Futebol em Números

Brasileirão perdeu 31 jogadores para o exterior
Comentários 1

Rodolfo Rodrigues

Depois de 22 rodadas, o Campeonato Brasileiro já perdeu 31 jogadores para o exterior. Dos 20 clubes da Série A do Brasileirão, Corinthians e São Paulo foram os times que mais perderam jogadores para fora do país – quatro cada.

O Corinthians, atual campeão brasileiro, que já havia sofrido um grande desmanche no início do ano, com as saídas de Gil, Jádson, Renato Augusto, Maicon e Vágner Love, perdeu agora o volante Bruno Henrique e os atacantes André e Luciano. No começo do campeonato, o time já havia vendido o zagueiro Felipe. Isso sem contar Alexandre Pato, vendido ao Villarreal, mas que não entrou em campo pelo time nesse Brasileirão.

Já o São Paulo vendeu Ganso ao Sevilla, Alan Kardec ao Chongqing Lifan, da China, além de Wilder Guisao, para o Toluca-MEX, e Calleri, para o West Ham-ING.

Portugal e Itália, com cinco jogadores cada, foram os países que mais levaram jogadores brasileiros. Dos 31 que saíram, pouco mais da metade foram para a Europa (16). E nessas transferências, os jogadores vendidos pelos maiores valores foram: Gabriel (27 milhões de euros), Gérson (16,6), Ganso (9,5), Alisson (8), Giuliano (7), Felipe (6,2), Alan Kardec (5), Ewandro e Bruno Henrique (3) e Ribamar (2,5).

Jogadores que disputaram o Brasileirão de 2016 e foram vendidos para o exterior:

JogadorPosiçaoDeParaPaís
EduardoMAmérica-MGEstorilPortugal
PabloAAtlético-MGVegalta SendaiJapão
Anderson LopesAAtlético-PRSanfrecce HiroshimaJapão
EwandroAAtlético-PRUdineseItália
RibamarABotafogoMunique 1860Alemanha
SilvinhoAChapecoenseSeongnamCoreia do Sul
FelipeZCorinthiansPortoPortugal
Bruno HenriqueVCorinthiansPalermoItália
AndréACorinthiansSportingPortugal
LucianoACorinthiansLeganésEspanha
Sánchez MiñoLECruzeiroIndependienteArgentina
DuduAFigueirenseVentforte KofuJapão
César MartinsZFlamengoNacionalPortugal
Rafael DumasZFlamengoFC GoaÍndia
CanterosMFlamengoVélez SarsfieldArgentina
GérsonMFluminenseRomaItália
BressanZGrêmioPeñarolUruguai
GiulianoMGrêmioZenitRússia
BobôAGrêmioSydney FCAustrália
AlissonGInternacionalRomaItália
NiltonVInternacionalVissel KobeJapão
Alisson FariasMInternacionalEstorilPortugal
CristaldoAPalmeirasCruz AzulMéxico
AlemãoZSanta CruzAl-FaisalyArábia Saudita
Daniel CostaMSanta CruzBandirmarsporTurquia
Ronaldo MendesMSantosAl WaslEmirados Árabes
GabrielASantosInternazionaleItália
GansoMSão PauloSevillaEspanha
CalleriASão PauloWest HamInglaterra
WilderASão PauloTolucaMéxico
Alan KardecASão PauloChongqing LifanChina

Brasileirão bate recorde de estrangeiros
Comentários 4

Rodolfo Rodrigues

Com a estreia de mais dois estrangeiros nessa 22ª rodada (o zagueiro Kannemann, no Grêmio, e o meia Aquino, no Fluminense), o Campeonato Brasileiro bateu o seu recorde de gringos na competição: 66, superando os 65 de 2014. Naquele ano, a CBF alterou a regra de seu regulamento geral de competições, permitindo cinco estrangeiros em campo e não apenas três.

Essa mudança fez com que os clubes aumentassem consideravelmente o número de jogadores de outros países em seus elencos. Hoje, oito times da Série A têm cinco estrangeiros no elenco (Atlético-MG, Botafogo, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Santos, São Paulo e Sport). Inter e Palmeiras contam com três gringos cada. Já Atlético-PR, Corinthians, Figueirense, Fluminense, Grêmio, Santa Cruz e Vitória têm dois cada. América-MG e Chapecoense contam com um estrangeiro e a Ponte Preta, nenhum. Nesse Brasileiro, o Cruzeiro chegou a colocar cinco estrangeiros em um único jogo.

