Futebol em Números

Arquivo : São Paulo

As maiores goleadas dos brasileiros na Libertadores como visitantes
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Nesta semana, o Atlético-MG conseguiu a maior goleada de um clube brasileiro na Libertadores ao bater o Sport Boys, da Bolívia, por 5 x 1, na cidade de Warnes, próxima a Santa Cruz de la Sierra. A goleada foi também a maior do Galo fora de casa em sua história na competição, superando os 5 x 2 sobre o Arsenal de Sarandí-ARG, em 2013.

O resultado do Atlético-MG da última quarta-feira chegou perto também da maior goleada de um clube brasileiro como visitante na história da Libertadores, desde 1960, que foi o 6 x 0 do Fluminense sobre o Deportivo Itália-VEN, em 1961. O 5 x 1 do Galo foi a terceira maior vitória de um time brasileiro fora de casa em 58 edições do torneio sul-americano.

As maiores goleados dos clubes brasileiros fora do país na Libertadores, desde 1960:
17/2/1961 – Deportivo Italia-VEN 0 x 6 Fluminense (fase de grupos)
27/3/2003 – Cerro Porteño-PAR 2 x 6 Paysandu (fase de grupos)
13/2/1965 – Universidad de Chile-CHI 1 x 5 Santos (fase de grupos)
3/5/2017 – Sport Boys-BOL 1 x 5 Atlético-MG (fase de grupos)
25/2/2003 – América de Cali-COL 1 x 5 Santos (fase de grupos)
12/5/1976 – Alianza Lima-PER 0 x 4 Cruzeiro (fase de grupos)
17/7/1977 – Portuguesa-VEN 0 x 4 Cruzeiro (fase de grupos)
4/3/1997 – Alianza Lima-PER 0 x 4 Grêmio (fase de grupos)
17/4/2015 – Universidad de Chile-CHI 0 x 4 Internacional (fase de grupos)
13/3/1979 – Universitario-PER 2 x 5 Palmeiras (fase de grupos)
3/3/1999 – Cerro Porteño-PAR 2 x 5 Palmeiras (fase de grupos)
27/3/2013 – Arsenal-ARG 2 x 5 Atlético-MG (fase de grupos)
14/3/2001 – Sport Boys-PER 1 x 4 Palmeiras (fase de grupos)
25/3/2003 – 12 de Octubre-PAR 1 x 4 Santos (fase de grupos)
26/5/2004 – Deportivo Táchira-VEN 1 x 4 São Paulo (quartas de final)
16/3/2011 – Jorge Wilstermann-BOL 1 x 4 Internacional (fase de grupos)
30/8/1962 – Penãrol-URU 0 x 3 Santos (final)*
22/2/1967 – Deportivo Italia-VEN 0 x 3 Cruzeiro (fase de grupos)
10/2/1971 – Deportivo Italia-VEN 0 x 3 Palmeiras (fase de grupos)
28/2/1979 – Alianza Lima-PER 0 x 3 Guarani (fase de grupos)
22/10/1982 – River Plate-ARG 0 x 3 Flamengo (fase semifinal)
3/4/1984 – Junior-COL 0 x 3 Santos (fase de grupos)
29/6/1984 – ULA-VEN 0 x 3 Flamengo (fase de grupos)
17/3/1992 – San José-BOL 0 x 3 São Paulo (fase de grupos)
25/4/1995 – Olimpia-PAR 0 x 3 Grêmio (oitavas de final)
16/2/2000 – Alianza Lima-PER 0 x 3 Atlético-PR (fase de grupos)
14/3/2001 – América de Cali-COL 0 x 3 Vasco (fase de grupos)
28/3/2002 – Alianza Lima-PER 0 x 3 São Caetano (fase de grupos)
10/8/2008 – Cienciano-PER 0 x 3 Flamengo (fase de grupos)
6/5/2010 – Nacional-URU 0 x 3 Cruzeiro (oitavas de final)
14/4/2011 – Estudiantes-ARG 0 x 3 Cruzeiro (fase de grupos)
* campo neutro

As maiores goleadas dos times brasileiros como visitantes, no Brasil, na Libertadores:
20/4/1984 – Santos 0 x 5 Flamengo (fase de grupos)
28/8/1963 – Botafogo 0 x 4 Santos (semifinal)
25/3/1979 – Palmeiras 1 x 4 Guarani (fase de grupos)
21/2/2013 – Fluminense 0 x 3 Grêmio (fase de grupos)
16/5/1996 – Corinthians 0 x 3 Grêmio (quartas de final)


Corinthians: 21 vitórias em 31 jogos de mata-mata contra o São Paulo
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Com a vitória por 2 x 0 sobre o São Paulo, hoje, no Morumbi, o Corinthians manteve a escrita de levar vantagem sobre o rival em jogos de mata-mata e também na casa do adversário. No 31º jogo entre os dois times válido por partidas de mata-mata, o alvinegro alcançou sua 21ª vitória. Em todos esses duelos decisivos, o Timão venceu 67,7% dos encontros, contra apenas 16,1% do São Paulo, que ganhou 5 jogos – outros 5 terminaram empatados.

Vencedor dos últimos seis confrontos de mata-mata contra o São Paulo, desde 2002, o Corinthians chegou a 10 vitórias nos últimos 12 jogos de mata-mata – houve ainda mais dois empates. Desde a semifinal de 2000 o São Paulo não vence o rival em jogos de mata-mata.

No Morumbi, o Corinthians também chegou hoje a sua 50ª vitória sobre o São Paulo, que tem 36 vitórias contra o rival em sua casa – os times empataram outros 56 jogos.

Com o resultado de hoje, o Tricolor caminha para a sua nona eliminação em semifinais do Paulistão em suas últimas nove participações em semifinais da competição. Campeão Paulista pela última vez em 2005 (no sistema de pontos corridos), o São Paulo foi eliminado pelo São Caetano em 2007, Palmeiras (2008), Corinthians (2009), Santos (2010, 2011 e 2012), Corinthians (2013) e Santos (2015). Em 2014, o time caiu nas quartas de final diante da Penapolense.

