Futebol em Números

Arquivo : Flamengo

Flamengo: brasileiro com mais quedas na fase de grupos da Libertadores
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Ao perder de virada, ontem, para o San Lorenzo-ARG, em Buenos Aires (2 x 1), o Flamengo deu adeus à Copa Libertadores de 2017. Foi a quinta eliminação do rubro-negro em 12 participações na competição ainda na fase de grupos. Desde 1960, nenhum clube brasileiro caiu tantas vezes nessa fase da competição.

No século XXI, o Flamengo soma mais desclassificações na fase de grupos do que classificações. O time caiu em 2002, 2012, 2014 e 2017. No período, conseguiu passar para as oitavas de final em 2007, 2008 e 2010. Nas últimas três participações, o clube foi eliminado em todas, igualado assim o recorde negativo de Palmeiras (eliminado três vezes na fase de grupos em 1973, 1974 e 1979), São Paulo (1978, 1982 e 1987) e Vasco (1975, 1980 e 1985). Os três clubes, porém, caíram nos anos 70 e 80, quando apenas o líder do grupo avançava para a fase seguinte da competição.

O Palmeiras, que lidera seu grupo, ainda corre o risco de ser eliminado na Libertadores de 2017. Assim, poderia igualar o recorde de quedas do Flamengo. Mas a chance de o time paulista ser eliminado é pequeno. Ainda assim, se cair, teria cinco eliminações em 16 participações contra 12 do rubro-negro na fase de grupos.

Por outro lado, o Cruzeiro é o time brasileiro com o melhor desempenho na fase de grupos. Em 13 participações, avançou em todas e nunca foi eliminado. O Corinthians é o segundo melhor. Depois de cair em 1977, o time não foi mais eliminado nas 11 participações seguidas.

Clubes brasileiros com mais eliminações na fase de grupos da Libertadores:

ClubeEliminaçõesClassificações
Flamengo57
Palmeiras411
São Paulo313
Vasco34
Internacional38
Fluminense24
Atlético-MG27
Grêmio212
Coritiba20
Atlético-PR23
Santos110
Botafogo13
Corinthians111
Guarani12
Bangu10
Sport11
Juventude10
Santo André10
Paulista10
Cruzeiro013
Bahia01
Criciúma01
São Caetano03
Paysandu01
Goiás01

 

Eliminações e classificações dos clubes brasileiros na fase de grupos da Libertadores:

ClubeEliminaçõesClassificações
Flamengo1983, 2002, 2012, 2014, 20171981, 1984, 1991, 1993, 2007, 2008, 2010
Palmeiras1973, 1974, 1979, 20161968, 1971, 1994, 1995, 1999, 2000, 2001, 2005, 2006, 2009, 2013
São Paulo1978, 1982, 19871972, 1974, 1992, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013, 2014, 2016
Vasco1975, 1980, 19851990, 1998, 2001, 2012
Internacional1976, 1993, 20071977, 1980, 1989, 2006, 2010, 2011, 2012, 2015
Fluminense1971, 19852008, 2011, 2012, 2013
Atlético-MG1972, 19811978, 2000, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017
Grêmio1982, 19901983, 1995, 1997, 1998, 2002, 2003, 2007, 2009, 2011, 2013, 2014, 2016
Coritiba1986, 2004
Atlético-PR2002, 20142000, 2005, 2017
Santos19841962, 1965, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011, 2012, 2017
Botafogo20141963, 1973, 1996
Corinthians19771991, 1996, 1999, 2000, 2003, 2006, 2010, 2012, 2013, 2015, 2016
Guarani19871979, 1988
Bangu1986
Sport19882009
Juventude2000
Santo André2005
Paulista2006
Cruzeiro1967, 1975, 1976, 1994, 1997, 2001, 2004, 2008, 2009, 2010, 2011, 2014, 2015
Bahia1989
Criciúma1992
São Caetano2001, 2002, 2004
Paysandu2003
Goiás2006

Vinícius Júnior e os mais novos a estrear no Brasileirão desde 2003
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Grande promessa das categorias de base do Flamengo, o atacante Vinícius Júnior fez sua estreia pelo Flamengo no primeiro jogo do rubro-negro pelo Brasileirão de 2017. Aos 16 anos, o jogador foi o mais jovem a entrar em campo nessa 1ª rodada do Brasileirão. O joia flamenguista é um ano mais novo do que o atacante Paulo Vítor, do Vasco, que entrou em campo ontem pelo Vasco com 17 anos e 9 meses.

Na era do Brasileirão por pontos corridos, Vinícius Júnior é um também um dos mais novo a entrar em campo. Porém, o recorde, até hoje, é do atacante Jô. Em 2003, ele estreou pelo Corinthians com 16 anos e 3 meses. Curiosamente, o atacante está de volta ao clube onde começou e nessa 1ª rodada do Brasileirão de 2017 fez um gol no empate contra a Chapecoense.

Entre os mais novos de cada ano, alguns chegaram à seleção brasileira e também tiveram sucesso no futebol europeu. Além de Jô, outro destaque foi Alexandre Pato, o mais novo de 2006, Neymar (2009) e Felipe Anderson (2010). Outra curiosidade é que maioria dos jovens são atacantes – dez dos 15 mais novos.

Em 2005, o atacante Cláudio, do Palmeiras, entrou em campo com 16 anos e 1 mês e poderia ter sido assim o jogador mais novo a entrar em campo pelo Brasileirão na era dos pontos corridos. Porém, pouco depois, o atleta foi suspenso por ter adulterado seu nome e idade (era dois anos mais velho).

Os jogadores mais novos a entrar em campo em cada edição do Brasileirão na era dos pontos corridos (desde 2003):

AnoJogadorPosiçãoClubeIdade
2003atacanteCorinthians16,3
2004Zé EduardoatacantePalmeiras16,9
2005Bruno MezengaatacanteFlamengo16,8
2006Alexandre PatoatacanteInternacional17,2
2007Michel SchmoellerzagueiroFigueirense16,9
2008MülleratacanteIpatinga17,1
2009NeymaratacanteSantos17,3
2010Felipe AndersonmeiaSantos17,5
2011Yuri MamuteatacanteGrêmio16,4
2012Victor AndradeatacanteSantos16,9
2013SaullomeiaNáutico16,8
2014MalcomatacanteCorinthians17,2
2015LincolnmeiaGrêmio16,6
2016Dodôlateral direitoCoritiba17,5
2017Vinícius JúnioratacanteFlamengo16,9

Os clubes líderes de público na história do Brasileirão
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Desde o início do Brasileirão, Flamengo, Atlético-MG e Corinthians são os clubes que mais vezes terminaram o Brasileirão com a melhor média de público da competição – o rubro-negro em 12 oportunidades, enquanto Galo e Timão em 9 edições cada. No ano passado, o Palmeiras foi líder de público pela segunda vez na história, repetindo o feito de 1978. Entre os 12 grandes clubes do Brasil, três nunca conseguiram ter a melhor média: São Paulo, Santos e Botafogo.

