Palmeiras – Futebol em Números http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br Aqui você que vê o futebol de uma maneira diferente. Números, estatísticas, dados, curiosidades, listas, recordes, traduzidos de maneira fácil para entender ainda melhor a história do futebol e o que rola dentro do campo. Mon, 27 Mar 2017 14:57:55 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Fred: maior artilheiro dos times da Série A em 2017 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/27/fred-maior-artilheiro-dos-times-da-serie-a-em-2017/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/27/fred-maior-artilheiro-dos-times-da-serie-a-em-2017/#comments Mon, 27 Mar 2017 14:57:55 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1484 Artilheiro do Campeonato Mineiro com 9 gols, o atacante Fred é o maior artilheiro entre os 20 clubes que vão disputar a Série A do Brasileirão em 2017. Com 12 gols em 11 jogos na temporada, Fred só não marcou em dois jogos no ano – contra Tombense e Tupi, pelo Estadual. O camisa 99 do Galo fez ainda um gol pela Libertadores (contra o Godoy Cruz-ARG) e outro na Primeira Liga (contra o Joinville).

No ano passado, Fred marcou também 12 gols pelo Atlético, porém, em 28 jogos. Agora, tem os mesmos 12 gols, mas em 11 jogos. No total, o atacante soma 24 gols em 39 jogos pelo Galo. Robinho, o artilheiro do time em 2016 com 26 gols, tem na atual temporada apenas um gol.

Entre os outros clubes, depois de Fred, quem mais marcou foi Henrique Dourado, atacante do Fluminense com 9 gols, seguido por Rafael Sóbis, do Cruzeiro, que tem 8 gols. Dos times paulistas, dois jogadores do São Paulo e dois da Ponte Preta têm 7 gols cada (Cueva e Gilberto, pelo Tricolor, e Lucca e Pottker, pela Ponte).

Entre os times da Série B, os destaques são Léo Gamalho (Goiás) e Brenner (Internacional), ambos com 11 gols.

Artilheiros dos times da Série A em 2017:
Atlético-MG – Fred (12 gols em 11 jogos)
Fluminense – Henrique Dourado (9 gols em 13 jogos)
Rafael Sóbis – Cruzeiro (8 gols em 12 jogos)
Avaí – Denílson (7 gols em 13 jogos)
Flamengo – Guerrero (7 gols em 10 jogos)
Ponte Preta – Lucca e William Pottker (7 gols em 12 e 13 jogos)
São Paulo – Cueva e Gilberto (7 gols em 11 e 9 jogos)
Sport – Rogério (7 gols em 13 jogos)
Vitória – Kieza (7 gols em 14 jogos)
Bahia – Régis (6 gols em 10 jogos)
Vasco – Nenê (6 gols em 13 jogos)
Atlético-GO – Jorginho (5 gols em 8 jogos)
Chapecoense – Atlético-MG
Corinthians – Jô (5 gols em 14 jogos)
Coritiba – Kléber (5 gols em 8 jogos)
Grêmio – Bolãnos (5 gols em 10 jogos)
Atlético-PR – Matheus Anjos (4 gols em 5 jogos)
Botafogo – Roger (4 gols em 11 jogos)
Palmeiras – Willian (4 gols em 13 jogos)
Santos – Vítor Bueno (4 gols em 12 jogos)

]]>
13
Mina fez o gol da vitória mais tardio do Palmeiras em Libertadores http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/16/mina-fez-o-gol-da-vitoria-mais-tardio-do-palmeiras-em-libertadores/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/16/mina-fez-o-gol-da-vitoria-mais-tardio-do-palmeiras-em-libertadores/#comments Thu, 16 Mar 2017 20:45:02 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1468 Em sua 17ª partipação na Copa Libertadores, o Palmeiras suou para conquistar sua primeira vitória em casa. Ontem, diante do Jorge Wilstermann, da Bolívia, o alviverde venceu por 1 x 0 com um gol do zagueiro colombiano Mina aos 51 minutos do segundo tempo. Nunca o Palmeiras demorou tanto para conseguir uma vitória na história da competição.

De todas as suas 78 vitórias anteriores, em 155 jogos disputados, a mais sofrida até então foi a de 2009, quando Cleiton Xavier marcou um golaço aos 42 minutos do 2º tempo na vitória por 1 x 0 sobre o Colo-Colo, em Santiago. O resultado, além de suado, garantiu ainda a classificação do Palmeiras para as oitavas de final daquele ano. Já em 2001, também na 1ª fase e no Chile, o Palmeiras ganhou da Universidad de Chile por 2 x 1 com um gol do zagueiro Alexandre aos 41 minutos do 2º tempo (2 x 1).

Gols mais tardios que deram vitórias ao Palmeiras na Libertadores desde 1961:

16/3/2017 – Palmeiras 1 x 0 Jorge Wilstermann (1ª fase)
51 do 2º – Mina

30/4/2009 – Colo-Colo-CHI 0 x 1 Palmeiras (1ª fase)
42 do 2º – Cleiton Xavier

18/4/2001 – Universidad de Chile-CHI 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
41 do 2º – Alexandre

25/5/2000 – Palmeiras 3 x 2 Atlas-MEX (Quartas)
40 do 2º – Rodrigo Taddei

4/2/1968 – Galícia-VEN 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
38 do 2º – Baldomero Amarilal (contra)

16/5/2000 – Palmeiras 1 x 0 São Caetano (oitavas)
37 do 2º – Muñoz

7/2/1968 – Deportivo Portugués-VEN 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
36 do 2º – Ademar Pantera

Já os gols tardios que deram empates ao Palmeiras na Libertadores, curiosamente, aconteceram duas vezes, ambas nas quartas de final de 2001. No jogo de ida, Lopes empatou, em São Paulo, aos 45 do 2º, quando o Cruzeiro, de Felipão, vencia por 3 x 2. Já no jogo de volta, no Mineirão, o zagueiro Alexandre, novamente, empatou em 2 x 2, aos 40 do 2º, levando a disputa para o pênaltis, onde o Palmeiras, de Celso Roth, levou a melhor (4 x 3).

