Futebol em Números

Brasil nunca perdeu em casa com Neymar
Comentários 2

Rodolfo Rodrigues

Desde sua estreia, no dia 10 de agosto de 2010, o atacante Neymar já disputou 76 partidas oficiais pela seleção brasileira e marcou 51 gols. Nesse período, o jogador realizou 28 partidas em território brasileiro e não ainda perdeu. Desde seu primeiro jogo em casa, no dia 4 de junho de 2011, contra a Holanda, no Serra Dourada (0 x 0), Neymar ganhou 19 partidas e empatou 12 com a seleção, marcando 19 gols.

Desses 28 jogos, 15 foram de competições oficiais (Copa das Confederações, Copa do Mundo e Eliminatórias). Destes, foram 12 vitórias e 3 empates (México e Chile, na Copa, e Uruguai, nas Eliminatórias). E nesses 15 jogos, Neymar anotou 11 gols.

Contra o Paraguai, próximo rival da seleção brasileira, Neymar ainda não jogou em casa. O atacante enfrentou nossos vizinhos duas vezes, ambas na Copa América da Argentina, em 2011 (2 x 2 na primeira fase e 0 x 0 nas quartas de final).

Na Arena Corinthians, palco do jogo de terça-feira, Neymar participou de duas partidas lá e marcou gol nas duas. Na primeira partida, na abertura da Copa de 2014, marcou dois gols na vitória sobre a Croácia por 3 x 1. Depois, nas Olimpíadas, marcou na vitória sobre a Colômbia por 2 x 0, nas quartas de final, fez um gol de falta.

Somando ainda os seis jogos das Olimpíadas, três vitórias e três empates, Neymar aumenta sua invencibilidade caseira com a seleção brasileira para 34 jogos.

Jogos de Neymar em casa com a Seleção Brasileira principal:

Data   AdversárioCompetiçãoEstádioGols
04/06/20110x0HolandaAmistoso FIFASerra Dourada0
07/06/20111x0RomêniaAmistoso FIFAPacaembu0
28/09/20112x0ArgentinaSuperclássico das AméricasMangueirão1
07/09/20121x0África do SulAmistoso FIFAMorumbi0
10/09/20128x0ChinaAmistoso FIFAArruda3
19/09/20122x1ArgentinaSuperclássico das AméricasSerra Dourada1
25/04/20132x2ChileAmistoso FIFAMineirão1
02/06/20132x2InglaterraAmistoso FIFAMaracanã0
09/06/20133x0FrançaAmistoso FIFAArena do Grêmio0
15/06/20133x0JapãoCopa das ConfederaçõesMané Garrincha1
19/06/20132x0MéxicoCopa das ConfederaçõesCastelão1
22/06/20134x2ItáliaCopa das ConfederaçõesFonte Nova1
26/06/20132x1UruguaiCopa das ConfederaçõesMineirão0
30/06/20133x0EspanhaCopa das ConfederaçõesMaracanã1
07/09/20136x0AustráliaAmistoso FIFAMané Garrincha1
03/06/20144x0PanamáAmistoso FIFASerra Dourada1
06/06/20141x0SérviaAmistoso FIFAMorumbi0
12/06/20143x1CroáciaCopa do MundoArena Corinthians2
17/06/20140x0MéxicoCopa do MundoCastelão0
23/06/20144x1CamarõesCopa do MundoMané Garrincha2
28/06/20141x1ChileCopa do MundoMineirão0
04/07/20142x1ColômbiaCopa do MundoCastelão0
10/06/20151x0HondurasAmistoso FIFABeira-Rio0
17/11/20153x0PeruEliminatórias Copa do MundoArena Fonte Nova0
25/03/20162x2UruguaiEliminatórias Copa do MundoArena Pernambuco0
06/09/20162x1ColômbiaEliminatórias Copa do MundoArena da Amazônia1
06/10/20166x0BolíviaEliminatórias Copa do MundoArena das Dunas1
10/11/20163x0ArgentinaEliminatórias Copa do MundoMineirão1

 

Tags : Neymar


Paulinho: primeiro a marcar 3 gols no Uruguai em Montevidéu
Comentários 4

Rodolfo Rodrigues

Numa noite memorável da seleção brasileira pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, o meia Paulinho foi o grande destaque da goleada de 4 x 1 no lendário estádio Centenário. Autor de 3 gols, o ex-jogador do Corinthians se tornou o primeiro jogador a marcar três vezes contra a seleção uruguaia em Montevidéu em jogos oficiais – em amistosos não há registros também, embora faltem informações de algumas partidas.