Clubes que mais vezes terminaram o Brasileirão com a melhor média de público:
12 – Flamengo
9 – Atlético-MG e Corinthians
4 – Cruzeiro
3 – Bahia
2 – Fluminense, Internacional e Palmeiras
1 – Grêmio e Vasco

Líderes de público do Brasileirão (ano a ano)

AnoClubeMédia
1972Corinthians40719
1973Flamengo33660
1974Vasco36619
1975Internacional51962
1976Corinthians47729
1977Atlético-MG55664
1978Palmeiras31359
1979Internacional46491
1980Flamengo66507
1981Flamengo43614
1982Flamengo62436
1983Flamengo59332
1984Flamengo38543
1985Bahia41497
1986Bahia46291
1987Flamengo47610
1988Bahia35537
1989Flamengo21300
1990Atlético-MG26748
1991Atlético-MG26763
1992Flamengo42922
1993Corinthians37330
1994Atlético-MG22673
1995Atlético-MG21072
1996Atlético-MG25449
1997Atlético-MG23342
1998Cruzeiro28384
1999Atlético-MG42322
2000Fluminense20219
2001Atlético-MG30679
2002Fluminense25666
2003Cruzeiro26366
2004Corinthians13547
2005Corinthians27330
2006Grêmio25630
2007Flamengo39221
2008Flamengo40694
2009Flamengo41553
2010Corinthians27446
2011Corinthians29397
2012Corinthians24299
2013Cruzeiro28888
2014Cruzeiro29678
2015Corinthians34188
2016Palmeiras32682

* Não há registro de 1971. Clubes com as maiores médias de público em casa.

Considerando apenas os jogos dos clubes como mandantes desde 1972 (já que 1971 não há registro de público), o Flamengo é também o clube com a maior média de público geral, com 26 521 torcedores por jogo, seguido pelo Corinthians, Bahia e Atlético-MG, os quatro clubes com média acima de 20 mil torcedores.

Maiores médias de público dos clubes no Brasileirão entre 1972 e 2016:

Flamengo26521
Corinthians23299
Bahia23166
Atlético-MG23005
Cruzeiro19825
Palmeiras18476
São Paulo18432
Grêmio18059
Internacional17999
Vasco16702
Nacional15970
Fluminense15937
Sport15635
Tiradentes15629
Ceará15356
Brasiliense15324
Santa Cruz14833
Paysandu14633
Operário-MS14465
Fortaleza14297
Coritiba13782
CSA13749
Remo13578
Londrina13507
Botafogo13209
Vitória13037
Treze12965
Goiás12762
Maringá12661
Santos12609
Auto Esporte12600
CRB12485
Atlético-PR12180
Náutico11882
Botafogo-PB11603
Campinense11589
Mixto11567
Colorado11504
Moto Clube11364
Botafogo-SP11056

 


Os mandantes mais temidos do Brasileirão 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Em 14 edições do Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos, desde 2003, seis campeões foram os clubes com as melhores campanhas como mandantes na competição – Cruzeiro (2003, 2013 e 2014), Santos (2004), São Paulo (2007) e Corinthians (2015). Nas outras edições, os melhores mandantes não ficaram com o título, mas chegaram entre os primeiros: Palmeiras (4º em 2005); Santos (4º em 2006); Cruzeiro (3º em 2008); Corinthians (3º em 2010) e Atlético-MG (2º em 2012). Apenas Grêmio (8º em 2009), Coritiba (8º em 2011) e Atlético-PR (6º em 2016), não ficaram entre os quatro primeiros.

Se este histórico for mantido, dois times (Grêmio e Santos) têm motivos para ficarem otimistas. A duplas leva a melhor contra os todos 19 times da elite do Brasileirão, quando joga em casa, levando-se em conta o desempenho desde o início da competição em 1971.

O Grêmio, jogando em Porto Alegre (no antigo estádio Olímpico) e em sua nova Arena, tem um aproveitamento contra os adversários que estão na Série A de 2017 de 66,2% dos pontos. Contra alguns grandes, chega a ter um desempenho excelente. Diante do Flamengo, foram 16 vitórias e apenas 2 derrotas. Contra o Corinthians, 19 vitórias e 5 derrotas.

Já o Santos, atuando na Vila Belmiro (na maioria dos jogos), ou em São Paulo, também é superior a todos os rivais da Série A desse ano. Em 382 jogos em casa, venceu 202, empatou 110 e perdeu 70 – 62,5% de aproveitamento Contra Vitória (17 jogos) e Atlético-PR (20 jogos), o Peixe nunca foi derrotado em casa.

Clubes que mais levam vantagem sobre os 19 adversários da Série A de 2017 em casa (desde 1971):
Vantagem em 19 confrontos:
Grêmio e Santos

Vantagem em 18 confrontos:
Atlético-MG, Atlético-PR e Botafogo

Vantagem em 17 confrontos:
Flamengo e Palmeiras

Vantagem em 16 confrontos:
Corinthians, Cruzeiro e São Paulo

Vantagem em 15 confrontos:
Coritiba e Fluminense

Vantagem em 14 confrontos:
Ponte Preta e Vasco

Vantagem em 13 confrontos:
Bahia e Sport

Vantagem em 9 confrontos:
Chapecoense e Vitória

Vantagem em 7 confrontos:
Avaí

Vantagem em 4 confrontos:
Atlético-GO


Retrospecto dos clubes, em casa, contra os adversários da Série A de 2017 (desde 1971):