Mata-matas entre Corinthians x São Paulo
1977 – Semifinal do 2º turno do Campeonato Paulista (Corinthians)
2/10 – Corinthians 2 x 1 São Paulo

1982 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
8/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians
12/12 – Corinthians 3 x 1 São Paulo

1983 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
11/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians
14/12 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

1987 – Final do Campeonato Paulista (São Paulo)
26/8 – Corinthians 1 x 2 São Paulo
30/8 – São Paulo 0 x 0 Corinthians

1990 – Final do Campeonato Brasileiro (Corinthians)
13/12 – Corinthians 1 x 0 São Paulo
16/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians

1994 – Semifinal da Copa Conmebol (São Paulo)
2/12 – Corinthians 3 x 4 São Paulo
9/12 – São Paulo 2 (5) x 3 (4) Corinthians

1998 – Final do Campeonato Paulista (São Paulo)
3/5 – Corinthians 2 x 1 São Paulo
10/5 – São Paulo 3 x 1 Corinthians

1999 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
6/6 – Corinthians 4 x 0 São Paulo
9/6 – São Paulo 1 x 1 Corinthians

1999 – Semifinal do Campeonato Brasileiro (Corinthians)
28/11- São Paulo 2 x 3 Corinthians
5/12 – Corinthians 2 x 1 São Paulo

2000 – Semifinal do Campeonato Paulista (São Paulo)
28/5 – São Paulo 3 x 1 Corinthians
3/6 – Corinthians 0 x 2 São Paulo

2002 – Semifinal da Copa do Brasil (Corinthians)
24/4- São Paulo 0 x 2 Corinthians
1/5 – Corinthians 1 x 2 São Paulo

2002 – Final do Rio-São Paulo (Corinthians)
5/5 – São Paulo 2 x 3 Corinthians
12/5 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

2003 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
16/3 – Corinthians 3 x 2 São Paulo
22/3 – São Paulo 2 x 3 Corinthians

2009 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
12/4 – Corinthians 2 x 1 São Paulo
19/3 – São Paulo 0 x 2 Corinthians

2009 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
5/5 – São Paulo 0 (3) x 0 (4) Corinthians

2013 – Final da Recopa Sul-Americana (Corinthians)
3/7 – São Paulo 1 x 2 Corinthians
17/7 – Corinthians 2 x 0 São Paulo

2016 – Semifinal do Campeonato Paulista
16/4 – São Paulo 0 x 2 Corinthians
23/4 – Corinthians x São Paulo

Confrontos decisivos em pontos corridos (última rodada, quando os dois times com chance de título):
1938 – Campeonato Paulista (Corinthians)
23/4/39 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

1957 – Campeonato Paulista (São Paulo)
29/12 – São Paulo 3 x 1 Corinthians

1997 – Campeonato Paulista (Corinthians)
5/6 – Corinthians 1 x 1 São Paulo


Zé Roberto, Verón e os mais velhos a jogar na Libertadores
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O volante Juan Sebestián Verón voltou a jogar ontem, pelo Estudiantes (na derrota para o Barcelona-EQU, em casa (0 x 2)), e se tornou o argentino mais velho a entrar em campo numa partida da Copa Libertadores – 42 anos, 1 mês e 3 dias.

Hoje, o lateral-esquerdo Zé Roberto, do Palmeiras, entrará em campo para enfrentar o Peñarol-URU com 42 anos, 9 meses e 6 dias. Brasileiro mais velho a jogar na história da Copa Libertadores, Zé Roberto está próximo de superar a marca do goleiro colombiano Mondragón, o segundo mais velho a entrar em campo na Libertadores. Em 2014, defendendo o Deportivo Cali-COL, Mondragón fez sua última partida com 42 anos, 9 meses e 19 dias. O goleiro colombiano, no mesmo ano, se tornou o jogador mais velho a jogar uma partida na história da Copa do Mundo.

Zé Roberto, caso volte a jogar contra o Peñarol-URU, em Montevidéu, no dia 26 de abril, irá superar a marca de Mondragón na Libertadores por um dia. Assim, poderá se tornar o segundo mais velho, atrás apenas do peruano Vicente Villanueva (José Vicente Villanueva Vergara), que em 1968, pelo Sporting Cristal-PER, jogou uma partida da Libertadores com 43 anos e 10 meses. Para quebrar esse recorde, Zé Roberto precisará jogar mais uma edição da Libertadores e pelo menos até o mês de junho de 2018. Difícil, mas não improvável.

Entre os brasileiros, depois de Zé Roberto, o goleiro Rogério Ceni é o segundo mais velho. Em 2015, ele defendeu o São Paulo com 42 anos, 3 meses e 22 dias.

Jogadores mais velhos a entrar em campo na história da Copa Libertadores (1960-2017):
1º – Vicente Villanueva (43 anos e 10 meses)
Atacante, peruano, do Sporting Cristal-PER. Nasceu dia 10/6/1924
Peñarol-URU 1 x 1 Sporting Cristal-PER (10/4/1968)

2º – Faryd Mondragón (42 anos, 9 meses e 19 dias)
Goleiro, colombiano, do Deportivo Cali-COL. Nasceu dia 21/6/1971
Cerro Porteño-PAR 3 x 2 Deportivo Cali-COL (9/4/2014)

3º – Zé Roberto (42 anos, 8 meses e 3 dias)
Lateral-esquerdo, brasileiro, do Palmeiras. Nasceu dia 6/7/1974
Atlético Tucumán-ARG 1 x 1 Palmeiras (9/3/2017)
Palmeiras x Peñarol-URU (12/4/2017) – Se jogar, terá 42 anos, 9 meses e 6 dias
Peñarol-URU  x Palmeiras (26/4/2017) – Se jogar, terá 42 anos, 9 meses e 20 dias