Desde o início da era dos pontos corridos, em 2003, o número de estrangeiros subiu 372%, indo de 14 para os atuais 66. E isso que na primeira edição o Brasileirão contava com 24 clubes. Hoje, os estrangeiros representam quase 10% dos atletas que entrara em campo.

Número de estrangeiros que entraram em campo no Brasileirão desde 2003:

200314
200423
200527
200638
200734
200847
200948
201045
201140
201248
201356
201465
201560
201666

Abaixo, a lista de todos os gringos que jogaram na Série A de 2016.
Argentina (25)
Dátolo e Lucas Pratto (Atlético-MG); Luciano Cabral (Atlético-PR); Joel Carli e Gervázio Núñez (Botafogo); Martinuccio (Chapecoense); Sánchez Mino, Lucas Romero, Ariel Cabral e Ábila (Cruzeiro); Donatti, Canteros e Mancuello (Flamengo); Aquino (Fluminense); Kannemann (Grêmio); Ariel (Inter); Allione e Cristaldo (Palmeiras); Pisano (Santa Cruz); Maxi Rolón e Vecchio (Santos); e Buffarini, Centurión, Calleri e Chávez (SãoPaulo).

Colômbia (12)
Loboa (América-MG); Riascos (Cruzeiro); Ortega (Figueirense); Cuéllar (Flamengo); Mina (Palmeiras); Valencia e Copete (Santos); Wilder (São Paulo); Henríquez, Lenis e Ruiz (Sport); e Cárdenas (Vitória).

Paraguai (7)
Balbuena e Romero (Corinthians); Nery Bareiro, César González e Ortega (Coritiba); Júnior Fernández (Figueirense); Lucas Barrios* (Palmeiras).

Uruguai (5)
Salgueiro (Botafogo); Gino e Arrascaeta (Cruzeiro); Nico López (Inter); e Lugano (São Paulo).

Chile (4)
Canales* (Botafogo); Paulo Magalhães* (Inter); Mena (São Paulo); e Mark González* (Sport).

Equador (4)
Erazo e Cazares (Atlético-MG); Bolaños (Grêmio); e Alex Bolaños (Santa Cruz).

Venezuela (3)
Otero (Atlético-MG); César González (Coritiba); e Seijas (Inter).

Peru (2)
Guerrero (Flamengo); e Cueva (São Paulo).

Bolívia (1)
Rodrigo Ramallo (Vitória).

Camarões (1)Joel (Santos).

Costa Rica (1)
Rodney Wallace (Sport).

Turquia (1)
Kazim* (Coritiba).

* Jogadores naturalizados


São Paulo faz sua pior campanha caseira nos pontos corridos
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O São Paulo empatou hoje, contra o Coritiba, no Morumbi, por 0 x 0, e completou cinco jogos sem vitória em casa. No meio de semana, o time foi derrotado por 2 x 1 pelo Juventude pela Copa do Brasil. Pelo Brasileirão, são quatro jogos sem vitória como mandante.

Com quatro vitórias, três empates e quatro derrotas em casa nesse Brasileirão, o São Paulo tem apenas 45,5% de aproveitamento como mandante. Desde 2003, no início da era dos pontos corridos, essa é a pior campanha do Tricolor em casa. Em 2013, ano de sua pior campanha no geral, o São Paulo teve um aproveitamento como mandante de 47,4%.

Para se ter uma ideia, o São Paulo perdeu até agora quatro jogos em casa. Na campanha toda do tri de 2006/07/08, o time perdeu cinco jogos dos 57 jogos que fez como mandante.

Aproveitamento do São Paulo como mandante na era dos pontos corridos:

ClubePGVEDGPGCAprov.%
201615434131045,5%
201327838232047,4%
2005361065402957,1%
2010331036312757,9%
201133964311857,9%
2003441355422863,8%
2014391162321668,4%
200742133335873,7%
2009421261341373,7%
2015421261351673,7%
2006461441401480,7%
2008461441381280,7%
2004561751532081,2%
2012471522371082,5%

Com apenas 13 gols marcados em 11 jogos, o ataque do São Paulo em casa também é o seu pior desde 2003. A média de apenas 1,18 gols por jogo supera a de 2013 (1,21). Em 2004, a média de gols foi de 2,30 por jogo. E em 2006 e 2008 ficou acima de dois gols por partida.