Atlético-GO   
versus…VED
Atlético-MG112
Atlético-PR002
Avaí011
Bahia102
Botafogo102
Chapecoense
Corinthians102
Coritiba111
Cruzeiro201
Flamengo022
Fluminense103
Grêmio112
Palmeiras210
Ponte Preta010
Santos202
São Paulo220
Sport001
Vasco212
Vitória200
Atlético-MG   
versus…VED
Atlético-GO220
Atlético-PR1146
Avaí310
Bahia1041
Botafogo1156
Chapecoense300
Corinthians11712
Coritiba1722
Cruzeiro13511
Flamengo1595
Fluminense1393
Grêmio1386
Palmeiras1249
Ponte Preta971
Santos2094
São Paulo1095
Sport1152
Vasco1555
Vitória1462
Atlético-PR   
versus…VED
Atlético-GO200
Atlético-MG1155
Avaí211
Bahia721
Botafogo1223
Chapecoense220
Corinthians667
Coritiba852
Cruzeiro685
Flamengo1571
Fluminense865
Grêmio986
Palmeiras685
Ponte Preta714
Santos874
São Paulo1391
Sport751
Vasco954
Vitória924
Avaí   
versus…VED
Atlético-GO110
Atlético-MG022
Atlético-PR302
Bahia011
Botafogo111
Chapecoense100
Corinthians301
Coritiba122
Cruzeiro031
Flamengo311
Fluminense212
Grêmio205
Palmeiras113
Ponte Preta100
Santos121
São Paulo121
Sport020
Vasco111
Vitória110
Bahia   
versus…VED
Atlético-GO220
Atlético-MG586
Atlético-PR543
Avaí100
Botafogo754
Chapecoense001
Corinthians789
Coritiba291
Cruzeiro628
Flamengo7116
Fluminense496
Grêmio865
Palmeiras366
Ponte Preta431
Santos655
São Paulo753
Sport551
Vasco554
Vitória776
Botafogo
versus…VED
Atlético-GO210
Atlético-MG1374
Atlético-PR937
Avaí310
Bahia574
Chapecoense110
Corinthians1369
Coritiba1113
Cruzeiro1196
Flamengo8117
Fluminense995
Grêmio1258
Palmeiras974
Ponte Preta523
Santos1248
São Paulo1476
Sport731
Vasco484
Vitória573
Chapecoense   
versus…VED
Atlético-GO
Atlético-MG120
Atlético-PR220
Avaí010
Bahia100
Botafogo200
Corinthians003
Coritiba210
Cruzeiro111
Flamengo102
Fluminense210
Grêmio112
Palmeiras210
Ponte Preta020
Santos111
São Paulo111
Sport210
Vasco100
Vitória002
Corinthians
versus…VED
Atlético-GO111
Atlético-MG1486
Atlético-PR766
Avaí220
Bahia862
Botafogo6108
Chapecoense210
Coritiba1332
Cruzeiro1398
Flamengo1487
Fluminense1288
Grêmio1487
Palmeiras9710
Ponte Preta1021
Santos13128
São Paulo14610
Sport643
Vasco9144
Vitória1540
Coritiba   
versus…VED
Atlético-GO101
Atlético-MG1033
Atlético-PR1155
Avaí202
Bahia841
Botafogo1085
Chapecoense301
Corinthians967
Cruzeiro868
Flamengo1027
Fluminense1152
Grêmio1158
Palmeiras873
Ponte Preta631
Santos1038
São Paulo958
Sport852
Vasco578
Vitória851
Cruzeiro
versus…VED
Atlético-GO310
Atlético-MG9138
Atlético-PR976
Avaí220
Bahia1652
Botafogo1766
Chapecoense111
Corinthians12610
Coritiba962
Flamengo1366
Fluminense1147
Grêmio1542
Palmeiras1473
Ponte Preta642
Santos6711
São Paulo6815
Sport1112
Vasco11105
Vitória1422
Flamengo   
versus…VED
Atlético-GO301
Atlético-MG1757
Atlético-PR1324
Avaí220
Bahia543
Botafogo11142
Chapecoense201
Corinthians14810
Coritiba1353
Cruzeiro11610
Fluminense10710
Grêmio16107
Palmeiras10911
Ponte Preta362
Santos1896
São Paulo1376
Sport1243
Vasco996
Vitória1433
Fluminense
versus…VED
Atlético-GO211
Atlético-MG1068
Atlético-PR918
Avaí400
Bahia1233
Botafogo986
Chapecoense012
Corinthians896
Coritiba1064
Cruzeiro12116
Flamengo10610
Grêmio10115
Palmeiras9610
Ponte Preta730
Santos1938
São Paulo1057
Sport1244
Vasco779
Vitória834
Grêmio
versus…VED
Atlético-GO220
Atlético-MG1274
Atlético-PR1541
Avaí310
Bahia570
Botafogo1095
Chapecoense201
Corinthians1945
Coritiba1454
Cruzeiro1275
Flamengo1692
Fluminense1536
Palmeiras9146
Ponte Preta933
Santos1564
São Paulo1476
Sport1741
Vasco1966
Vitória1362
Palmeiras   
versus…VED
Atlético-GO102
Atlético-MG1337
Atlético-PR952
Avaí310
Bahia1045
Botafogo1575
Chapecoense300
Corinthians6105
Coritiba955
Cruzeiro1297
Flamengo1096
Fluminense1425
Grêmio1552
Ponte Preta513
Santos101112
São Paulo10115
Sport825
Vasco1294
Vitória1050
Ponte Preta
versus…VED
Atlético-GO100
Atlético-MG463
Atlético-PR336
Avaí100
Bahia211
Botafogo334
Chapecoense020
Corinthians752
Coritiba721
Cruzeiro316
Flamengo553
Fluminense623
Grêmio662
Palmeiras633
Santos613
São Paulo537
Sport621
Vasco462
Vitória721
Santos   
versus…VED
Atlético-GO120
Atlético-MG1364
Atlético-PR1640
Avaí320
Bahia925
Botafogo11115
Chapecoense300
Corinthians1157
Coritiba1232
Cruzeiro14511
Flamengo12125
Fluminense1165
Grêmio16113
Palmeiras9106
Ponte Preta933
São Paulo1589
Sport1051
Vasco15104
Vitória1250
São Paulo
versus…VED
Atlético-GO210
Atlético-MG1578
Atlético-PR1363
Avaí211
Bahia743
Botafogo1956
Chapecoense111
Corinthians4186
Coritiba1093
Cruzeiro2573
Flamengo1694
Fluminense2076
Grêmio1868
Palmeiras8159
Ponte Preta1211
Santos1728
Sport1710
Vasco1065
Vitória1420
Sport   
versus…VED
Atlético-GO010
Atlético-MG692
Atlético-PR751
Avaí101
Bahia436
Botafogo844
Chapecoense012
Corinthians947
Coritiba841
Cruzeiro776
Flamengo744
Fluminense763
Grêmio863
Palmeiras658
Ponte Preta410
Santos855
São Paulo874
Vasco256
Vitória631
Vasco
versus…VED
Atlético-GO210
Atlético-MG13106
Atlético-PR1240
Avaí310
Bahia5106
Botafogo1384
Chapecoense001
Corinthians986
Coritiba1135
Cruzeiro1078
Flamengo1198
Fluminense8138
Grêmio1273
Palmeiras867
Ponte Preta651
Santos12114
São Paulo8810
Sport424
Vitória843
Vitória
versus…VED
Atlético-GO020
Atlético-MG787
Atlético-PR942
Avaí201
Bahia330
Botafogo1135
Chapecoense011
Corinthians455
Coritiba821
Cruzeiro547
Flamengo557
Fluminense596
Grêmio1024
Palmeiras448
Ponte Preta132
Santos925
São Paulo729
Sport622
Vasco1243