23/5/2001 – Palmeiras 3 x 3 Cruzeiro (quartas)
45 do 2º – Lopes

30/5/2001 – Cruzeiro 2 x 2 Palmeiras (quartas)
40 do 2º – Alexandre

]]>
2
Novas arenas: Palmeiras supera Corinthians no desempenho dos clássicos http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/13/novas-arenas-palmeiras-supera-corinthians-no-desempenho-dos-classicos/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/13/novas-arenas-palmeiras-supera-corinthians-no-desempenho-dos-classicos/#comments Mon, 13 Mar 2017 20:18:39 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1460 Corinthians e Palmeiras inauguram seus novos estádios em 2014 e desde então vêm tendo um aproveitamento muito bom em casa, principalmente nos clássicos. Na Arena Corinthians, inaugurada dia 18 de maio de 2014, o alvinegro disputou 16 clássicos, com 10 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, com um aproveitamento de 68%. Vitorioso em seus quatro primeiros jogos, o Corinthians foi perder sua invencibilidade em clássicos em Itaquera na 7ª partida, para o Palmeiras. Em 16 jogos, o alvinegro marcou 26 gols (1,63 por jogo) e sofreu 13 gols (0,81). Agora, em 2017, nos dois jogos que fez em casa, o Corinthians conseguiu duas vitórias (1 x 0 sobre Palmeiras e Santos). Diante dos rivais, o Corinthians ainda não perdeu para o São Paulo em casa (4 vitórias e 1 empate e 14 gols feitos). Contra o Palmeiras, foram 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. E diante do Santos, foram 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

Já o Palmeiras, que inaugurou seu estádio no dia 19 de novembro de 2014, já disputou 12 jogos no Allianz Parque. Com a vitória sobre o São Paulo, por 3 x 0, no último sábado, o alviverde chegou a 8 vitórias em casa, 2 empates e apenas uma derrota – para o Corinthians no primeiro clássico realizado lá. Assim, o time já soma 11 clássicos sem derrota em casa – sete vitórias e quatro empates. Em 12 jogos em casa, o Palmeiras marcou 21 gols (1,75) e sofreu 7 gols (0,58) e tem um aproveitamento de 75% dos pontos disputados. Contra o Corinthians, foram três jogos, com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota. Contra o Santos, foram 3 vitórias e 2 empates, além de um título na Copa do Brasil. Já contra o São Paulo, assim como o Corinthians, o Palmeiras não perdeu. Em quatro jogos, foram 4 vitórias e 12 gols marcados.

Desempenho do Palmeiras nos clássicos no Allianz Parque:
8/2/2015 – 0 x 1 Corinthians (Paulista)
25/3/2015 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)
26/4/2015 – 1 x 0 Santos (Paulista)
28/6/2015 – 4 x 0 São Paulo (Brasileiro)
19/7/2015 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
6/9/2015 – 3 x 3 Corinthians (Brasileiro)
2/12/2015 – 2 x 1 Santos (Copa do Brasil)
20/2/2016 – 0 x 0 Santos (Paulista)
12/6/2016 – 1 x 0 Corinthians (Brasileiro)
12/7/2016 – 1 x 1 Santos (Brasileiro)
7/9/2016 – 2 x 1 São Paulo (Brasileiro)
11/3/2017 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)

12 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 75% de aproveitamento

Desempenho do Corinthians nos clássicos na Arena Corinthians:
27/7/2014 – 2 x 0 Palmeiras (Brasileiro)
21/9/2014 – 3 x 2 São Paulo (Brasileiro)
9/11/2014 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
18/2/2015 – 2 x 0 São Paulo (Libertadores)
5/4/2015 – 1 x 1 Santos (Paulista)
19/4/2015 – 2 x 2 Palmeiras (Paulista)
31/5/2015 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
26/8/2015 – 1 x 2 Santos (Copa do Brasil)
20/9/2015 – 2 x 0 Santos (Brasileiro)
22/11/2015 – 6 x 1 São Paulo (Brasileiro)
14/2/2016 – 2 x 0 São Paulo (Paulista)
1/6/2016 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
17/7/2016 – 1 x 1 São Paulo (Brasileiro)
17/9/2016 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
22/2/2017 – 1 x 0 Palmeiras (Paulista)
4/3/2017 – 1 x 0 Santos (Paulista)

16 jogos, 10 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 68% de aproveitamento

 

]]>
8
Grêmio: brasileiro com o elenco mais experiente em Libertadores http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/07/gremio-brasileiro-com-o-elenco-mais-experiente-em-libertadores/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/03/07/gremio-brasileiro-com-o-elenco-mais-experiente-em-libertadores/#comments Tue, 07 Mar 2017 07:00:31 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1449 Começa hoje a fase de grupos da Copa Libertadores de 2017 com 32 equipes. Destas, oito são do Brasil, um recorde na história da competição. Entre os participantes brasileiros, estão cinco ex-campeões (Santos, Flamengo, Grêmio, Palmeiras e Atlético-MG), dois clubes que vieram da fase preliminar (Atlético-PR e Botafogo) e um estreante, a Chapecoense.

E dos elencos desses oito times brasileiros que vão jogar a Libertadores em 2017, o Grêmio é aquele com mais jogadores que já disputaram o torneio. São 23 no total, além do técnico Renato Gaúcho, que já foi campeão como jogador, pelo próprio Grêmio, em 1983, e vice-campeão como técnico, pelo Fluminense, em 2008. Entre os jogadores do Tricolor gaúcho que mais vezes disputaram o torneio estão os recém-contratados Leonardo Moura e Gastón Fernández, com 5 vezes cada, além de Marcelo Grohe e Bolaños, também com cinco participações cada. E dos 23 jogadores do Grêmio que já disputaram a Libertadores, três já foram campeões: Gastón Fernández, pelo Estudiantes-ARG, em 2009, Douglas, pelo Corinthians, em 2012, e Kannemann, pelo San Lorenzo-ARG, em 2014.