Entre os 20 clubes da Série A de 2016, apenas três tem o aproveitamento caseiro pior do que o do São Paulo até agora. O lanterna América-MG (33,3%), o vice-lanterna Santa Cruz (36,4%) e o Cruzeiro (39,4%).

Tags : São Paulo


São Paulo: grande que mais perdeu em casa em 2016
Comentários 2

Rodolfo Rodrigues

O São Paulo voltou a decepcionar jogando em casa. Ontem, no vazio Morumbi (que recebeu seu pior público no ano – 6.643 torcedores), o Tricolor perdeu para o Juventude por 2 x 1, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

A derrota para o time gaúcho, que está na terceira divisão do Brasileiro, foi a 9ª em casa do São Paulo em 2016. Entre os 12 grandes do futebol brasileiro nenhum clube perdeu tanto em casa. Depois do São Paulo, cinco times aparecem com cinco derrotas em casa – Palmeiras, Atlético-MG, Fluminense, Inter e Cruzeiro.

Só em 2016, o São Paulo perdeu mais jogos em casa (9) do que em suas duas últimas temporadas somadas – perdeu 4 jogos em 2015 e mais 4 jogos em 2016. Apenas em 2013 o São Paulo teve um desempenho pior em casa do que o atual – foram 13 derrotas e um aproveitamento de apenas 54% dos pontos contra 60,3% do time atual.

Nesse ano, o São Paulo perdeu para o The Strongest (0 x 1), no Pacaembu, pela Libertadores (a primeira vitória de um time boliviano no Brasil na história da competição, desde 1960). Depois, foi derrotado, também no Pacaembu, pelo São Bernardo (3 x 1) e Palmeiras (2 x 0), ambos pelo Paulistão. No Morumbi, e pelo Brasileirão, o time caiu diante do Inter (2 x 1), Atlético-PR (2 x 1), Atlético-MG (2 x 1) e Botafogo (1 x 0). Além disso, perdeu ainda para o Atlético Nacional-COL pela semifinal da Libertadores e, ontem, para o Juventude pela Copa do Brasil.

Nos últimos quatro jogos, o São Paulo não venceu em casa. Sua última vitória foi contra o América-MG, no dia 10 de julho (3 x 0). Depois disso, empatou com a Chapecoense (2 x 2) – perdia por 2 x 0 e empatou no final do jogo -, e perdeu para Atlético-MG, Botafogo e Juventude. Desde julho de 2013, quando perdeu seis seguidas em casa, o time não tinha uma sequência tão ruim como mandante.

Grandes com mais derrotas em casa em 2016

ClubeJVEDAprov. %
São Paulo26152960,3
Atlético-MG26174570,5
Palmeiras23144566,7
Fluminense23126560,9
Inter23126560,9
Cruzeiro2197554,0
Flamengo23136465,2
Grêmio25175374,7
Botafogo22145371,2
Vasco24157272,2
Santos24194184,7
Corinthians25196084,0

Tags : São Paulo


Corinthians completa um ano sem derrota em casa
Comentários 12

Rodolfo Rodrigues

Depois de ganhar do Vitória, de virada, por 2 x 1, hoje, em São Paulo, o Corinthians voltou ao G4 e fechou a 21ª rodada como o único mandante invicto do Brasileirão. Em 11 jogos em casa (10 na Arena e um no Pacaembu), o Corinthians conseguiu sete vitórias e quatro empates. O Atlético-PR, outro invicto ao final do primeiro turno, perdeu para Palmeiras na 20ª rodada. Já o Figueirense, que também não havia perdido em casa, foi derrotado por 2 x 1 pelo Cruzeiro nesta 21ª rodada.

