PR (23) e Náutico (20), em 2007; Náutico (21) e Santos (19), em 2008; Botafogo (21), em 2009; Atlético-MG (21) e Atlético-GO (20), em 2010; Atlético-MG (21), em 2011; Coritiba (20), em 2014; Coritiba (22), em 2015; e Vitória (23), em 2016.

Por outro lado, dos 13 clubes que estavam fora da zona do rebaixamento na 21ª rodada e acabaram caindo, o caso que mais impressionou foi o do Guarani de 2010. O time de Campinas era o 7º colocado com 29 pontos e terminou a competição no 18º lugar com 37 pontos (somou apenas 8 pontos em 17 jogos). O Corinthians, em 2007, era o 14º colocado com 27 pontos e acabou rebaixado com 44 pontos.

Zona do rebaixamento do Brasileirão na 21ª rodada desde 2006 (em vermelho os clubes que acabaram caindo para a Série B na 38ª rodada)

Ano Pos. Clube PG V E D
2006 14º São Caetano 25 6 7 8
2006 17º Ponte Preta 24 6 6 9
2006 18º Corinthians 23 7 2 12
2006 19º Fortaleza 21 4 9 8
2006 20º Santa Cruz 18 4 6 11
   –  –
2007 12º Paraná 27 7 6 8
2007 14º Corinthians 27 6 9 6
2007 17º Atlético-PR 23 5 8 8
2007 18º Náutico 20 5 5 11
2007 19º Juventude 17 4 5 12
2007 20º América-RN 10 3 1 17
– –
2008 11º Figueirense 28 7 7 7
2008 13º Vasco 25 7 4 10
2008 17º Portuguesa 22 6 4 11
2008 18º Náutico 21 6 3 12
2008 19º Santos 19 4 7 10
2008 20º Ipatinga 17 4 5 12
 –
2009 15º Santo André 24 6 6 9
2009 16º Coritiba 22 6 4 11
2009 17º Náutico 21 5 6 10
2009 18º Botafogo 21 4 9 8
2009 19º Sport 16 4 4 13
2009 20º Fluminense 16 3 7 11
   –  –  –  –  –  –
2010 Guarani 29 7 8 6
2010 15º Vitória 24 5 9 7
2010 17º Atlético-MG 21 6 3 12
2010 18º Atlético-GO 20 5 5 11
2010 19º Prudente 17 4 8 9
2010 20º Goiás 17 4 5 12
2011 13º Ceará 26 7 5 9
2011 17º Atlético-MG 21 6 3 12
2011 18º Avaí 20 5 5 11
2011 19º Atlético-PR 18 4 6 11
2011 20º América-MG 17 3 8 10
2012 17º Sport 19 4 7 10
2012 18º Palmeiras 17 4 5 12
2012 19º Atlético-GO 16 3 7 11
2012 20º Figueirense 15 3 6 12
2013 17º Vasco 24 6 6 9
2013 18º Portuguesa 22 5 7 9
2013 19º Ponte Preta 16 4 4 12
2013 20º Náutico 9 2 3 15
 –  –  –  –  –  –
2014 15º Botafogo 22 6 4 11
2014 17º Criciúma 21 5 6 10
2014 18º Coritiba 20 4 8 9
2014 19º Bahia 20 4 8 9
2014 20º Vitória 18 4 6 11
2015 15º Avaí 23 6 5 10
2015 17º Goiás 22 5 7 9
2015 18º Coritiba 22 5 7 9
2015 19º Joinville 19 5 4 12
2015 20º Vasco 13 3 4 14
2016 15º Internacional 23 6 5 10
2016 17º Vitória 23 5 8 8
2016 18º Figueirense 21 4 9 8
2016 19º Santa Cruz 19 5 4 12
2016 20º América-MG 13 3 4 14
   –  –  –  –  –
2017 17º São Paulo 23 6 5 10
2017 18º Vitória 22 6 4 11
2017 19º Avaí 22 5 7 9
2017 20º Atlético-GO 15 4 3 14

Mais de Futebol em Números no twitter:
@rodolfo1975

]]>
3
Fábio, do Cruzeiro, supera recorde de Ceni no Brasileirão http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/20/fabio-do-cruzeiro-supera-recorde-de-ceni-no-brasileirao/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/20/fabio-do-cruzeiro-supera-recorde-de-ceni-no-brasileirao/#comments Mon, 21 Aug 2017 01:09:54 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1856 Segundo jogador com mais partidas na história do Campeonato Brasileiro, desde 1971, e o recordista de jogos na era dos pontos corridos, o goleiro Fábio, do Cruzeiro, bateu um recorde hoje que pertencia a Rogério Ceni. Após não sofrer gol na vitória sobre o Sport por 2 x 0, no Mineirão, Fábio chegou a marca de 147 jogos sem ser vazado na era dos pontos corridos, desde 2003, superando Rogério Ceni, então recordista com 146.