4º – Rogério Ceni (42 anos, 3 meses e 22 dias)
Goleiro, brasileiro, do São Paulo. Nasceu dia 22/1/1973
Cruzeiro 1 x 0 São Paulo (14/5/2015)

5º – Éver Almeida (42 anos, 3 meses e 9 dias)
Goleiro, uruguaio, naturalizado paraguaio, do Olimpia-PAR. Nasceu dia 1/7/1948
Barcelona-EQU 1 x 1 Olimpia-PAR (10/10/1990)

6º – Juan Sebastián Verón (42 anos, 1 mês e 3 dias)
Volante, argentino, do Estudiantes-ARG. Nasceu dia 9/3/1975
Estudiantes-ARG 0 x 2 Barcelona-EQU (11/4/2017)

7º – Hugo Gatti (41 anos, 11 meses e 19 dias)
Goleiro, argentino, do Boca Juniors-ARG. Nasceu dia 19/8/1944
Boca Juniors-ARG 3 x 2 Montevideo Wanderers-URU (7/8/1986)

8º – Oscar Aguirregaray (41 anos, 7 meses e 7 dias)
Zagueiro, uruguaio, do Peñarol-URU. Nasceu dia 25/9/1959
Peñarol-URU 1 x 3 Vasco (2/5/2001)

9º – Raul Ramon Navarro (41 anos, 2 meses e 5 dias)
Goleiro, argentina, do Tolima-COL. Nasceu dia 22/2/1942
Tolima-COL 1 x 1 Universitario-PER (27/3/1983)

10º – Francisco Ruíz (41 anos, 2 meses e 5 dias)
Goleiro, argentina, do San José-BOL. Nasceu dia 26/2/1951
Criciúma 5 x 0 San José-BOL (11/4/1992)


Corinthians leva ampla vantagem sobre São Paulo em mata-matas
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Corinthians e São Paulo farão uma das semifinais do Paulistão de 2017 e voltarão a se encontrar em mata-matas depois de quatro anos – a última foi na final da Recopa Sul-Americana, em 2013. Em toda a história, os clubes já se enfrentaram em 17 mata-matas, além de três jogos diretos que definiram campeonatos em fases de pontos corridos. No geral, desses 17 mata-matas, o Corinthians venceu 12 e o São Paulo 5 deles. Somando os três jogos decisivos, são 14 triunfos corintianos contra 6 do tricolor.

Além da vantagem geral, o Corinthians vem também se dando melhor recentemente, ao vencer os últimos seis mata-matas seguidos contra o rival. A última vitória são-paulina em mata-matas sobre o Corinthians foi na semifinal do Paulistão de 2000. Desde então, o Corinthians eliminou o rival na semifinal da Copa do Brasil de 2002, foi campeão sobre o São Paulo na final do Rio-São Paulo de 2002, na final do Paulistão de 2003, voltou a eliminar o time do Morumbi nas semifinais dos Paulistas de 2009 e 2013 e depois ganhou a Recopa Sul-Americana de 2013.

Em Campeonatos Paulistas, Corinthians e São Paulo fizeram a maioria dos mata-matas – 11 confrontos. Destes, foram seis finais, com três vitórias para cada lado (Corinthians em 1982, 1983 e 2003 e São Paulo em 1987, 1991 e 1998). Em semifinais, foram quatro mata-matas, com três vitórias corintianas (1999, 2009 e 2013) e uma são-paulina (2000). O outro mata-mata foi pela semifinal do 2º turno do Paulistão de 1977 e deu Corinthians.

Nesses 17 mata-matas entre os dois clubes, foram realizados 30 jogos, com 20 vitórias do Corinthians, 5 empates e apenas 5 vitórias do São Paulo.

Mata-matas entre Corinthians x São Paulo
1977 – Semifinal do 2º turno do Campeonato Paulista (Corinthians)
2/10 – Corinthians 2 x 1 São Paulo

1982 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
8/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians
12/12 – Corinthians 3 x 1 São Paulo

1983 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
11/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians
14/12 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

1987 – Final do Campeonato Paulista (São Paulo)
26/8 – Corinthians 1 x 2 São Paulo
30/8 – São Paulo 0 x 0 Corinthians

1990 – Final do Campeonato Brasileiro (Corinthians)
13/12 – Corinthians 1 x 0 São Paulo
16/12 – São Paulo 0 x 1 Corinthians

1994 – Semifinal da Copa Conmebol (São Paulo)
2/12 – Corinthians 3 x 4 São Paulo
9/12 – São Paulo 2 (5) x 3 (4) Corinthians

1998 – Final do Campeonato Paulista (São Paulo)
3/5 – Corinthians 2 x 1 São Paulo
10/5 – São Paulo 3 x 1 Corinthians

1999 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
6/6 – Corinthians 4 x 0 São Paulo
9/6 – São Paulo 1 x 1 Corinthians

1999 – Semifinal do Campeonato Brasileiro (Corinthians)
28/11- São Paulo 2 x 3 Corinthians
5/12 – Corinthians 2 x 1 São Paulo

2000 – Semifinal do Campeonato Paulista (São Paulo)
28/5 – São Paulo 3 x 1 Corinthians
3/6 – Corinthians 0 x 2 São Paulo

2002 – Semifinal da Copa do Brasil (Corinthians)
24/4- São Paulo 0 x 2 Corinthians
1/5 – Corinthians 1 x 2 São Paulo

2002 – Final do Rio-São Paulo (Corinthians)
5/5 – São Paulo 2 x 3 Corinthians
12/5 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

2003 – Final do Campeonato Paulista (Corinthians)
16/3 – Corinthians 3 x 2 São Paulo
22/3 – São Paulo 2 x 3 Corinthians