Em seguida, depois do Grêmio, o Palmeiras é o time brasileiro com mais jogadores com experiência na Libertadores. São 21, contando os dois campeões pelo Atlético Nacional-COL na última edição: o volante Guerra e o atacante Borja. Eles se juntam também a outros três ex-campeões do torneio: Jean, campeão pelo São Paulo, em 2005, que está indo para a sua oitava participação, Alecsandro, bicampeão por Inter e Galo, e Willian, campeão pelo Corinthians.

No Atlético-MG, são 20 jogadores que já disputaram o torneio, incluindo quatro ex-campeões do torneio pelo Galo em 2013: Victor, Giovanni, Marcos Rocha, Carlos César, Luan e Leonardo Silva. Lucas Cândido participou daquele grupo, mas não foi inscrito na fase de grupos. Outro ex-campeão é Fábio Santos, que levou o torneio pelo São Paulo e pelo Corinthians.

Na sequência, o Flamengo é quem aparece com mais jogadores (16), sendo quatro ex-campeões, seguido pelo Atlético-PR, com 9 jogadores. O Furacão, que conta com três ex-campeões, é o único dos brasileiros que conta com um técnico que já venceu a competição: Paulo Autuori, campeão pelo Cruzeiro (1997) e São Paulo (2005). Já Santos, Botafogo e Chapecoense têm apenas oito jogadores com experiência na Libertadores.

Jogadores dos clubes brasileiros que estão na Libertadores de 2017 e que já disputaram o torneio anteriormente:

Grêmio (23)
Leonardo Moura, lateral direito (5 part., 36 jogos)
Gastón Fernández, atacante (5 part., 33 jogos) – campeão pelo Estudiantes-ARG (2009)
Marcelo Grohe, goleiro (5 part., 23 jogos)
Bolaños, atacante (5 part., 22 jogos)
Douglas, meia (4 part., 27 jogos) – campeão pelo Corinthians (2012)
Lucas Barríos, atacante (4 part., 17 jogos)
Fernandinho, atacante (3 part., 17 jogos)
Marcelo Oliveira, lateral esquerdo (3 part., 15 jogos)
Maicon, volante (3 part., 13 jogos)
Maxi Rodríguez, meia (3 part., 13 jogos)
Bressan, zagueiro (3 part., 9 jogos)
Edílson, lateral direito (3 part., 9 jogos)
Luan, atacante (2 part., 15 jogos)
Ramiro, volante (2 part., 11 jogos)
Geromel, zagueiro (2 part., 10 jogos)
Kannemann, zagueiro (2 part., 10 jogos) – campeão pelo San Lorenzo-ARG (2014)
Bruno Cortez, lateral esquerdo (1 part., 6 jogos)
Éverton, atacante (1 part., 5 jogos)
Lincoln, meia (1 part., 5 jogos)
Pedro Rocha, atacante (1 part., 3 jogos)
Wallace, lateral direito (1 part., 3 jogos)
Lucas Coelho, atacante (1 part., 2 jogos)
Gabriel, zagueiro (1 part., 1 jogo)
Renato Gaúcho, técnico (1 part., 14 jogos)

Palmeiras (21)
Guerra, volante (8 part., 40 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Jean, lateral direito (7 part., 45 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005)
Alecsandro, atacante (6 part., 44 jogos) – campeão pelo Inter (2010) e Atlético-MG (2013)
Edu Dracena (5 part., 38 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Arouca (5 part., 41 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Zé Roberto, lateral esquerdo (4 part., 33 jogos)
Fernando Prass, goleiro (4 part., 28 jogos)
Mina, zagueiro (3 part., 20 jogos)
Egídio, lateral esquerdo (3 part., 20 jogos)
Dudu, atacante (3 part., 15 jogos)
Willian, atacante (3 part., 26 jogos) – campeão pelo Corinthians (2012)
Michel Bastos, meia (2 part., 20 jogos)
Felipe Melo, volante (2 part., 9 jogos)
Borja, atacante (2 part., 8 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Vítor Hugo, zagueiro (1 part., 6 jogos)
Keno, atacante (1 part., 5 jogos)
Thiago Santos, volante (1 part., 3 jogos)
Rafael Marques, atacante (1 part., 2 jogos)
Erik, atacante (1 part., 2 jogos)
Fabiano, lateral direito (1 part., 1 jogo)
Thiago Martins, zagueiro (1 part., 1 jogo)

Atlético-MG (20)
Leonardo Silva (7 part., 64 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Fábio Santos, lateral esquerdo (7 part., 48 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005) e Corinthians (2012)
Victor, goleiro (6 part., 55 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Robinho, atacante (4 part., 38 jogos)
Marcos Rocha, lateral direito (4 part., 32 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Rafael Moura, atacante (4 part., 23 jogos)
Otero, meia (4 part., 11 jogos)
Luan, atacante (3 part., 25 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Elias, volante (3 part., 23 jogos)
Fred, atacante (3 part., 19 jogos)
Carlos Eduardo, meia (3 part., 17 jogos)
Lucas Cândido, volante (3 part., 4 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Adílson, volante (2 part., 20 jogos)
Rafael Carioca, volante (2 part., 17 jogos)
Giovanni, goleiro (2 part., 2 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Cazares, atacante (1 part., 7 jogos)
Maicosuel, meia (1 part., 5 jogos)
Clayton, atacante (1 part., 4 jogos)
Uilson, goleiro (1 part., 1 jogo)
Carlos César, lateral direito (1 part., 1 jogo) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Roger Machado, técnico (1 part., 8 jogos)