Com o resultado de hoje, o Corinthians chegou também a 33 jogos sem derrota na Arena Corinthians. A última vez em que foi derrotado lá já vai completar um ano – dia 27 de agosto de 2015 (2 x 1 para o Santos, pela Copa do Brasil). Domingo, dia 27, o Corinthians joga fora de casa contra a Ponte Preta, em Campinas. O time volta a jogar em Itaquera dia 8 de setembro, contra o Sport.

Com 75,8% de aproveitamento em casa, o Corinthians tem, porém, o quarto melhor aproveitamento caseiro. Muito devido aos alto número de empates em casa. Santos e Grêmio, com 83,3% de aproveitamento, são os melhores times caseiros até aqui, seguidos por Palmeiras (78,8%) e Atlético-PR (76,7%).

 

Tags : Corinthians


Santos é quem mais perdeu pontos com gols sofridos no final
Comentários 3

Rodolfo Rodrigues

O Santos perdeu para o Coritiba hoje, de virada, no Couto Pereira, e caiu do 2º para o 4º lugar no Brasileirão. Com a derrota, o time da Vila Belmiro corre ainda o risco de sair do G4 em caso de vitória do Corinthians amanhã. E mais uma vez o Santos acabou sendo derrotado nos minutos finais. Só nesse Brasileirão foram quatro derrotas com gols sofridos depois dos 40 minutos do segundo tempo.

O Santos perdeu para o Atlético-PR por 1 x 0 com gol de Paulo André aos 43 do 2º; para o Grêmio (3 x 2) com gol de Marcelo Hermes aos 44 do 2º; para o América-MG (1 x 0), com gol de Juninho aos 45 do 2º; e hoje, para o Coritiba (2 x 1), com um golaço de Iago Dias aos 41 do 2º. O Peixe ainda sofreu gol de empate no jogo contra o Figueirense (2 x 2), aos 46 do 2º – gol de Gustavo Ermel. Só aí, foram 6 pontos perdidos. Além disso, o Santos ainda foi derrotado pelo Inter, em casa, com um gol aos 38 do 2º tempo, e perdeu para o Corinthians com um gol aos 36 do 2º.

O São Paulo foi o segundo time que mais perdeu jogos nos minutos finais (depois dos 40 do 2º). E hoje escapou de mais uma derrota graças ao pênalti perdido por Valdívia, do Inter, que mandou sua cobrança para fora aos 45 minutos do segundo tempo. Até aqui, o Tricolor perdeu para o mesmo Inter, no Morumbi (2 x 1), com um gol aos 43 do 2º – de Eduardo Sasha; depois para o Atlético-PR (2 x 1), com um gol de Hernani aos 42 do 2º; e para o Botafogo (0 x 1), com gol de Sassá aos 48 do 2º.

Por outro lado, o Grêmio é o clube que mais conseguiu pontos nos minutos finais – 6 pontos, contra 5 da Chapecoense.

Clubes que mais perderam pontos com gols sofridos depois dos 40 minutos do 2º tempo:

ClubePontos perdidos
Santos6
América-MG5
São Paulo3
Palmeiras2
Sport2
Botafogo2
Coritiba2
Ponte Preta1
Fluminense1
Internacional1
Cruzeiro1
Figueirense1
Atlético-MG0
Flamengo0
Grêmio0
Corinthians0
Atlético-PR0
Chapecoense0
Vitória0
Santa Cruz0

Clubes que mais conquistaram pontos com gols feitos após os 40 minutos do 2º tempo:

ClubePontos ganhos
Grêmio6
Chapecoense5
São Paulo4
Coritiba3
Santos2
Corinthians2
Ponte Preta2
Atlético-PR2
Botafogo2
Internacional2
Vitória2
América-MG2
Palmeiras1
Flamengo1
Sport1
Figueirense1
Atlético-MG0
Fluminense0
Cruzeiro0
Santa Cruz0

Tags : Santos


Brasil se torna o país com mais medalhas no futebol em Olimpíadas
Comentários 5

Rodolfo Rodrigues

Com a goleada sobre a seleção de Honduras, o Brasil garantiu vaga na final do torneio masculino de futebol e consequentemente uma medalha na Olimpíada do Rio 2016. Assim, o país chega a marca de 8 medalhas no esporte, entre os torneios masculino e feminino (já conquistou 5 de prata e 2 de bronze).