2009 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
12/4 – Corinthians 2 x 1 São Paulo
19/3 – São Paulo 0 x 2 Corinthians

2009 – Semifinal do Campeonato Paulista (Corinthians)
5/5 – São Paulo 0 (3) x 0 (4) Corinthians

2013 – Final da Recopa Sul-Americana (Corinthians)
3/7 – São Paulo 1 x 2 Corinthians
17/7 – Corinthians 2 x 0 São Paulo

Confrontos decisivos em pontos corridos (última rodada, quando os dois times com chance de título):
1938 – Campeonato Paulista (Corinthians)
23/4/39 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

1957 – Campeonato Paulista (São Paulo)
29/12 – São Paulo 3 x 1 Corinthians

1997 – Campeonato Paulista (Corinthians)
5/6 – Corinthians 1 x 1 São Paulo

No histórico geral do clássico, o Corinthians também leva vantagem sobre o São Paulo. Desde 1936, em 315 jogos, foram 121 vitórias do alvinegro, 101 empates e 93 vitórias do tricolor, além de 459 gols do Corinthians e 415 do São Paulo.

No Morumbi, palco do primeiro jogo da semifinal, os times se enfrentam 141 vezes e o Corinthians também tem um retrospecto positivo: 49 vitórias, 56 empates e 36 derrotas. Já na Arena Corinthians, desde 2014, foram cinco jogos , quatro vitórias corintianas (inclusive a maior goleada do clássico – 6 x 1, em 2015), e um empate.

 


Paulistão: semifinal sem todos os 4 grandes é mais comum
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Realizado desde 1902, o Campeonato Paulista teve durante muito tempo o torneio disputado no sistema de pontos corridos – e eventuais jogos extras de desempate entre os dois primeiros para se decidir o campeão. A partir da década de 1970, a Federação Paulista passou a criar regulamentos bem diferentes. E desde 1978 o Paulistão passou a ter semifinais e finais, mas não regularmente – algo que vem acontecendo desde 2007.

Até hoje, então, foram disputadas 23 edições que contaram com semifinal e final e jogos de mata-mata para se definir o campeão (em 2017 será a 24ª vez). E nessas 23 edições, apenas sete delas contaram com a presença dos quatro grandes (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo). Nas outras 16 edições, a fase semifinal da competição contou com a participação de pelo menos uma equipe do interior. Agora, em 2017, Palmeiras, Corinthians e São Paulo já confirmaram suas vagas nas semifinais. Amanhã, Ponte Preta e Santos decidirão a última vaga.

Desde 1978, o São Paulo é o clube que mais vezes chegou à semifinal. Das 24 edições, o tricolor esteve entre os quatro primeiros 18 vezes (contanto 2017), seguido por Palmeiras e Santos (17) e Corinthians (16). O alvinegro da capital, porém, é quem tem o melhor desempenho. Em suas 15 semifinais disputadas anteriormente, venceu 10 e perdeu 5 (66,7% de aproveitamento), seguido por Santos (64,7% – passou em 11 e caiu em 6); São Paulo (47,1% – passou em 8 e caiu em 9); e Palmeiras (apenas 25% – venceu 4 e foi eliminado 12 semifinais).

Nas sete semifinais que só contaram com os quatro grandes, o Corinthians também é quem tem o melhor desempenho (venceu 5 e perdeu 2). O Santos venceu 4 e perdeu 3; o São Paulo venceu 3 e perdeu 4; e o Palmeiras ganhou 2 e perdeu 5. Dessas sete edições, o Corinthians foi campeão em três (1983, 1999 e 2009), o Santos em duas (2011 e 2015) e o São Paulo também em duas (1987 e 2000). O Palmeiras nunca foi campeão quando chegou à semifinal com os quatro grandes. Das quatro vezes que o Palmeiras conseguiu se classificar para a final, em 16 semifinais, o time foi campeão uma vez (2008, contra a Ponte Preta). O alviverde foi vice em 1986, 1999 e 2015, perdendo para Inter de Limeira, Corinthians e Santos, respectivamente.

Das 23 edições que tiveram semifinais, o Corinthians foi campeão em 7 (1979, 1983, 1999, 2001, 2003, 2009 e 2013), o Santos também foi campeão 7 vezes (1978, 2007, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2016), o São Paulo ganhou 5 (1985, 1987, 1989, 1998 e 2000), enquanto Inter de Limeira (1986), Ituano (2014), Palmeiras (2008), e São Caetano  (2004) foram campeões uma vez.

O São Paulo, nas 17 semifinais que disputou, foi eliminado em 9 delas, sendo 8 nas últimas 8 vezes que jogou. O tricolor caiu para São Caetano (2007), Palmeiras (2008), Corinthians (2009 e 2013) e Santos (2010, 2011, 2012 e 2015).

Nos confrontos entre os grandes, o Corinthians é quem teve mais vitórias nos duelos de semifinais do Paulistão:
Vitórias do Corinthians sobre…
Palmeiras (1979, 1983, 2003, 2011); São Paulo (1999, 2009, 2013); e Santos (1987, 2001)

Vitórias do Santos sobre…
São Paulo (2010, 2011, 2012, 2015); e Palmeiras (2000, 2009, 2016)

Vitórias do São Paulo sobre…
Palmeiras (1978, 1987, 1998); Santos (1983); e Corinthians (2000)

Vitórias do Palmeiras sobre…
Corinthians (1986 e 2015); São Paulo (2008); e Santos (1999)

Por enquanto, o Palmeiras, time de melhor campanha geral no Paulistão de 2017, vai pegar o vencedor de Ponte Preta e Santos – em caso de empate no jogo de amanhã entre Ponte x Santos ou em caso de vitória do Santos. Com essas combinações, o Corinthians, 2ª melhor campanha, pegará o São Paulo. Caso a Ponte Preta vença amanhã, as semifinais serão Palmeiras x São Paulo e Corinthians x Ponte Preta, que seria um confronto inédito nessa fase.