Flamengo (16)
Réver, zagueiro (5 part., 39 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Pará, lateral direito (4 part., 29 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Leandro Damião, atacante (4 part., 28 jogos) – campeão pelo Internacional (2010)
Conca, meia (3 part., 28 jogos)
Berrío, atacante (3 part., 20 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Diego, meia (2 part., 23 jogos)
Donatti, zagueiro (2 part., 15 jogos)
Guerrero, atacante (2 part., 12 jogos)
Juan, zagueiro (2 part., 11 jogos)
Márcio Araújo, volante (1 part., 8 jogos)
Rômulo, volante (1 part., 8 jogos)
Éverton, meia (1 part., 6 jogos)
Cuellar, volante (1 part., 5 jogos)
Gabriel, atacante (1 part., 5 jogos)
Marcelo Cirino, atacante (1 part., 4 jogos)
Mancuello, meia (1 part., 2 jogos)

Atlético-PR (9)
Lucho González, volante (5 part., 37 jogos) – campeão pelo River Plate (2015)
Jonathan, lateral direito (4 part., 38 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Thiago Heleno (3 part., 24 jogos)
Grafite, atacante (3 part., 23 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005)
Paulo André, zagueiro (3 part., 14 jogos)
Léo, lateral direito (2 part., 5 jogos)
Weverton, goleiro (1 part., 8 jogos)
Cléberson, zagueiro (1 part., 7 jogos)
Rafael Galhardo, lateral direito (1 part., 1 jogo)
Paulo Autouri, técnico (4 part., 36 jogos) – campeão pelo Cruzeiro (1997) e São Paulo (2005)

Botafogo (8)
Canales, atacante (3 part., 14 jogos)
Aírton, volante (2 part., 3 jogos)
Jefferson, goleiro (1 part., 8 jogos)
Gatito Fernández, goleiro (1 part., 8 jogos)
Gílson, lateral esquerdo (1 part., 7 jogos)
Joel, atacante (1 part., 5 jogos)
João Paulo, meia (1 part., 4 jogos)
Roger, atacante (1 part., 1 jogo) – campeão pelo São Paulo (2005)

Chapecoense (8)
Wellington Paulista, atacante (3 part., 24 jogos)
Diego Renan, lateral esquerdo (2 part., 16 jogos)
Zeballos, zagueiro (2 part., 10 jogos)
Dodô, meia (2 part., 4 jogos)
Luiz Antônio, volante (1 part., 8 jogos)
Reinaldo, lateral esquerdo (1 part. 7 jogos)
Apodi, lateral direito (1 part., 4 jogos)
Artur, goleiro (1 part., 1 jogo)
Vágner Mancini, técnico (1 part., 5 jogos)

Santos (8)
Thiago Ribeiro, atacante (5 part., 40 jogos)
Leandro Donizete, volante (4 part., 33 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Copete, atacante (4 part., 30 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Renato, volante (3 part., 24 jogos)
Ricardo Oliveira, atacante (3 part., 17 jogos)
Vecchio, meia (3 part., 15 jogos)
David Braz, zagueiro (2 part., 11 jogos)
Vladimir Hernández, meia (2 part., 6 jogos)
Dorival Júnior, técnico (1 part., 5 jogos)

 

]]>
1
Carille tem melhor desempenho entre técnicos estreantes em 2017 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/27/carille-tem-melhor-desempenho-entre-tecnicos-estreantes-em-2017/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/27/carille-tem-melhor-desempenho-entre-tecnicos-estreantes-em-2017/#comments Mon, 27 Feb 2017 14:48:46 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1425 Ex-auxiliar do técnico Tite, Fábio Carille, técnico efetivado no Corinthians desde o início do ano, tem até aqui o melhor desempenho entre os treinadores estreantes das equipes da primeira divisão do Campeonato Brasileiro. O técnico corintiano, em dez jogos na temporada, conseguiu oito vitórias, um empate e sofreu apenas uma derrota. Seu aproveitamento de 83,3% supera o de Abel Braga, do Fluminense, que conquistou 81,5% dos pontos nesse início de temporada.

Fábio Carille, com as vitórias recentes sobre Novorizontino, Palmeiras e Mirassol, levou o Corinthians a ser o time de melhor campanha geral também no Paulistão, com 15 pontos em seis jogos, à frente do Mirassol (13), Palmeiras (12), São Paulo e Ponte Preta (11) e Santos (10).

Outro destaque do time dirigido por Carille até aqui é o seu setor defensivo. Em dez partidas, o Corinthians sofreu apenas cinco gols (dois só na última partida, na vitória por 3 x 2 sobre o Mirassol). A média de 0,5 gol sofrido por partida é a menor também entre as equipes que estrearam treinadores em 2017, superando o Fluminense (0,56) e o Palmeiras (0,75).

Aproveitamento dos técnicos estreantes em 2017*

Técnico Clube J V E D GP GC aprov. %
Fábio Carille Corinthians 10 8 1 1 13 5 83,3
Abel Braga Fluminense 9 7 1 1 22 5 81,5
Roger Machado Atlético-MG 9 7 0 2 18 15 77,8
Antônio Carlos Inter 10 6 3 1 18 9 70,0
Cristóvão Borges Vasco 10 6 0 4 12 12 60,0
Rogério Ceni São Paulo 9 4 4 1 18 13 59,3
Eduardo Baptista Palmeiras 8 4 2 2 14 6 58,3
Vágner Mancini Chapecoense 11 4 4 3 13 12 48,5

 

* Contando jogos oficiais e amistosos e com o Internacional, que está na Série B

]]>
3
Palmeiras leva vantagem sobre o Corinthians em 100 anos de clássico http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/22/palmeiras-leva-vantagem-sobre-o-corinthians-em-100-anos-de-classico/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/22/palmeiras-leva-vantagem-sobre-o-corinthians-em-100-anos-de-classico/#comments Wed, 22 Feb 2017 07:00:58 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1417 Um dos clássicos mais tradicionais do mundo, o Derby Corinthians x Palmeiras completará 100 anos no próximo dia 6 de maio. Hoje, os dois rivais irão se encontrar pela primeira vez no ano do centenário, em jogo válido pela 5ª rodada do Paulistão, na Arena Corinthians.