No próximo sábado, o país tem a chance de ganhar o inédito ouro com a seleção masculina. Já a seleção feminina luta pelo bronze, podendo elevar para 9 medalhas conquistadas no esporte. Apenas atletismo, judô e natação já deram mais medalhas ao Brasil em Olimpíadas.

Parte dos Jogos Olímpicos desde 1900, no torneio masculino, e desde 1996, no feminino, o futebol tem como maiores medalhistas hoje o Brasil e os Estados Unidos com 7 medalhas cada. Os Estados Unidos conquistaram 4 de ouro (todas com as mulheres), 2 de prata e 1 de bronze.

Países com mais medalhas no futebol na história dos Jogos Olímpicos (torneios masculino e feminino) entre 1900 e 2012:

PaísTotalOuroPrataBronze
Estados Unidos7421
Brasil7052
Hungria5311
União Soviética5203
Dinamarca5131
Iugoslávia5131
Argentina4220
Alemanha4004
Reino Unido3300
Polônia3120
Espanha3120
Alemanha Oriental3111
Noruega3102
Itália3102
Suécia3102
Holanda3003
Uruguai2200
Tchecoslováquia2110
Nigéria2110
França2110
Canadá2101
Bulgária2011
Times mistos2011
Japão2011
Bélgica1100
México1100
Camarões1100
Paraguai1010
China1010
Áustria1010
Suíça1010
Coreia do Sul1001
Chile1001
Gréce1001
Gana1001
Alemanha Ocidental1001

Neymar pode entrar em seleto grupo de medalhistas
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O Brasil enfrenta a seleção de Honduras hoje pela semifinal do torneio masculino nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Grande favorita, a seleção brasileira tem tudo para chegar a sua quarta final e garantir pelo menos uma medalha.

A classificação para a final renderá ao Brasil seu terceiro pódio consecutivo no futebol masculino. A última seleção a conseguir esse feito foi a União Soviética, bronze em 1972, 1976 e 1980. Até hoje, os recordistas são os iugoslavos, prata em 1948, 1952, 1956 e ouro em 1960.

A vitória e vaga na final poderá garantir também mais uma medalha para o atacante Neymar. Prata na Olimpíada de Londres em 2012 e único remanescente daquele grupo, o jogador do Barcelona poderá conseguir sua segunda medalha em Olimpíadas e se igualar ao grupo de seis jogadores que já alcançaram essa marca: Ademir e Luís Carlos Winck (duas de prata em 1984 e 1988), Bebeto (prata em 1988 e bronze em 1996), e Marcelo, Thiago Silva e Alexandre Pato (bronze em 2008 e prata em 2012).  Neymar, porém, poderá ser o único da lista a ter uma de ouro.

Na história das Olimpíadas, o jogador mais vitorioso é o húngaro Dezko Novák, ouro em 1964 e 1968 e bronze em 1960. O ex-zagueiro jogou com destaque pelo Ferenvaros, da Hungria nos anos 1960 e morreu em 2014, aos 75 anos. Recentemente, desde a Olimpíada de Barcelona 1992, além dos brasileiros Marcelo, Thiago Silva e Alexandre Pato, apenas dois atletas também conseguiram duas medalhas: o zagueiro argentino Roberto Ayala (prata em 1996 e ouro em 2004) e o volante Mascherano (ouro em 2004 e 2008).

 

Tags : Neymar


Inter bate recorde negativo de jogos sem vitória
Comentários 2

Rodolfo Rodrigues

De técnico novo (Celso Roth), o Internacional mais uma vez fracassou no Brasileirão. Ontem, diante da Chapecoense, em Chapecó, o Colorado foi derrotado por 1 x 0 e chegou a marca recorde de 12 jogos sem vitória pelo Brasileirão. Desde 1990, quando o time ficou 11 jogos sem ganhar, o time não teve uma sequência tão ruim pela competição.

Depois de liderar o Brasileirão nas rodadas 5, 7 e 8, o Inter desandou no campeonato. Ainda com o técnico Argel Fucks, o time ficou seis jogos sem vencer (da 9ª a 14ª rodada). Depois, com Paulo Roberto Falcão, foram mais cinco jogos sem vitória (da 15ª a 19ª rodada). E ontem, na estreia de Roth, nova derrota.