Todas as semifinais do Paulistão na história do Paulistão (em negrito quem avançou para a final no mesmo ano):
1978
Santos x Guarani
São Paulo x Palmeiras

1979
Ponte Preta x Guarani
Corinthians x Palmeiras

1983
São Paulo x Santos
Corinthians x Palmeiras

1985
São Paulo x Guarani
Portuguesa x Ferroviária

1986
Palmeiras x Corinthians
Inter de Limeira x Santos

1987
São Paulo x Palmeiras
Corinthians x Santos

1989
São Paulo x Bragantino
São José x Corinthians

1998
Corinthians x Portuguesa
São Paulo x Palmeiras

1999
Palmeiras x Santos
Corinthians x São Paulo

2000
Santos x Palmeiras
São Paulo x Corinthians

2001
Botafogo x Ponte Preta
Corinthians x Santos

2003
Corinthians x Palmeiras
São Paulo x Portuguesa Santista

2004
Paulista x Palmeiras
São Caetano x Santos

2007
Santos x Bragantino
São Caetano x São Paulo

2008
Ponte Preta x Guaratinguetá
Palmeiras x São Paulo

2009
Santos x Palmeiras
Corinthians x São Paulo

2010
Santos x São Paulo
Santo André x Grêmio Prudente

2011
Santos x São Paulo
Corinthians x Palmeiras

2012
Guarani x Ponte Preta
Santos x São Paulo

2013
Corinthians x São Paulo
Santos x Mogi Mirim

2014
Santos x Penapolense
Ituano x Palmeiras

2015
Santos x São Paulo
Palmeiras x Corinthians

2016
Audax x Corinthians
Santos x Palmeiras

Desempenho dos clubes nas semifinais dos Paulistas (1978 a 2016):

ClubeSemifinaisVencidasPerdidas
Santos17116
São Paulo1789
Palmeiras16412
Corinthians15105
Ponte Preta422
Guarani413
São Caetano220
Portuguesa211
Bragantino202
Inter de Limeira110
São José110
Botafogo110
Paulista110
Santo André110
Ituano110
Audax110
Ferroviária101
Portuguesa Santista101
Guaratinguetá101
Grêmio Prudente101
Mogi Mirim101
Penapolense101

São Paulo: brasileiro com melhor desempenho na Copa Sul-Americana
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Assim como na Libertadores, onde é o clube brasileiro com mais pontos, jogos, títulos (ao lado do Santos) e finais disputadas, o São Paulo é também o time do Brasil com o melhor desempenho na Copa Sul-Americana. Com um título (2012), ao lado de Internacional (2009) e Chapecoense (2016), o Tricolor é o clube brasileiro que mais vezes participou da competição desde 2002 (nove vezes), o que tem mais partidas disputadas (50), mais vitórias (21),  ataque mais positivo (72 gols) e mais pontos conquistados (80).

Entre os 35 clubes brasileiros que já disputaram a Sul-Americana desde 2002, o que tem o melhor aproveitamento de pontos é o Santa Cruz (58,3%), porém, com apenas quatro jogos disputados. Entre aqueles com mais de dez jogos, o Inter é o time como melhor aproveitamento (55,2%), seguido pelo Fluminense (53,8%) e o São Paulo (53,3%).

Na história da Copa Sul-Americana, o Atlético Nacional-COL é o clube que mais pontos conquistou até aqui (99), seguido pelo LDU Quito-EQU (91), Cerro Porteño-PAR (80) e São Paulo (80).

Nessa semana, os seis clubes brasileiros farão sua estreia na competição. O Corinthians, que jogou quatro vezes o torneio, pega a Universidad de Chile-CHI. A Ponte Preta, vice-campeã em 2013, jogará contra o Gimnasia y Esgrima de La Plata-ARG. O Sport enfrentará o Danubio-URU, o Cruzeiro pegará o Nacional-PAR, o Fluminense jogará contra o Livepool-URU, enquanto o São Paulo terá pela frente o Defensa y Justicia-ARG.

Ranking de pontos da Copa Sul-Americana (2002-2016):