O jogo, para efeitos de classificação, não tem grande importância. Porém, pelo atual momento das equipes, pelos últimos resultados e pela marca histórica dos 100 anos, o clássico ganha uma dimensão maior.

O Palmeiras, atual campeão brasileiro, não perde para o rival há dois anos. Nos últimos seis jogos, foram dois empates e quatro vitórias do alviverde. Nesse período, o time do Parque Antártica eliminou o Corinthians, nos pênaltis, do Paulistão de 2016, na casa do rival, e conseguiu duas vitórias, pelo Brasileirão, na nova casa corintiana.

Desde 1917, quando se enfrentaram pela primeira vez, Corinthians e Palmeiras já disputaram 351 vezes, com 125 vitórias do alviverde e 120 do alvinegro. A diferença de vitórias do Palmeiras hoje (cinco), já foi até maior (dez ao final da década de 90). Porém, nem sempre o Verdão ficou à frente do Timão no confronto direto. Em 1956, o Corinthians passou à frente (48 vitórias contra 47 do Palmeiras). Essa diferença chegou a ficar 54 x 48 para o Corinthians, em 1958, que manteve vantagem no clássico até 1969. Naquele ano, o Palmeiras voltou a ter mais vitórias do que o rival (66 x 65) e desde então vem mantendo a vantagem.

No século XXI, porém, o desempenho do Corinthians é melhor, apesar desse tabu do Palmeiras nos últimos dois anos. Em 2015, após a vitória corintiana por 1 x 0, no Allianz Parque, pelo Paulistão, a última do alvinegro no clássico, a diferença de vitórias ficou de apenas uma (121 a 120). Nos seis jogos seguintes, porém, o Palmeiras ganhou quatro e empatou duas. Assim, neste século, são 19 vitórias do Corinthians, 16 empates e 14 do Palmeiras.

Estatísticas do clássico Corinthians x Palmeiras, desde 1917:
351 jogos
125 vitórias do Palmeiras
106 empates
120 vitórias do Corinthians
509 gols do Palmeiras
468 gols do Corinthians

No Paulistão
204 jogos
74 vitórias do Corinthians
61 empates
69 vitórias do Palmeiras
277 gols do Corinthians
296 gols do Palmeiras

No Brasileirão
47 jogos
16 vitórias do Palmeiras
17 empates
14 vitórias do Corinthians
58 gols do Palmeiras
46 gols do Corinthians

Disputa de títulos: Palmeiras 6 x 3 Corinthians
1936 – Campeonato Paulista (jogo extra) (Palmeiras)
1951 – Torneio Rio-São Paulo (jogo extra) (Palmeiras)
1954 – Campeonato Paulista (Corinthians)
1974 – Campeonato Paulista (Palmeiras)
1993 – Torneio Rio-São Paulo (Palmeiras)
1993 – Campeonato Paulista (Palmeiras)
1994 – Campeonato Brasileiro (Palmeiras)
1995 – Campeonato Paulista (Corinthians)
1999 – Campeonato Paulista (Corinthians)

Mata-matas: Palmeiras 10 x 9 Corinthians
Além dos títulos acima, os clubes se enfrentam nos seguintes mata-matas:
1977 – Final do 2º turno do Paulistão (Corinthians)
1978 – Quartas de final do 1º turno do Paulistão (Corinthians)
1979 – Semifinal do Paulistão (Corinthians)
1983 – Semifinal do Paulistão (Corinthians)
1986 – Semifinal do Paulistão (Palmeiras)
1999 – Quartas de final da Libertadores (Palmeiras)
2000 – Semifinal da Libertadores (Palmeiras)
2003 – Semifinal do Paulistão (Corinthians)
2011 – Semifinal do Paulistão (Corinthians)
2015 – Semifinal do Paulistão (Palmeiras)

Maiores artilheiros (Corinthians)
Cláudio – 21 gols
Luizinho – 20 gols
Baltazar – 19 gols
Teleco – 16 gols
Marcelinho – 13 gols

Maiores artilheiros (Palmeiras)
Heitor – 16 gols
César Maluco – 14 gols
Romeu – 14 gols
Imparato – 11 gols
Evair – 9 gols

Por estádio:
Pacaembu

151 jogos
60 vitórias do Corinthians
44 empates
47 vitórias do Palmeiras

Morumbi
113 jogos
39 vitórias do Corinthians
36 empates
38 vitórias do Palmeiras

Parque Antártica
40 jogos
21 vitórias do Palmeiras
8 empates
11 vitórias do Corinthians

Parque São Jorge
15 jogos
5 vitórias do Corinthians
5 empates
5 vitórias do Palmeiras

Arena Corinthians
4 jogos
2 vitórias do Palmeiras
1 empate
1 vitória do Corinthians

Allianz Parque
3 jogos
1 vitória do Palmeiras
1 empate
1 vitória do Corinthians

Maiores goleadas
Palmeiras 8 x 0 Corinthians (5/11/1933) – Paulistão e Rio-SP
Palmeiras 6 x 0 Corinthians (25/4/1948) – Pacaembu
Palmeiras 5 x 1 Corinthians (7/5/1933) – Paulistão e Rio-SP
Corinthians 5 x 1 Palmeiras (27/8/1952) – Taça Cidade de São Paulo
Corinthians 5 x 1 Palmeiras (1/8/1982) – Paulistão
Palmeiras 5 x 1 Corinthians (3/8/1986) – Paulistão