 

 


As maiores goleadas dos brasileiros na Libertadores como visitantes
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Nesta semana, o Atlético-MG conseguiu a maior goleada de um clube brasileiro na Libertadores ao bater o Sport Boys, da Bolívia, por 5 x 1, na cidade de Warnes, próxima a Santa Cruz de la Sierra. A goleada foi também a maior do Galo fora de casa em sua história na competição, superando os 5 x 2 sobre o Arsenal de Sarandí-ARG, em 2013.

O resultado do Atlético-MG da última quarta-feira chegou perto também da maior goleada de um clube brasileiro como visitante na história da Libertadores, desde 1960, que foi o 6 x 0 do Fluminense sobre o Deportivo Itália-VEN, em 1961. O 5 x 1 do Galo foi a terceira maior vitória de um time brasileiro fora de casa em 58 edições do torneio sul-americano.

As maiores goleados dos clubes brasileiros fora do país na Libertadores, desde 1960:
17/2/1961 – Deportivo Italia-VEN 0 x 6 Fluminense (fase de grupos)
27/3/2003 – Cerro Porteño-PAR 2 x 6 Paysandu (fase de grupos)
13/2/1965 – Universidad de Chile-CHI 1 x 5 Santos (fase de grupos)
3/5/2017 – Sport Boys-BOL 1 x 5 Atlético-MG (fase de grupos)
25/2/2003 – América de Cali-COL 1 x 5 Santos (fase de grupos)
12/5/1976 – Alianza Lima-PER 0 x 4 Cruzeiro (fase de grupos)
17/7/1977 – Portuguesa-VEN 0 x 4 Cruzeiro (fase de grupos)
4/3/1997 – Alianza Lima-PER 0 x 4 Grêmio (fase de grupos)
17/4/2015 – Universidad de Chile-CHI 0 x 4 Internacional (fase de grupos)
13/3/1979 – Universitario-PER 2 x 5 Palmeiras (fase de grupos)
3/3/1999 – Cerro Porteño-PAR 2 x 5 Palmeiras (fase de grupos)
27/3/2013 – Arsenal-ARG 2 x 5 Atlético-MG (fase de grupos)
14/3/2001 – Sport Boys-PER 1 x 4 Palmeiras (fase de grupos)
25/3/2003 – 12 de Octubre-PAR 1 x 4 Santos (fase de grupos)
26/5/2004 – Deportivo Táchira-VEN 1 x 4 São Paulo (quartas de final)
16/3/2011 – Jorge Wilstermann-BOL 1 x 4 Internacional (fase de grupos)
30/8/1962 – Penãrol-URU 0 x 3 Santos (final)*
22/2/1967 – Deportivo Italia-VEN 0 x 3 Cruzeiro (fase de grupos)
10/2/1971 – Deportivo Italia-VEN 0 x 3 Palmeiras (fase de grupos)
28/2/1979 – Alianza Lima-PER 0 x 3 Guarani (fase de grupos)
22/10/1982 – River Plate-ARG 0 x 3 Flamengo (fase semifinal)
3/4/1984 – Junior-COL 0 x 3 Santos (fase de grupos)
29/6/1984 – ULA-VEN 0 x 3 Flamengo (fase de grupos)
17/3/1992 – San José-BOL 0 x 3 São Paulo (fase de grupos)
25/4/1995 – Olimpia-PAR 0 x 3 Grêmio (oitavas de final)
16/2/2000 – Alianza Lima-PER 0 x 3 Atlético-PR (fase de grupos)
14/3/2001 – América de Cali-COL 0 x 3 Vasco (fase de grupos)
28/3/2002 – Alianza Lima-PER 0 x 3 São Caetano (fase de grupos)
10/8/2008 – Cienciano-PER 0 x 3 Flamengo (fase de grupos)
6/5/2010 – Nacional-URU 0 x 3 Cruzeiro (oitavas de final)
14/4/2011 – Estudiantes-ARG 0 x 3 Cruzeiro (fase de grupos)
* campo neutro

As maiores goleadas dos times brasileiros como visitantes, no Brasil, na Libertadores:
20/4/1984 – Santos 0 x 5 Flamengo (fase de grupos)
28/8/1963 – Botafogo 0 x 4 Santos (semifinal)
25/3/1979 – Palmeiras 1 x 4 Guarani (fase de grupos)
21/2/2013 – Fluminense 0 x 3 Grêmio (fase de grupos)
16/5/1996 – Corinthians 0 x 3 Grêmio (quartas de final)


Guerrero, Cueva e Ábila: gringos com mais gols no Brasil em 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

A cada ano que passa, os clubes brasileiros, principalmente aqueles que disputam a Série A, aumentam o número de estrangeiros em seus elencos. Em 2017, já são 66 gringos espalhados pelos 20 clubes. Desses, 38 atuam como meio-campistas ou atacantes. E entre eles, os peruanos Guerrero, do Flamengo, e Cueva, do São Paulo, e Ábila, do Cruzeiro, são os que mais marcaram gols até aqui na temporada 2017.

Guerrero marcou 7 gols pelo rubro-negro em 10 partidas, todas pelo Campeonato Carioca, onde é vice-artilheiro. Já o meia Cueva tem 7 gols em 11 jogos pelo tricolor paulista – 2 na Copa do Brasil e 5 do Paulistão. Outro gringo com 7 gols na temporada é o argentino Ábila, do Cruzeiro, que marcou em 12 jogos.