ClubePGJVEDPart.
Atlético Nacional-COL99562815137
LDU Quito-EQU915726131810
Cerro Porteño-PAR805522141911
São Paulo80502117129
Libertad-PAR75522292112
River Plate-ARG735019161511
Univ. Católica-CHI72501915169
San Lorenzo-ARG7142218139
Emelec-EQU6238188128
Univ. de Chile-CHI613218776
Boca Juniors-ARG574214151310
Lanús-ARG5634151188
Internacional5332131456
Independiente-ARG5134131297
Arsenal-ARG4629121076
Bolívar-BOL4633137139
Defensor-URU4431111196
Nacional-URU4328134116
Colo-Colo-CHI422412664
Fluminense422611965
Santa Fe-COL4228101264
Vélez Sarsfield-ARG4232119127
Goiás3930109117
Botafogo382411586
Barcelona-EQU362410687
Estudiantes-ARG3626106107
River Plate-URU362011365
Millonarios-COL35249874
Cienciano-PER341810443
Tolima-COL342581076
Atlético-PR33249696
Palmeiras3222102105
Peñarol-URU32189545
Junior-COL31189453
Olimpia-PAR31228775
Santos30228685
Dep. Quito-EQU28149144
El Nacional-EQU28149143
Vasco262082105
Rionegro Águilas-COL25157444
The Strongest-BOL25167454
Sportivo Luqueño-PAR24156633
LDU de Loja-EQU23146533
Cruzeiro20146265
Guaraní-PAR20165565
Huracán-ARG20115512
Pachuca-MEX20106222
Universitario-PER202055107
Vitória20146265
América-MEX19126152
Chapecoense19144732
Grêmio19145455
Mineros-VEN19145454
Tigre-ARG18145363
Bahia17125254
Coritiba17165295
Ponte Preta17124532
Argentinos Juniors-ARG16144464
Banfield-ARG16144465
Chivas-MEX16124442
Corinthians16144464
Deportivo Cali-COL16134456
Flamengo16144465
Palestino-CHI1695132
Oriente Petrolero-BOL15124355
Universitario Sucre-BOL15164394
Atlético-MG14163586
Dep. La Guaira-VEN14123543
Nacional-PAR14123543
Alianza Atlético-PER13123453
Alianza Lima-PER13104153
Anzoátegui-VEN13153487
Colón-ARG1384132
Deportivo Pasto-COL1384132
La Equidad-COL13143474
Bolognesi-PER1284043
Gimnasia La Plata-ARG12103343
Huachipato-CHI12104063
Ind. Medellín-COL12103342
Indep. del Valle-EQU1283322
Pumas-MEX1283321
Univ. César Vallejo-PER12123363
Aurora-BOL11123274
Cobreloa-CHI11102533
Deportivo Capiatá-PAR1163211
Liverpool-URU1183232
M. Wanderers-URU1182512
Real Potosí-BOL11103254
São Caetano1182512
América de Cali-COL1083142
Belgrano-ARG1083143
Danubio-URU10161788
Racing-ARG1093154
Santiago Wanderers-CHI1083143
Univ. Concepción-CHI1083143
Univ. San Martín-PER1083143
Caracas-VEN972323
Figueirense981614
Newell’s Old Boys-ARG982332
Toluca-MEX963031
Trujillanos-VEN9122375
Blooming-BOL8122285
San José-BOL882243
Sport8122284
Avaí762131
Deportes Iquique-CHI762133
General Diaz-PAR742111
Petare-VEN762132
Rosario Central-ARG781433
Santa Cruz742111
Sol de América-PAR761411
Sport Huancayo-PER792164
Universidad Catolica-CHI781433
Audax Italiano-CHI641301
Carabobo-VEM6101364
Melgar-PER642022
Monagas-VEN682063
Nacional Potosí-BOL632012
O’Higgins-CHI651313
Olmedo-EQU642021
San Luis-MEX642021
At. Huila-COL541211
Atlético-GO541211
Brasília541211
Deportivo Lara-VEN581254
Envigado-COL541211
Juventud-URU541211
Unión Española-CHI541211
Unión San Felipe-CHI541211
Aucas-EQU461143
Criciúma441122
DC United-EUA441122
Fénix-URU441122
Godoy Cruz-ARG460422
Real Garcilaso-PER441121
Sport Áncash-PER441121
Tacuary-PAR460422
Atlético Venezuela-VEN311001
Boston River-URU311001
Ceará321011
Cuiabá321011
Jorge Wilstermann-BOL360333
Juventude321011
Náutico321011
Ñublense-CHI321011
Osorno-CHI321011
Paraná341032
Plaza Colonia-URU321011
Rentistas-URU321011
Zamora-VEN3100374
Unión Comercio-PER240222
Aragua-VEN120111
Ayacucho-PER160153
Bella Vista-URU120111
Central Español-URU120111
Cerro Largo-URU120111
Cobresal-CHI120111
Dep. Táchira-VEN140132
Grêmio Barueri120111
Portuguesa120111
Quilmes-ARG120111
UA Maracaibo-VEN120111
Univ. Técnica-PER120111
Yaracuyanos-VEN120111
Alajuelense-CRC020021
Comerciantes Unidos-PER010011
Deportivo Municipal-PER020021
El Tanque Sisley-URU020021
Fuerza Amarilla-EQU010011
Joinville020021
Juan Aurich-PER050053
La Paz-BOL020021
León de Huánuco-PER040042
Motagua-VEN020021

Tags : São Paulo


Guerrero, Cueva e Ábila: gringos com mais gols no Brasil em 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

A cada ano que passa, os clubes brasileiros, principalmente aqueles que disputam a Série A, aumentam o número de estrangeiros em seus elencos. Em 2017, já são 66 gringos espalhados pelos 20 clubes. Desses, 38 atuam como meio-campistas ou atacantes. E entre eles, os peruanos Guerrero, do Flamengo, e Cueva, do São Paulo, e Ábila, do Cruzeiro, são os que mais marcaram gols até aqui na temporada 2017.

Guerrero marcou 7 gols pelo rubro-negro em 10 partidas, todas pelo Campeonato Carioca, onde é vice-artilheiro. Já o meia Cueva tem 7 gols em 11 jogos pelo tricolor paulista – 2 na Copa do Brasil e 5 do Paulistão. Outro gringo com 7 gols na temporada é o argentino Ábila, do Cruzeiro, que marcou em 12 jogos.

Curiosamente, nenhum estrangeiro é artilheiro de alguma competição realizada nesse primeiro semestre (estaduais, regionais, primeira liga, Copa do Brasil ou Libertadores). Guerrero, Ábila e Cueva são os que mais se aproximam dos artilheiros nos Estaduais.

Outro detalhe é que os peruanos são os jogadores com as melhores médias de gols. Os quatro que atuam no Brasil (Guerrero, Cueva, Beto da Silva (Grêmio) e Traucco (Flamengo)), marcaram juntos 16 gols em 36 jogos (0,44 por partida). Os argentinos fizeram mais gols (26), porém em mais jogos (109), ficando com média de 0,24 por jogo. Os equatorianos vêm depois com mais gols (10), seguidos pelos colombianos (9), venezuelanos (5), uruguaios (4), paraguaios (2), chilenos, camaroneses e turcos (1).

Na média de gols, o argentino Pratto é que tem a melhor média (0,71), com 5 gols em 7 jogos. Na temporada, porém, ele tem mais dois jogos pelo Atlético-MG, onde não marcou. Assim, no total, Guerrero segue como o melhor (0,70) – 7 gols em 10 jogos.