Maiores invencibilidades
Palmeiras – 12 jogos (de 4/5/1930 a 5/8/1934)
Corinthians – 10 jogos (de 26/12/1948 a 24/3/1951)
Corinthians – 10 jogos (de 6/7/1952 a 21/7/1954)
Corinthians – 10 jogos (de 22/11/1970 a 4/11/1973)
Corinthians – 10 jogos (de 4/11/2011 a 31/5/2015)

Fonte: Almanaque do Timão (Celso Unzelte)

]]>
33
Os maiores artilheiros em atividade dos 12 grandes http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/21/os-maiores-artilheiros-em-atividade-dos-12-grandes/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/21/os-maiores-artilheiros-em-atividade-dos-12-grandes/#comments Tue, 21 Feb 2017 03:21:49 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1415 Entre os doze grandes clubes do futebol brasileiro, o atacante Ricardo Oliveira, do Santos, é hoje o jogador em atividade dessas equipes com mais gols marcados: 80 em 134 jogos. Em duas passagens pelo clube da Vila Belmiro, o centroavante está bem à frente do segundo colocado no Peixe, o volante Renato, que marcou 30 gols, também em duas passagens pelo Santos. Thiago Ribeiro, que voltou ao clube após duas temporadas fora, é hoje o terceiro maior, seguido de perto por Vítor Bueno e Lucas Lima.

No São Paulo, o meia Cícero, que também volta ao clube em sua segunda passagem, é maior artilheiro, mas com apenas 16 gols. No Corinthians, o meia Danilo, longe do time há mais de seis meses por conta de uma lesão, é ainda o maior artilheiro com 33 gols, seguido por Jadson, que está de volta ao clube. Já no Palmeiras, Dudu, com apenas 26 gols, é o maior artilheiro do atual elenco.

No Rio de Janeiro, dois zagueiros com muitos jogos disputados lideram como os principais artilheiro de Flamengo e Fluminense. Pelo rubro-negro, Juan tem 29 gols, apenas um a mais do que o atacante peruano Guerrero. Já no Fluminense, Gum é o maior artilheiro do tricolor com 25 gols, dois a mais do que Gustavo Scarpa e Marcos Júnior. No Vasco, Nenê, com 35 gols, é o maior artilheiro, seguido de perto por Thalles (33). Já no Botafogo, Sassá lidera com 27 gols.

No Internacional, D’Alessandro, que voltou ao clube após uma temporada no River Plate-ARG, tem 77 gols. Bem à frente de Eduardo Sasha (29) e Valdívia (27). No Grêmio, Luan, com 41 gols, está bem próximo do líder Douglas (42). Já no Atlético-MG, Luan lidera com 36 gols. No Cruzeiro, Arrascaeta é maior artilheiro com 25 gols.

Santos
Ricardo Oliveira – 80 gols (134 jogos)
Renato – 30 gols (352 jogos)
Thiago Ribeiro – 22 gols (82 jogos)
Vítor Bueno – 18 gols (58 jogos)
Lucas Lima – 17 gols (161 jogos)

Palmeiras
Dudu – 26 gols (114 jogos)
Rafael Marques – 21 gols (105 jogos)
Alecsandro – 14 gols (56 jogos)
Victor Hugo – 13 gols (121 jogos)
Lucas Barrios – 13 gols (44 jogos)

Corinthians
Danilo – 33 gols (336 jogos)
Jadson – 24 gols (103 jogos)
Romero – 20 gols (107 jogos)
Jô – 19 gols (121 jogos)
Rodriguinho – 14 gols (85 jogos)

São Paulo
Cícero – 16 gols (97 jogos)
Lugano – 13 gols (202 jogos)
Chávez – 12 gols (25 jogos)
Rodrigo Caio – 11 gols (198 jogos)
Cueva – 9 gols (31 jogos)

Flamengo
Juan – 29 gols (289 jogos)
Guerreo – 28 gols (67 jogos)
Éverton – 28 gols (199 jogos)
Marcelo Cirino – 23 gols (94 jogos)
Gabriel – 21 gols (181 jogos)

Fluminense
Gum – 25 gols (354 jogos)
Gustavo Scarpa – 23 gols (109 jogos)
Marcos Júnior – 23 gols (151 jogos)
Marquinho – 21 gols (181 jogos)
Henrique Dourado – 8 gols (20 jogos)

Vasco
Nenê – 35 gols (87 jogos)
Thalles – 33 gols (136 jogos)
Éder Luiz – 30 gols (206 jogos)
Rodrigo – 18 gols (165 jogos)
Luan – 12 gols (170 jogos)

Botafogo
Sassá – 27 gols (96 jogos)
Rodrigo Pimpão – 14 gols (54 jogos)
Fernandes – 10 gols (69 jogos)
Camilo – 6 gols (33 jogos)
Bruno Silva – 5 gols (56 jogos)

Grêmio
Douglas – 42 gols (229 jogos)
Luan – 41 gols (170 jogos)
Pedro Rocha – 21 gols (88 jogos)
Éverton – 15 gols (96 jogos)
Ramiro – 9 gols (150 jogos)
Bolaños – 9 gols (33 jogos)

Internacional
D’Alessandro – 77 gols (346 jogos)
Eduardo Sasha – 29 gols (126 jogos)
Valdívia – 27 gols (131 jogos)
Ernando – 9 gols (165 jogos)
Paulão – 9 gols (140 jogos)

Atlético-MG
Luan – 36 gols (167 jogos)
Leonardo Silva – 28 gols (282 jogos)
Robinho – 25 gols (55 jogos)
Fred – 15 gols (32 jogos)
Marcos Rocha – 13 gols (262 jogos)

Cruzeiro
Arrascaeta – 25 gols (103 jogos)
Henrique – 23 gols (358 jogos)
Alisson – 19 gols (117 jogos)
Ábila – 18 gols (34 jogos)
Léo – 17 gols (227 jogos)

 

]]>
3
São Paulo ajuda a elevar média de público do Paulistão http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/19/sao-paulo-ajuda-a-elevar-media-de-publico-do-paulistao/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/19/sao-paulo-ajuda-a-elevar-media-de-publico-do-paulistao/#comments Mon, 20 Feb 2017 01:57:28 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1413 Depois de levar 50.952 torcedores na estreia do técnico Rogério Ceni, em casa, diante da Ponte Preta, o São Paulo voltou a ter casa cheia no Morumbi na última rodada. Contra o Mirassol, no empate por 2 x 2, o tricolor recebeu 43.961 pagantes, ficando assim como uma ótima média de 47.457 torcedores por jogo nesse início de campeonato.