Aos 36 anos (fará 37 no próximo dia 30 de setembro), Fábio tem hoje 519 jogos em Campeonatos Brasileiros, desde sua estreia, em 2000, quando jogava pelo Vasco. Segundo jogador com mais partidas desde 1971, Fábio está atrás apenas de Rogério Ceni, que disputou 575 partidas (56 a mais). Na era dos pontos corridos, desde 2003, Fábio é o recordista de jogos com 493 partidas contra 428 de Rogério Ceni e 417 de Leonardo Moura, que jogou hoje pelo Grêmio.

No Brasileirão 2017, Fábio ficou 8 partidas sem sofrer gol. Cássio, do Corinthians, é o recordista até aqui com 13 jogos, seguido por Vanderlei, do Santos (12) e Aranha, da Ponte Preta (10). Na lista dos goleiros que ficaram mais jogos sem sofrer gol desde 2003, além de Fábio, outros que atuam em 2017 figuram entre os primeiros, como Victor, Vanderlei, Fernando Prass, Marcelo Grohe, Wilson, Cássio, Weverton, Diego Cavalieri, Jefferson e Weverton.

Goleiros que ficaram mais jogos sem sofrer gol na era dos pontos corridos, desde 2003:

Goleiro Jogos Sem sofrer gol Gols sofridos Período
Fábio 493 147 601 2003-2017
Rogério Ceni 428 146 464 2003-2015
Victor 316 103 358 2008-2017
Vanderlei 263 90 301 2008-2017
Fernando Prass 285 84 335 2003-2017
Marcelo Grohe 178 82 155 2006-2017
Cássio 173 74 145 2006-2017
Wilson 285 74 398 2007-2017
Diego Cavalieri 256 72 308 2004-2017
Edson Bastos 220 66 301 2003-2013
Harlei 274 66 413 2003-2013
Renan 167 64 174 2005-2015
Marcelo Lomba 216 64 249 2007-2016
Fábio Costa 213 61 263 2003-2010
Jefferson 219 59 275 2004-2014
Weverton 158 57 173 2012-2017
]]>
12
Corinthians perde quatro sequências de invencibilidade http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/19/corinthians-perde-quatro-sequencias-de-invencibilidade/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/08/19/corinthians-perde-quatro-sequencias-de-invencibilidade/#comments Sat, 19 Aug 2017 21:39:12 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1851 O Corinthians foi derrotado hoje em Itaquera, pelo Vitória, por 1 x 0, e perdeu de uma só vez quatro sequências de invencibilidade. A maior delas a sua série invicta em 2017 (34 jogos). A última derrota do clube dirigido pelo técnico Fábio Carille havia sido no dia 19 de março (0 x 1 Ferroviária, pelo Campeonato Paulista). Assim, o time perdeu a chance de igualar a maior marca invicta de sua história, de 37 jogos, em 1957.

Outra marca perdida pelo time após o revés para o time baiano foi a invencibilidade no Brasileirão. Líder invicto no 1º turno, o alvinegro perdeu hoje a sequência que já durava 19 jogos na Série A – a maior dos pontos corridos, desde 2003. Curiosamente, o Vitória foi o time que acabou com a sequência invicta do Corinthians em Brasileiros em 1993, então a maior do clube (15 jogos). Naquele ano, o time treinado por Mário Sérgio perdeu apenas um jogo na fase semifinal e perdeu a chance de ir à final.

A derrota para o Vitória, em casa, foi a segunda do time no ano – a última derrota havia sido no dia 11 de fevereiro (0 x 2 para o Santo André). Desde então, o time conseguiu a sequência de 22 jogos sem derrota, a terceira melhor marca desde a inauguração do estádio, em 2014. O Corinthians já chegou a ficar 32 jogos sem perder em casa em 2014 e 2015 e mais 34 jogos entre 2015 e 2016.

Já a quarta invencibilidade perdida hoje foi para o próprio Vitória. Jogando como mandante, o Corinthians nunca havia perdido para o time baiano no Brasileirão (18 jogos, 14 vitórias e 4 empates), sendo 17 deles em São Paulo – o outro jogo foi em Cuiabá-MT. Pela primeira vez também nesse Brasileirão, em 20 jogos, o Corinthians saiu perdendo no intervalo.

]]>
2