Entre os clubes com mais gols de gringos nessa temporada, São Paulo e Flamengo lideram com 14 (metade deles com Cueva e Guerrero), seguidos pelo Cruzeiro (12), Grêmio (7), Palmeiras (5), Fluminense (4), Atlético-MG, Atlético-PR e Vitória (3), Bahia, Corinthians e Santos (2), Botafogo, Sport e Vasco (1).

Estrangeiros com mais gols pelos clubes da Série A em 2017:

ClubeJogadorPaísGolsJogosMédia
FlamengoGuerreroPER7100,70
São PauloCuevaPER7110,64
CruzeiroÁbilaARG7120,58
GrêmioBolañosEQU6110,55
São PauloPrattoARG570,71
CruzeiroArrascaetaURU4130,31
FluminenseSornozaEQU4140,29
PalmeirasBorjaCOL370,43
Atlético-PRLucho GonzálezARG380,38
Atlético-MGOteroVEN3120,25
FlamengoMancuelloARG3130,23
VitóriaDátoloARG250,40
São PauloChávezARG270,29
BahiaAllioneARG280,25
FlamengoTrauccoPER2110,18
FlamengoBerríoCOL2120,17
SantosCopeteCOL2120,17
GrêmioLucas BarriosPAR150,20
BotafogoJoelCAM160,17
PalmeirasMinaCOL160,17
PalmeirasGuerraVEN170,14
SportLenisCOL180,13
CorinthiansKazimTUR1100,10
VitóriaPinedaCHI1100,10
CorinthiansRomeroPAR1130,08
VascoEscuderoARG1130,08
CruzeiroAriel CabralARG1140,07
GrêmioMaxi RodríguezURU020,00
GrêmioTy SandowsAFS020,00
VascoAndrés EscobarCOL020,00
CoritibaFiligranaCOL040,00
CruzeiroLucas RomeroARG040,00
VascoJulio dos SantosPER040,00
VitóriaCárdenasCOL050,00
GrêmioG. FernándezARG070,00
SantosV. HernándezCOL070,00
FlamengoCuéllarCOL080,00
BotafogoMontilloARG0110,00
FluminenseOrejuelaEQU0130,00
Atlético-MGCazaresEQU0140,00



Fred: maior artilheiro dos times da Série A em 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Artilheiro do Campeonato Mineiro com 9 gols, o atacante Fred é o maior artilheiro entre os 20 clubes que vão disputar a Série A do Brasileirão em 2017. Com 12 gols em 11 jogos na temporada, Fred só não marcou em dois jogos no ano – contra Tombense e Tupi, pelo Estadual. O camisa 99 do Galo fez ainda um gol pela Libertadores (contra o Godoy Cruz-ARG) e outro na Primeira Liga (contra o Joinville).

No ano passado, Fred marcou também 12 gols pelo Atlético, porém, em 28 jogos. Agora, tem os mesmos 12 gols, mas em 11 jogos. No total, o atacante soma 24 gols em 39 jogos pelo Galo. Robinho, o artilheiro do time em 2016 com 26 gols, tem na atual temporada apenas um gol.

Entre os outros clubes, depois de Fred, quem mais marcou foi Henrique Dourado, atacante do Fluminense com 9 gols, seguido por Rafael Sóbis, do Cruzeiro, que tem 8 gols. Dos times paulistas, dois jogadores do São Paulo e dois da Ponte Preta têm 7 gols cada (Cueva e Gilberto, pelo Tricolor, e Lucca e Pottker, pela Ponte).

Entre os times da Série B, os destaques são Léo Gamalho (Goiás) e Brenner (Internacional), ambos com 11 gols.

Artilheiros dos times da Série A em 2017:
Atlético-MG – Fred (12 gols em 11 jogos)
Fluminense – Henrique Dourado (9 gols em 13 jogos)
Rafael Sóbis – Cruzeiro (8 gols em 12 jogos)
Avaí – Denílson (7 gols em 13 jogos)
Flamengo – Guerrero (7 gols em 10 jogos)
Ponte Preta – Lucca e William Pottker (7 gols em 12 e 13 jogos)
São Paulo – Cueva e Gilberto (7 gols em 11 e 9 jogos)
Sport – Rogério (7 gols em 13 jogos)
Vitória – Kieza (7 gols em 14 jogos)
Bahia – Régis (6 gols em 10 jogos)
Vasco – Nenê (6 gols em 13 jogos)
Atlético-GO – Jorginho (5 gols em 8 jogos)
Chapecoense – Atlético-MG
Corinthians – Jô (5 gols em 14 jogos)
Coritiba – Kléber (5 gols em 8 jogos)
Grêmio – Bolãnos (5 gols em 10 jogos)
Atlético-PR – Matheus Anjos (4 gols em 5 jogos)
Botafogo – Roger (4 gols em 11 jogos)
Palmeiras – Willian (4 gols em 13 jogos)
Santos – Vítor Bueno (4 gols em 12 jogos)


São Paulo: sequência de gols sofridos é a maior desde 2010
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Pior defesa do Campeonato Paulista com 18 gols sofridos, o São Paulo, do técnico Rogério Ceni, vem sofrendo para acertar seu sistema defensivo. Hoje, em casa, diante do Ituano, o Tricolor empatou em 1 x 1 e sofreu gol pelo 11º jogo consecutivo, contando também as partidas da Copa do Brasil. Desde 2010, quando sofreu gols em 12 jogos seguidos, o São Paulo não tinha uma sequência tão grande de partidas levando gols. Em 2012 e em 2016, o time chegou a ter uma sequência de 9 jogos sofrendo gols.

Em 2017, nos jogos oficiais, o São Paulo disputou 13 partidas e levou 22 gols (média de 1,69 por partida). No Paulistão, foram 18 gols sofridos em 9 jogos (2 por jogo). E dos 13 jogos que fez no ano, não levou gol apenas em um jogo, contra o Moto Club, na 1ª fase da Copa do Brasil (1 x 0). Nos outros 12 jogos, tomou 1 gol em 5 jogos, 2 gols em 6 jogos, 3 em 1 jogo e 4 gols em 1 jogo.