Com isso, o São Paulo vem ajudando, e muito, para elevar a média de público do Paulistão. Até aqui, após quatro rodadas, o campeonato tem a média de 9.404 torcedores por jogo. Bem acima da últimas edições dez edições.
Média de público do Paulistão nos últimos anos
2007 – 5.400
2008 – 6.651
2009 – 6.034
2010 – 4.952
2011 – 5.882
2012 – 5.984
2013 – 6.271
2014 – 5.686
2015 – 7.607
2016 – 7.272
2017  – 9.404 (até a 4ª rodada).

A média de público do Paulistão (9.404) é também a maior entre os Estaduais de 2017. No Rio de Janeiro, que contou com uma fase preliminar, antes da entrada dos grandes times, a média é de apenas 2.556 torcedores por jogo. Em Minas Gerais, a média é um pouco melhor (4.913). Já no Rio Grande do Sul, a média é de 3.485 torcedores por partida.

Nos Estaduais, a média de público do São Paulo é também disparada, até aqui, a maior entre os clubes. Dos 12 grandes, além do tricolor paulista, apenas o Palmeiras tem uma média superior a 20 mil torcedores.
Média de público dos 12 grandes nos Estaduais 2017:
São Paulo – 47.457 (2 jogos)
Palmeiras – 24.328 (2 jogos)
Atlético-MG – 17.270 (3 jogos)
Corinthians – 14.877 (2 jogos)
Botafogo – 10.621 (3 jogos)
Santos – 9.181 (3 jogos)
Grêmio – 8.580 (3 jogos)
Internacional – 8.536 (2 jogos)
Flamengo – 7.441 (3 jogos)
Vasco – 7.107 (3 jogos)
Cruzeiro – 4.538 (1 jogo)
Fluminense – 2.328 (2 jogos)

]]>
9
Corinthians: pior ataque entre os grandes em 2017 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/17/corinthians-pior-ataque-entre-os-grandes-em-2017/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/17/corinthians-pior-ataque-entre-os-grandes-em-2017/#comments Fri, 17 Feb 2017 07:00:00 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1407 Com apenas três gols marcados em quatro jogos oficiais em 2017, o Corinthians tem a fraca média de 0,75 gol por partida. A pior entre os 12 grandes clubes do futebol brasileiro em 2017 e a segunda pior média entre os 20 clubes que irão disputar a Série A nesse ano.

Até aqui, o time treinado por Fábio Carille não conseguiu marcar mais de um gol numa só partida. Na estreia do Paulistão, contra o São Bento, venceu por 1 x 0, com gol de pênalti (duvidoso), de Jô. Depois, venceu a Caldense-MG, pela Copa do Brasil, também por 1 x 0, gol de cabeça do meia Rodriguinho. No terceiro jogo, no último sábado, o time perdeu para o Santo André, em casa, por 2 x 0, e perdeu um pênalti – cobrado por Jô. Ontem, venceu o Novorizontino por 1 x 0, em casa, com gol de cabeça do zagueiro Pablo. Três gols (um de pênalti e dois de cabeça) em quatro jogos, sendo apenas um de atacante (Jô).

Em 2016, o Corinthians marcou 101 em 67 jogos e teve média de 1,51 gols por partida. Em 2015, ano do último título, o Brasileirão, marcou 117 gols também em 67 jogos – média de 1,75 por jogo. Agora, nesse início de temporada, a média despencou para 0,75.

Dos 20 clubes da Série A de 2017, apenas a Chapecoense tem média de gols inferior a do Corinthians. O time catarinense, que ainda passa pelo processo de reformulação do elenco após a tragédia de Medellín, marcou 5 gols em 7 jogos (média de 0,71 por partida). Já o Internacional, que disputará a Série B, tem até aqui 8 gols em 6 jogos (média de 1,33 por jogo).

Por outro lado, o Santos é quem tem a melhor média de gols em jogos oficiais na temporada 2017. Em 3 jogos a equipe do técnico Dorival Júnior marcou 10 gols (3,33 por partida). O São Paulo, do técnico Rogério Ceni, marcou 11 gols em 4 jogos (2,75 por partida). No Paulistão, o tricolor marcou 10 gols em 3 jogos. Já o Flamengo, em 6 jogos, marcou 16 gols (média de 2,75 por jogo)

Melhores ataques dos clubes da Série A em 2017:

Clube Gols Jogos Média
Santos 10 3 3,33
São Paulo 11 4 2,75
Flamengo 16 6 2,67
Vitória 19 7 2,71
Fluminense 19 7 2,71
Cruzeiro 13 6 2,17
Ponte Preta 8 4 2,00
Atlético-MG 9 5 1,80
Sport 12 7 1,71
Bahia 12 7 1,71
Vasco 7 5 1,40
Atlético-PR 8 6 1,33
Avaí 10 8 1,25
Botafogo 8 7 1,14
Atlético-GO 5 5 1,00
Grêmio 4 4 1,00
Palmeiras 3 3 1,00
Coritiba 4 5 0,80
Corinthians 3 4 0,75
Chapecoense 5 7 0,71

 

]]>
8
Corinthians lidera ranking histórico de pontos do Paulistão http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/04/corinthians-lidera-ranking-historico-de-pontos-do-paulistao/ http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/02/04/corinthians-lidera-ranking-historico-de-pontos-do-paulistao/#comments Sat, 04 Feb 2017 12:35:09 +0000 http://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/?p=1376 Disputado desde 1902, o Paulistão é o campeonato mais antigo do Brasil. Desde então, 119 clubes já participaram do torneio e 17 deles já venceram o torneio. O Corinthians é o maior campeão com 27 títulos, contra 22 de Palmeiras e Santos e 20 do São Paulo e 11 do extinto Paulistano, até hoje o único a conseguir um tetracampeonato. O Palmeiras é o clube com mais vices (26), seguido por Corinthians (21), São Paulo (19), Santos (11) e Paulistano (10).