Curiosamente, nenhum estrangeiro é artilheiro de alguma competição realizada nesse primeiro semestre (estaduais, regionais, primeira liga, Copa do Brasil ou Libertadores). Guerrero, Ábila e Cueva são os que mais se aproximam dos artilheiros nos Estaduais.

Outro detalhe é que os peruanos são os jogadores com as melhores médias de gols. Os quatro que atuam no Brasil (Guerrero, Cueva, Beto da Silva (Grêmio) e Traucco (Flamengo)), marcaram juntos 16 gols em 36 jogos (0,44 por partida). Os argentinos fizeram mais gols (26), porém em mais jogos (109), ficando com média de 0,24 por jogo. Os equatorianos vêm depois com mais gols (10), seguidos pelos colombianos (9), venezuelanos (5), uruguaios (4), paraguaios (2), chilenos, camaroneses e turcos (1).

Na média de gols, o argentino Pratto é que tem a melhor média (0,71), com 5 gols em 7 jogos. Na temporada, porém, ele tem mais dois jogos pelo Atlético-MG, onde não marcou. Assim, no total, Guerrero segue como o melhor (0,70) – 7 gols em 10 jogos.

Entre os clubes com mais gols de gringos nessa temporada, São Paulo e Flamengo lideram com 14 (metade deles com Cueva e Guerrero), seguidos pelo Cruzeiro (12), Grêmio (7), Palmeiras (5), Fluminense (4), Atlético-MG, Atlético-PR e Vitória (3), Bahia, Corinthians e Santos (2), Botafogo, Sport e Vasco (1).

Estrangeiros com mais gols pelos clubes da Série A em 2017:

ClubeJogadorPaísGolsJogosMédia
FlamengoGuerreroPER7100,70
São PauloCuevaPER7110,64
CruzeiroÁbilaARG7120,58
GrêmioBolañosEQU6110,55
São PauloPrattoARG570,71
CruzeiroArrascaetaURU4130,31
FluminenseSornozaEQU4140,29
PalmeirasBorjaCOL370,43
Atlético-PRLucho GonzálezARG380,38
Atlético-MGOteroVEN3120,25
FlamengoMancuelloARG3130,23
VitóriaDátoloARG250,40
São PauloChávezARG270,29
BahiaAllioneARG280,25
FlamengoTrauccoPER2110,18
FlamengoBerríoCOL2120,17
SantosCopeteCOL2120,17
GrêmioLucas BarriosPAR150,20
BotafogoJoelCAM160,17
PalmeirasMinaCOL160,17
PalmeirasGuerraVEN170,14
SportLenisCOL180,13
CorinthiansKazimTUR1100,10
VitóriaPinedaCHI1100,10
CorinthiansRomeroPAR1130,08
VascoEscuderoARG1130,08
CruzeiroAriel CabralARG1140,07
GrêmioMaxi RodríguezURU020,00
GrêmioTy SandowsAFS020,00
VascoAndrés EscobarCOL020,00
CoritibaFiligranaCOL040,00
CruzeiroLucas RomeroARG040,00
VascoJulio dos SantosPER040,00
VitóriaCárdenasCOL050,00
GrêmioG. FernándezARG070,00
SantosV. HernándezCOL070,00
FlamengoCuéllarCOL080,00
BotafogoMontilloARG0110,00
FluminenseOrejuelaEQU0130,00
Atlético-MGCazaresEQU0140,00



Fred: maior artilheiro dos times da Série A em 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Artilheiro do Campeonato Mineiro com 9 gols, o atacante Fred é o maior artilheiro entre os 20 clubes que vão disputar a Série A do Brasileirão em 2017. Com 12 gols em 11 jogos na temporada, Fred só não marcou em dois jogos no ano – contra Tombense e Tupi, pelo Estadual. O camisa 99 do Galo fez ainda um gol pela Libertadores (contra o Godoy Cruz-ARG) e outro na Primeira Liga (contra o Joinville).

No ano passado, Fred marcou também 12 gols pelo Atlético, porém, em 28 jogos. Agora, tem os mesmos 12 gols, mas em 11 jogos. No total, o atacante soma 24 gols em 39 jogos pelo Galo. Robinho, o artilheiro do time em 2016 com 26 gols, tem na atual temporada apenas um gol.

Entre os outros clubes, depois de Fred, quem mais marcou foi Henrique Dourado, atacante do Fluminense com 9 gols, seguido por Rafael Sóbis, do Cruzeiro, que tem 8 gols. Dos times paulistas, dois jogadores do São Paulo e dois da Ponte Preta têm 7 gols cada (Cueva e Gilberto, pelo Tricolor, e Lucca e Pottker, pela Ponte).

Entre os times da Série B, os destaques são Léo Gamalho (Goiás) e Brenner (Internacional), ambos com 11 gols.

Artilheiros dos times da Série A em 2017:
Atlético-MG – Fred (12 gols em 11 jogos)
Fluminense – Henrique Dourado (9 gols em 13 jogos)
Rafael Sóbis – Cruzeiro (8 gols em 12 jogos)
Avaí – Denílson (7 gols em 13 jogos)
Flamengo – Guerrero (7 gols em 10 jogos)
Ponte Preta – Lucca e William Pottker (7 gols em 12 e 13 jogos)
São Paulo – Cueva e Gilberto (7 gols em 11 e 9 jogos)
Sport – Rogério (7 gols em 13 jogos)
Vitória – Kieza (7 gols em 14 jogos)
Bahia – Régis (6 gols em 10 jogos)
Vasco – Nenê (6 gols em 13 jogos)
Atlético-GO – Jorginho (5 gols em 8 jogos)
Chapecoense – Atlético-MG
Corinthians – Jô (5 gols em 14 jogos)
Coritiba – Kléber (5 gols em 8 jogos)
Grêmio – Bolãnos (5 gols em 10 jogos)
Atlético-PR – Matheus Anjos (4 gols em 5 jogos)
Botafogo – Roger (4 gols em 11 jogos)
Palmeiras – Willian (4 gols em 13 jogos)
Santos – Vítor Bueno (4 gols em 12 jogos)


Flamengo: melhor ataque do Brasil em 2017
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Com 12 gols nos últimos três jogos, o Flamengo passou agora a ser o time de melhor ataque na temporada 2017 entre os clubes que estão na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Com os três gols contra o Fluminense, na final da Taça Guanabara, os quatro na vitória por 4 x 0 na estreia da Libertadores, e os cinco gols na vitória sobre a Portuguesa, pelo Campeonato Carioca, o rubro-negro soma agora 33 gols em 12 jogos – média de 2,75 por partida. O atacante peruano Guerrero, com 7 gols (todos no Estadual do Rio), é o artilheiro da equipe, seguido por Diego (5 gols), Everton, Leandro Damião e Mancuello (3 gols), Gabriel, Trauco, Lucas Paquetá e Willian Arão (2 gols) e Berrío, Juan e Rômulo (1 gol cada).