Hoje, diante do Ituano, o técnico Rogério Ceni colocou o time com uma defesa reserva e deu chance ao goleiro Renan Ribeiro, que fez a primeira partida como titular na temporada – e levou um gol. Denis, em 5 jogos, sofreu 7 gols. Já Sidão, o que mais jogou, fez 7 partidas e levou 14 gols.

Sequência de jogos do São Paulo levando gols em 2017:
12/2 – São Paulo 5 x 2 Ponte Preta (Paulista) – casa
15/2 – São Paulo 3 x 1 Santos (Paulista) – fora
18/2 – São Paulo 2 x 2 Mirassol (Paulista) – casa
21/2 – São Paulo 3 x 2 São Bento (Paulista) – casa
25/2 – São Paulo 2 x 2 Novorizontino (Paulista) – fora
1/3 – São Paulo 4 x 2 PSTC-PR (Copa do Brasil) – fora
5/3 – São Paulo 4 x 1 Santo André (Paulista) – casa
8/3 – São Paulo 3 x 1 ABC (Copa do Brasil) – casa
11/3 – São Paulo 0 x 3 Palmeiras (Paulista) – fora
15/3 – São Paulo 1 x 1 ABC (Copa do Brasil) – fora
18/3 – São Paulo 1 x 1 Ituano (Paulista) – casa

Em sua história, desde 1935, o recorde de jogos oficiais consecutivos do São Paulo levando gols é 19 partidas. A primeira delas em 1940 e a segunda em 1965. Em 1941, o time levou gols também em 18 jogos seguidos. E em 1942 e 1954, sofreu gols em 17 jogos seguidos. Contando partidas amistosas, o recorde de jogos do São Paulo levando gols é de 27 partidas, em 1961. Já em 1940, o time ficou 26 partidas seguidas levando gols.


Novas arenas: Palmeiras supera Corinthians no desempenho dos clássicos
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Corinthians e Palmeiras inauguram seus novos estádios em 2014 e desde então vêm tendo um aproveitamento muito bom em casa, principalmente nos clássicos. Na Arena Corinthians, inaugurada dia 18 de maio de 2014, o alvinegro disputou 16 clássicos, com 10 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, com um aproveitamento de 68%. Vitorioso em seus quatro primeiros jogos, o Corinthians foi perder sua invencibilidade em clássicos em Itaquera na 7ª partida, para o Palmeiras. Em 16 jogos, o alvinegro marcou 26 gols (1,63 por jogo) e sofreu 13 gols (0,81). Agora, em 2017, nos dois jogos que fez em casa, o Corinthians conseguiu duas vitórias (1 x 0 sobre Palmeiras e Santos). Diante dos rivais, o Corinthians ainda não perdeu para o São Paulo em casa (4 vitórias e 1 empate e 14 gols feitos). Contra o Palmeiras, foram 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. E diante do Santos, foram 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

Já o Palmeiras, que inaugurou seu estádio no dia 19 de novembro de 2014, já disputou 12 jogos no Allianz Parque. Com a vitória sobre o São Paulo, por 3 x 0, no último sábado, o alviverde chegou a 8 vitórias em casa, 2 empates e apenas uma derrota – para o Corinthians no primeiro clássico realizado lá. Assim, o time já soma 11 clássicos sem derrota em casa – sete vitórias e quatro empates. Em 12 jogos em casa, o Palmeiras marcou 21 gols (1,75) e sofreu 7 gols (0,58) e tem um aproveitamento de 75% dos pontos disputados. Contra o Corinthians, foram três jogos, com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota. Contra o Santos, foram 3 vitórias e 2 empates, além de um título na Copa do Brasil. Já contra o São Paulo, assim como o Corinthians, o Palmeiras não perdeu. Em quatro jogos, foram 4 vitórias e 12 gols marcados.

Desempenho do Palmeiras nos clássicos no Allianz Parque:
8/2/2015 – 0 x 1 Corinthians (Paulista)
25/3/2015 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)
26/4/2015 – 1 x 0 Santos (Paulista)
28/6/2015 – 4 x 0 São Paulo (Brasileiro)
19/7/2015 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
6/9/2015 – 3 x 3 Corinthians (Brasileiro)
2/12/2015 – 2 x 1 Santos (Copa do Brasil)
20/2/2016 – 0 x 0 Santos (Paulista)
12/6/2016 – 1 x 0 Corinthians (Brasileiro)
12/7/2016 – 1 x 1 Santos (Brasileiro)
7/9/2016 – 2 x 1 São Paulo (Brasileiro)
11/3/2017 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)

12 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 75% de aproveitamento

Desempenho do Corinthians nos clássicos na Arena Corinthians:
27/7/2014 – 2 x 0 Palmeiras (Brasileiro)
21/9/2014 – 3 x 2 São Paulo (Brasileiro)
9/11/2014 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
18/2/2015 – 2 x 0 São Paulo (Libertadores)
5/4/2015 – 1 x 1 Santos (Paulista)
19/4/2015 – 2 x 2 Palmeiras (Paulista)
31/5/2015 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
26/8/2015 – 1 x 2 Santos (Copa do Brasil)
20/9/2015 – 2 x 0 Santos (Brasileiro)
22/11/2015 – 6 x 1 São Paulo (Brasileiro)
14/2/2016 – 2 x 0 São Paulo (Paulista)
1/6/2016 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
17/7/2016 – 1 x 1 São Paulo (Brasileiro)
17/9/2016 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
22/2/2017 – 1 x 0 Palmeiras (Paulista)
4/3/2017 – 1 x 0 Santos (Paulista)

16 jogos, 10 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 68% de aproveitamento