Nessa sequência de 12 jogos sem vitória, foram três empates e nove derrotas, sendo cinco seguidas – outro recorde negativo na história do Inter em Brasileiros, repetindo a marca de 1989.

Clube que menos rodadas ficou na zona do rebaixamento na história dos pontos corridos (apenas 5 em 533 rodadas), o Inter é um dos três clubes a jogar todas as edições do Brasileirão desde 1971, ao lado de Cruzeiro e Flamengo. Mas agora, realizando sua pior campanha desde 2003, o Inter vê de perto a chance de brigar contra o rebaixamento. Algo que não acontece desde 2002.

Atualmente, com 6 vitórias, 4 empates e 10 derrotas, o Inter tem um aproveitamento de apenas 36,7% dos pontos. Apenas em 1989 (31,5%) e 1990 (33,3%), o Colorado teve um aproveitamento pior.

E se continuar nessa má fase, o Inter poderá alcançar outra marca negativa. Na era dos pontos corridos, a maior série sem vitória é de 15 jogos com o São Caetano, em 2006, e com o América-RN, em 2007.

Entre os 20 clubes que estão na Série A de 2016, esses são os maiores jejuns de vitórias em Brasileiros, desde 1971:
América-MG (14 jogos – 1971)
Figueirense (14 jogos – 2012)
Santa Cruz (13 jogos – 1974)
Corinthians (12 jogos – 2000)
Fluminense (12 jogos – 1974)
Grêmio (12 jogos – 1991)
Internacional (12 jogos – 2016)
São Paulo (12 jogos – 2013)
Sport (12 jogos – 1999)
Vitória (12 jogos – 1978)
Botafogo (11 jogos – 2004 e 2009)
Cruzeiro (11 jogos – 2011)
Atlético-MG (10 jogos – 1992)
Atlético-PR (10 jogos – 2005 e 2011)
Coritiba (10 jogos – 1986)
Flamengo (10 jogos – 2011)
Palmeiras (10 jogos – 1985, 2011 e 2014)
Chapecoense (9 jogos – 1979 e 2015)
Ponte Preta (9 jogos – 1986, 2003 e 2005)
Santos (9 jogos – 2008)


Atacantes do Corinthians marcaram menos gols do que Gabriel Jesus
Comentários 2

Rodolfo Rodrigues

Líder do Brasileirão na 17ª rodada, o Corinthians fez apenas um ponto nos últimos três jogos e agora está fora do G4. Boa parte dessa queda de rendimento se deve a pouca produtividade de seus atacantes, que não marcam gol há sete rodadas. A última vez foi na goleada sobre o Flamengo (4 x 0), dia 9 de julho, quando Romero fez dois gols e Rildo, um.

Em 20 jogos, os atacantes do Corinthians marcaram apenas 9 gols. Menos do que o artilheiro do campeonato, Gabriel Jesus, do Palmeiras, que fez 10 gols até aqui – e desde a 18ª rodada não atua por estar com a seleção olímpica. O contestado paraguaio Romero é o artilheiro da equipe com apenas quatro gols. Lucca marcou dois, enquanto Rildo, Luciano e o titular André fizeram apenas um gol cada. André, aliás, disputou 11 jogos e tem a fraca média de 0,09 gol por jogo.

Entre os atacantes dos 20 clubes da Série A, aqueles que mais marcaram gols até aqui são os do Palmeiras, com 22 gols, mais do que o dobro do que os atacantes do Corinthians marcaram. Além de Gabriel Jesus, que fez 10 gols, marcaram também Dudu, Erik e Roger Guedes (3 gols cada) e Cristaldo, Alecsandro e Lucas Barrios (1 gol cada). O ataque da Chapecoense e o da Ponte Preta aparecem na segunda posição com 18 gols cada.

Gols de atacantes por equipes no Brasileirão 2016 (até a 20ª rodada):

Palmeiras22
Chapecoense18
Ponte Preta18
Atlético-MG17
Santos16
Botafogo14
Santa Cruz12
Vitória12
São Paulo11
Coritiba11
Cruzeiro11
Grêmio10
Fluminense10
Sport9
Corinthians9
Flamengo9
Figueirense8
Atlético-PR8
Internacional8
América-MG5

Tags : Corinthians