O São Paulo, que perdeu o clássico para o Palmeiras, no sábado, tem o segundo melhor ataque agora com média de 2,64 gols por jogo (marcou 29 gols em 11 jogos). Entre os 12 grandes do futebol brasileiro, o Corinthians tem hoje o pior ataque na temporada, com apenas 12 gols em 11 jogos – média de 1,09 por partida.

E além de ter o melhor ataque, o rubro-negro, do técnico Zé Ricardo, é ainda um dos invictos na temporada, ao lado do Cruzeiro. Até aqui, em 12 jogos, o Flamengo conseguiu 10 vitórias e 2 empates. A Raposa, do técnico Mano Menezes, que venceu hoje o clássico contra o América-MG (1 x 0), também não foi derrotada em seus 12 jogos (11 vitórias e um empate). Com 94,4% de aproveitamento, o Cruzeiro tem o melhor desempenho entre os 12 grandes no ano, à frente do Flamengo, que conquistou 88,9% dos pontos disputados. O Santos, por outro lado, tem o pior (45,8%).

Melhores ataques em 2017:

ClubeJogosGolsMédia
Flamengo12332,75
São Paulo11292,64
Fluminense12292,42
Palmeiras9212,33
Santos8182,25
Cruzeiro12262,17
Atlético-MG10212,10
Cruzeiro10212,10
Vitória13272,08
Sport14282,00
Internacional13241,85
Bahia13231,77
Ponte Preta10141,40
Grêmio9121,33
Avai13171,31
Vasco10131,30
Botafogo10121,20
Corinthians11121,09
Atlético-PR12131,08
Atlético-GO1090,90
Chapecoense17140,82
Coritiba970,78

 

Melhores aproveitamentos em 2017:

Tags : Flamengo


Grêmio: brasileiro com o elenco mais experiente em Libertadores
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Começa hoje a fase de grupos da Copa Libertadores de 2017 com 32 equipes. Destas, oito são do Brasil, um recorde na história da competição. Entre os participantes brasileiros, estão cinco ex-campeões (Santos, Flamengo, Grêmio, Palmeiras e Atlético-MG), dois clubes que vieram da fase preliminar (Atlético-PR e Botafogo) e um estreante, a Chapecoense.

E dos elencos desses oito times brasileiros que vão jogar a Libertadores em 2017, o Grêmio é aquele com mais jogadores que já disputaram o torneio. São 23 no total, além do técnico Renato Gaúcho, que já foi campeão como jogador, pelo próprio Grêmio, em 1983, e vice-campeão como técnico, pelo Fluminense, em 2008. Entre os jogadores do Tricolor gaúcho que mais vezes disputaram o torneio estão os recém-contratados Leonardo Moura e Gastón Fernández, com 5 vezes cada, além de Marcelo Grohe e Bolaños, também com cinco participações cada. E dos 23 jogadores do Grêmio que já disputaram a Libertadores, três já foram campeões: Gastón Fernández, pelo Estudiantes-ARG, em 2009, Douglas, pelo Corinthians, em 2012, e Kannemann, pelo San Lorenzo-ARG, em 2014.

Em seguida, depois do Grêmio, o Palmeiras é o time brasileiro com mais jogadores com experiência na Libertadores. São 21, contando os dois campeões pelo Atlético Nacional-COL na última edição: o volante Guerra e o atacante Borja. Eles se juntam também a outros três ex-campeões do torneio: Jean, campeão pelo São Paulo, em 2005, que está indo para a sua oitava participação, Alecsandro, bicampeão por Inter e Galo, e Willian, campeão pelo Corinthians.

No Atlético-MG, são 20 jogadores que já disputaram o torneio, incluindo quatro ex-campeões do torneio pelo Galo em 2013: Victor, Giovanni, Marcos Rocha, Carlos César, Luan e Leonardo Silva. Lucas Cândido participou daquele grupo, mas não foi inscrito na fase de grupos. Outro ex-campeão é Fábio Santos, que levou o torneio pelo São Paulo e pelo Corinthians.

Na sequência, o Flamengo é quem aparece com mais jogadores (16), sendo quatro ex-campeões, seguido pelo Atlético-PR, com 9 jogadores. O Furacão, que conta com três ex-campeões, é o único dos brasileiros que conta com um técnico que já venceu a competição: Paulo Autuori, campeão pelo Cruzeiro (1997) e São Paulo (2005). Já Santos, Botafogo e Chapecoense têm apenas oito jogadores com experiência na Libertadores.

Jogadores dos clubes brasileiros que estão na Libertadores de 2017 e que já disputaram o torneio anteriormente:

Grêmio (23)
Leonardo Moura, lateral direito (5 part., 36 jogos)
Gastón Fernández, atacante (5 part., 33 jogos) – campeão pelo Estudiantes-ARG (2009)
Marcelo Grohe, goleiro (5 part., 23 jogos)
Bolaños, atacante (5 part., 22 jogos)
Douglas, meia (4 part., 27 jogos) – campeão pelo Corinthians (2012)
Lucas Barríos, atacante (4 part., 17 jogos)
Fernandinho, atacante (3 part., 17 jogos)
Marcelo Oliveira, lateral esquerdo (3 part., 15 jogos)
Maicon, volante (3 part., 13 jogos)
Maxi Rodríguez, meia (3 part., 13 jogos)
Bressan, zagueiro (3 part., 9 jogos)
Edílson, lateral direito (3 part., 9 jogos)
Luan, atacante (2 part., 15 jogos)
Ramiro, volante (2 part., 11 jogos)
Geromel, zagueiro (2 part., 10 jogos)
Kannemann, zagueiro (2 part., 10 jogos) – campeão pelo San Lorenzo-ARG (2014)
Bruno Cortez, lateral esquerdo (1 part., 6 jogos)
Éverton, atacante (1 part., 5 jogos)
Lincoln, meia (1 part., 5 jogos)
Pedro Rocha, atacante (1 part., 3 jogos)
Wallace, lateral direito (1 part., 3 jogos)
Lucas Coelho, atacante (1 part., 2 jogos)
Gabriel, zagueiro (1 part., 1 jogo)
Renato Gaúcho, técnico (1 part., 14 jogos)