Desde 1902, somando todos os pontos, ano a ano (dois até 1994 e três a partir de 1995), o Corinthians é o clube que mais pontuou – e é também o que mais jogou o Paulistão (102 vezes). O alvinegro tem hoje 100 pontos  a mais do que o Palmeiras, segundo colocado. O Santos, que disputa sua 100ª edição do Paulista, é o terceiro colocado, à frente do São Paulo, que jogará em 2017 sua 80ª edição.

Ranking de pontos do Campeonato Paulista (1902-2016). Em azul os clubes que disputam a Série A1 em 2017:

Pos. Clube Pontos Jogos Participações
Corinthians 3654 2485 102
Palmeiras 3554 2422 99
Santos 3330 2415 99
São Paulo 3204 2150 79
Portuguesa 2661 2235 88
Guarani 1980 1845 64
Ponte Preta 1673 1458 50
Juventus 1626 1844 69
Botafogo 1462 1437 49
10º América 1152 1210 41
11º Ferroviária 1150 1225 38
12º XV de Piracicaba 1089 1202 40
13º Noroeste 910 1015 33
14º Portuguesa Santista 874 1053 45
15º São Bento 811 919 30
16º XV de Jaú 781 906 26
17º Mogi Mirim 776 653 27
18º Comercial (RP) 741 833 28
19º Internacional 719 704 23
20º Ypiranga 695 847 47
21º Santo André 658 608 22
22º Ituano 556 466 23
23º Marília 520 604 22
24º Paulistano 514 354 28
25º Paulista 495 523 24
26º Rio Branco 485 407 18
27º Jabaquara/Hespanha 481 701 30
28º Bragantino 468 420 18
29º União São João 450 412 18
30º Nacional/SP Railway 399 544 23
31º São José 387 382 13
32º Taubaté 381 468 14
33º São Caetano 336 238 13
34º Novorizontino 318 331 10
35º SC Internacional 306 370 29
36º AA São Bento 292 341 21
37º Germânia 263 333 27
38º Comercial (SP) 244 384 16
39º AA Palmeiras 243 292 23
40º Linense 225 235 10
41º Araçatuba 181 187 8
42º Sírio 176 213 14
43º União Barbarense 173 138 8
44º Francana 166 206 5
45º Mirassol 152 115 6
46º São Paulo da Floresta 149 91 5
47º Oeste 143 121 7
48º Prudentina 139 174 6
49º Atlético Santista 130 129 7
50º Taquaritinga 121 132 4
51º Matonense 120 103 5
52º Sãocarlense 115 108 4
53º Americano 107 86 9
54º São Paulo Athletic 106 105 11
São Bento 106 124 4
56º Catanduvense 102 181 7
São Bernardo 102 68 4
58º Mackenzie 99 131 13
Olímpia 99 108 4
Guaratinguetá 99 78 4
61º Minas Gerais 95 125 9
62º Esportiva Guaratinguetá 90 120 4
63º Rio Claro 86 68 4
64º Grêmio Barueri 79 57 3
65º Audax 74 49 3
66º Penapolense 63 52 3
67º Estudantes 61 50 4
68º Antarctica 60 69 4
69º Grêmio Prudente 57 40 2
70º Atlético Sorocaba 55 62 4
71º Rio Preto 54 49 1
72º Independência 49 41 3
73º Red Bull Brasil 46 16 1
74º Radium 42 58 2
Saad 42 54 2
76º Paraguaçuense 41 30 1
77º Campos Elíseos 38 30 3
78º São Caetano E.C. 33 27 2
Sertãozinho 33 38 2
80º Portuguesa/Mackenzie 28 50 3
América (SP) 28 52 2
Luzitano 28 69 6
83º Sílex 27 33 4
84º Capivariano 26 15 1
85º União Lapa 24 31 2
86º Bandeirante 23 38 0
Corinthians (PP) 23 34 1
Americana 23 19 1
89º Velo Clube 21 38 1
Grêmio Novorizontino 21 16 1
91º Auto-Audax 19 20 2
92º Independência/Sant’Anna 18 22 1
93º Paulista (SP) 17 47 3
94º Água Santa 16 16 1
95º Brás 15 19 1
96º Monte Azul 15 19 1
97º Primeiro de Maio 14 24 2
98º Alpargatas 13 12 1
Humberto I 13 26 2
100º Maranhão 12 19 2
Sírio Libanês 12 12 1
102º República 11 12 1
103º Wanderers 10 20 2
Vicentino 10 20 2
Alumni 10 8 1
106º Tremembé 9 12 1
Jardim América 9 14 1
108º Ordem e Progresso 8 25 2
109º Ítalo 7 7 1
Payssandu 7 9 1
Barra Funda 7 10 1
Corinthians (SBC) 7 13 1
113º Albion 6 11 1
114º Hydecroft 5 8 1
Ruggerone 5 12 1
116º CA Internacional 4 19 2
117º Britânia 2 14 1
Sant’Anna 2 12 1
119º Independente 0 2 1
]]>
9