Palmeiras (21)
Guerra, volante (8 part., 40 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Jean, lateral direito (7 part., 45 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005)
Alecsandro, atacante (6 part., 44 jogos) – campeão pelo Inter (2010) e Atlético-MG (2013)
Edu Dracena (5 part., 38 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Arouca (5 part., 41 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Zé Roberto, lateral esquerdo (4 part., 33 jogos)
Fernando Prass, goleiro (4 part., 28 jogos)
Mina, zagueiro (3 part., 20 jogos)
Egídio, lateral esquerdo (3 part., 20 jogos)
Dudu, atacante (3 part., 15 jogos)
Willian, atacante (3 part., 26 jogos) – campeão pelo Corinthians (2012)
Michel Bastos, meia (2 part., 20 jogos)
Felipe Melo, volante (2 part., 9 jogos)
Borja, atacante (2 part., 8 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Vítor Hugo, zagueiro (1 part., 6 jogos)
Keno, atacante (1 part., 5 jogos)
Thiago Santos, volante (1 part., 3 jogos)
Rafael Marques, atacante (1 part., 2 jogos)
Erik, atacante (1 part., 2 jogos)
Fabiano, lateral direito (1 part., 1 jogo)
Thiago Martins, zagueiro (1 part., 1 jogo)

Atlético-MG (20)
Leonardo Silva (7 part., 64 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Fábio Santos, lateral esquerdo (7 part., 48 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005) e Corinthians (2012)
Victor, goleiro (6 part., 55 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Robinho, atacante (4 part., 38 jogos)
Marcos Rocha, lateral direito (4 part., 32 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Rafael Moura, atacante (4 part., 23 jogos)
Otero, meia (4 part., 11 jogos)
Luan, atacante (3 part., 25 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Elias, volante (3 part., 23 jogos)
Fred, atacante (3 part., 19 jogos)
Carlos Eduardo, meia (3 part., 17 jogos)
Lucas Cândido, volante (3 part., 4 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Adílson, volante (2 part., 20 jogos)
Rafael Carioca, volante (2 part., 17 jogos)
Giovanni, goleiro (2 part., 2 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Cazares, atacante (1 part., 7 jogos)
Maicosuel, meia (1 part., 5 jogos)
Clayton, atacante (1 part., 4 jogos)
Uilson, goleiro (1 part., 1 jogo)
Carlos César, lateral direito (1 part., 1 jogo) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Roger Machado, técnico (1 part., 8 jogos)

Flamengo (16)
Réver, zagueiro (5 part., 39 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Pará, lateral direito (4 part., 29 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Leandro Damião, atacante (4 part., 28 jogos) – campeão pelo Internacional (2010)
Conca, meia (3 part., 28 jogos)
Berrío, atacante (3 part., 20 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Diego, meia (2 part., 23 jogos)
Donatti, zagueiro (2 part., 15 jogos)
Guerrero, atacante (2 part., 12 jogos)
Juan, zagueiro (2 part., 11 jogos)
Márcio Araújo, volante (1 part., 8 jogos)
Rômulo, volante (1 part., 8 jogos)
Éverton, meia (1 part., 6 jogos)
Cuellar, volante (1 part., 5 jogos)
Gabriel, atacante (1 part., 5 jogos)
Marcelo Cirino, atacante (1 part., 4 jogos)
Mancuello, meia (1 part., 2 jogos)

Atlético-PR (9)
Lucho González, volante (5 part., 37 jogos) – campeão pelo River Plate (2015)
Jonathan, lateral direito (4 part., 38 jogos) – campeão pelo Santos (2011)
Thiago Heleno (3 part., 24 jogos)
Grafite, atacante (3 part., 23 jogos) – campeão pelo São Paulo (2005)
Paulo André, zagueiro (3 part., 14 jogos)
Léo, lateral direito (2 part., 5 jogos)
Weverton, goleiro (1 part., 8 jogos)
Cléberson, zagueiro (1 part., 7 jogos)
Rafael Galhardo, lateral direito (1 part., 1 jogo)
Paulo Autouri, técnico (4 part., 36 jogos) – campeão pelo Cruzeiro (1997) e São Paulo (2005)

Botafogo (8)
Canales, atacante (3 part., 14 jogos)
Aírton, volante (2 part., 3 jogos)
Jefferson, goleiro (1 part., 8 jogos)
Gatito Fernández, goleiro (1 part., 8 jogos)
Gílson, lateral esquerdo (1 part., 7 jogos)
Joel, atacante (1 part., 5 jogos)
João Paulo, meia (1 part., 4 jogos)
Roger, atacante (1 part., 1 jogo) – campeão pelo São Paulo (2005)

Chapecoense (8)
Wellington Paulista, atacante (3 part., 24 jogos)
Diego Renan, lateral esquerdo (2 part., 16 jogos)
Zeballos, zagueiro (2 part., 10 jogos)
Dodô, meia (2 part., 4 jogos)
Luiz Antônio, volante (1 part., 8 jogos)
Reinaldo, lateral esquerdo (1 part. 7 jogos)
Apodi, lateral direito (1 part., 4 jogos)
Artur, goleiro (1 part., 1 jogo)
Vágner Mancini, técnico (1 part., 5 jogos)

Santos (8)
Thiago Ribeiro, atacante (5 part., 40 jogos)
Leandro Donizete, volante (4 part., 33 jogos) – campeão pelo Atlético-MG (2013)
Copete, atacante (4 part., 30 jogos) – campeão pelo Atlético Nacional-COL (2016)
Renato, volante (3 part., 24 jogos)
Ricardo Oliveira, atacante (3 part., 17 jogos)
Vecchio, meia (3 part., 15 jogos)
David Braz, zagueiro (2 part., 11 jogos)
Vladimir Hernández, meia (2 part., 6 jogos)
Dorival Júnior, técnico (1 part., 5 jogos)

 


Fla-Flu: Tricolor leva a melhor no histórico de mata-matas
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Em 105 anos de história, o Fla-Flu já foi disputado 397 vezes. Até aqui, a vantagem no confronto geral é do Flamengo, que venceu 144 vezes. O Fluminense ganhou outros 126 jogos e tivemos ainda 127 empates. Em mata-matas ou decisões entre as duas equipes, a vantagem, porém, é do Tricolor. Em 22 confrontos diretos, valendo título ou eliminação, o Flu ganhou 12, contra 10 do Rubro-negro. Em mata-mata diretos, como o de hoje, válido pela final da Taça Guanabara, foram seis triunfos do Tricolor contra cinco do Flamengo.

E quase todos os confrontos decisivos, em jogos oficiais, foram pelo Campeonato Carioca. Apenas em 2009 os dois se enfrentaram em outro torneio, a Copa Sul-Americana, quando o Fluminense despachou o Flamengo na primeira fase.

Pelo Carioca, os times duelaram então em 21 decisões, com 11 vitórias do Flu contra 10 do Flamengo. Pela Taça Guanabara, foram sete disputas, mas aí a vantagem é rubro-negra (5 x 2). Na Taça Guanabara, aliás, o Flamengo é o maior campeão com 20 títulos desde 1965. O Fluminense, atual campeão, tem 9 conquistas e está atrás do Vasco, que ganhou 12, na lista de títulos. O Botafogo tem 8, o América 6 e o Americano 2 títulos. E a última vez que o Fla-Flu decidiu a Taça Guanabara foi em 2004, quando o Flamengo foi campeão ao vencer por 3 x 2, no Maracanã, com gols de Fabiano Eller, Jean e Roger. Para o Flu, marcaram Antônio Carlos e o zagueiro Henrique (contra).

Mata-matas e partidas decisivas entre Flamengo e Fluminense
1936 – Campeonato Carioca (Liga Carioca de Futebol – LCF)
Depois de dois jogos (2 x 2) e Flu 4 x 1 Fla, o terceiro terminou empatado (1 x 1) e o Flu foi campeão

1941 – Campeonato Carioca
Na última rodada do 4º turno, o Fluminense precisava do empate para ser campeão. Já o Flamengo não tinha mais chances de título. O clássico terminou 2 x 2 e o Flu foi campeão.

1963 – Campeonato Carioca
Os dois times chegaram à última rodada com chance de título e fizeram um Fla-Flu memorável, com o maior público da história do Maracanã: 194 603 no total (177 020 pagantes). Com um ponto de vantagem, o Fla foi campeão após o 0 x 0.

1966 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Os dois times terminaram empatados na primeira fase e fizeram a final em jogo extra. Deu Flu (3 x 1), que ganhou a Taça Guanabara pela primeira vez.

1969 – Campeonato Carioca
Depois de empatarem em pontos no 2º turno, Fla e Flu decidiram o título em um jogo extra. Deu Flu (3 x 2), no Maracanã com 171 599 pagantes.

1970 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Na última rodada da 3ª fase da Taça Guanabara, o Fla segurou o empate contra o Flu (1 x 1), manteve-se um ponto à frente do rival na tabela e garantiu o título.

1971 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Na última rodada da Taça Guanabara, o apenas o Flu tinha chance de ser campeão. No clássico, deu tricolor (3 x 1), que ficou com o taça.

1972 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Na última rodada da Taça Guanabara, o Fla goleou o Flu por 5 x 2 e ficou com o título.

1972 – Campeonato Carioca
Depois de decidirem a Taça Guanabara, os times fizeram também a final do Estadual e novamente deu Fla (2 x 1), que ficou com o título carioca.

1973 – Campeonato Carioca
Na final do Estadual, em jogo único, o Flu venceu por 4 x 2, no Maracanã, e foi campeão

1983 – Campeonato Carioca
No triangular final, que tinha ainda o Bangu, o Flu venceu o Flamengo por 1 x 0 e garantiu o título.

1984 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
No 1º turno do Estadual daquele ano, o Fla venceu o Flu por 1 x 0 e ficou com o título da Taça Guanabara.

1984 – Campeonato Carioca
Novamente no triangular final, o Fla-Flu decidiu o título – o Vasco era o outro time na disputa. O Flu ganhou por 1 x 0, no Maracanã, com 153 520 pagantes e sagrou-se bicampeão carioca.

1991 – Campeonato Carioca
A final do Estadual contou com o Flu, campeão da Taça Guanabara, e o Fla, campeão da Taça Rio. Após o 1 x 1 no primeiro jogo da decisão, o Fla garantiu o título carioca daquele ano após vencer por 4 x 2 a segunda partida da final.

1995 – Campeonato Carioca
Em um dos mais famosos Fla-Flu da história, o Flu garantiu o título com a vitória por 3 x 2, com o gol de barriga de Renato Gaúcho (creditado na súmula para Aílton). O Tricolor foi campeão após dez anos e tirou a chance do Fla celebrar o título no ano de seu centenário.

2001 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Em jogo único, Fla e Flu decidiram a Taça Guanabara (1º turno). Após o 1 x 1 no tempo normal, o Fla garantiu o título ao vencer o rival nos pênaltis (5 x 3).

2003 – Taça Rio – Campeonato Carioca
No primeiro mata-mata pela Taça Rio (2º turno) entre Fla-Flu, deu Flu. Depois do 1 x 1 no primeiro jogo da semifinal, o tricolor goleou na segunda partida (4 x 0) e passou para a final – onde foi derrotado pelo Vasco.

2004 – Taça Guanabara – Campeonato Carioca
Na decisão do 1º Turno, em jogo único, o Fla venceu por 3 x 2 e ficou com o título e a vaga na final daquele ano. 

2005 – Taça Rio – Campeonato Carioca
Na primeira final entre Flamengo e Fluminense pela Taça Rio, deu Flu, que goleou o rival (4 x 1) e garantiu vaga na final do Estudual.

2009 –  Taça Rio – Campeonato Carioca
Pela semifinal da Taça Rio (2º turno), em jogo único, o Fla venceu por 1 x 0 e garantiu vaga na final contra o Botafogo.

2011 – Taça Rio – Campeonato Carioca
No último mata-mata entre os dois times, pela semifinal da Taça Rio (2º turno), o Fla levou a melhor. Após o 1 x 1 no tempo normal, o rubro-negro venceu nos pênaltis (5 x 4) e foi para a final contra o Vasco.