Paulinho, que marcou um lindo gol de fora da área no primeiro tempo e fechou a goleada com um gol de peito, igualou também o feito que apenas dois jogadores brasileiros conseguiram até hoje e que já durava quase 60 anos. Em 1944, num amistoso no Pacaembu, Jair da Rosa Pinto marcou 3 gols sobre o Uruguai na vitória por 4 x 0. Já em 1959, na Copa América, realizada na Argentina, Paulinho Valentim marcou também 3 gols na vitória por 3 x 0. Agora, quase 58 anos depois, Paulinho repetiu a façanha deles e marcou também 3 gols na goleada por 4 x 1.

Paulinho é agora o quinto brasileiro com mais gols na história dos confrontos contra os uruguaios. Com os três gols de hoje e um na semifinal na Copa das Confederações de 2013 (que levou o Brasil à final aos 43 do 2º tempo, na vitória por 2 x 1), Paulinho tem 4 gols, assim como Risadinha e Leônidas da Silva. Jair da Rosa Pinto é o maior carrasco da Celeste com 10 gols marcados, seguido por Ademir de Menezes (6 gols) e Heleno de Freitas e Ronaldo (5 gols cada).

Paulinho foi também o primeiro jogador brasileiro a marcar 3 gols em jogos de Eliminatórias desde 2009. O último havia sido o atacante Nilmar, na vitória sobre o Chile por 4 x 2, no estádio Pituaçu, em Salvador. Anteriomente, outros jogadores que marcaram 3 gols pela seleção brasileira em Eliminatórias foram Adriano (em 2006 – 5 x 0 Chile), Ronaldo (em 2004 – 3 x 1 na Argentina), Tostão (em 1969 – 5 x 0 na Venezuela). Já Zico (em 1977 – 8 x 0 na Bolívia), Careca (em 1989 – 6 x 0 na Venezuela) e Romário (em 2000, 6 x 0 na Venezuela), marcaram 4 gols em um só jogo em Eliminatórias.

Aos 28 anos, Paulinho tem agora 9 gols pela seleção brasileira em 38 jogos. Além dos três gols de hoje, o meia havia marcado também nessas Eliminatórias contra a Argentina. Na Copa das Confederações de 2013, além do gol contra o Uruguai, na semifinal, Paulinho marcou também contra o Japão, na estreia. Já em 2012, o meia marcou também nos amistosos contra Argentina e Japão. E em 2013 fez um gol contra a Inglaterra.


Daniel Alves e quem tem mais de 100 jogos pela seleção
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Na seleção brasileira desde 2006, o lateral direito Daniel Alves completou 100 jogos na última partida de 2016, contra o Peru. Agora, contra o Uruguai completará 100 jogos oficiais – seu primeiro jogo pela seleção, no dia 7 de outubro de 2006, foi contra o Al-Kuwait, clube do Kuwait, um amistoso não oficial. Prestes a completar 34 anos (em maio), o jogador da Juventus é o 5º que mais atuou pela seleção brasileira na história (em partidas oficiais).

Cafu, outro ex-lateral direito, é o recordista com 142 partidas, seguido por Roberto Carlos, lateral esquerdo (125), Lúcio, zagueiro (105), Taffarel, goleiro (101) e Robinho, atacante (100). Em 2017, Daniel Alves tem tudo para se tornar o terceiro dessa lista. Recentemente, o lateral deixou para trás também Djalma Santos e Ronaldo (98 jogos), Ronaldinho Gaúcho (97). Entre os jogadores em atividade (mas que não estão no grupo atual), Kaká é o que tem mais jogos depois de Daniel Alves (92), seguido por Júlio César (87), Zé Roberto (84), Juan (79), Maicon (76) e Neymar (75). O atacante, aliás, com o jogo de hoje, completará 76 partidas e ocupará o 23º lugar entre os que mais atuaram pela seleção, ao lado de Maicon.

Thiago Silva, com 60 jogos, David Luiz (56), Ramires (51), Oscar (48), Hulk (47), Luis Fabiano (45), Marcelo (45), Luisão (44), Willian (43), Luiz Gustavo (41), Fred (39), Miranda (37), Paulinho (37), Elias (35), Diego (34), Lucas (34) e Fernandinho (33), completam a lista dos jogadores em atividade com mais de 30 jogos pela seleção.

No mundo, o egípcio Ahmed Hassan, com 184 jogos entre 1995 e 2012, é o recordista de partidas por uma seleção nacional, seguido pelo compatriota Hossam Hassan, com 178 jogos entre 1985 e 2006, e o mexicano Claudio Suárez, com 177 jogos entre 1992 e 2006. Dos jogadores em atividade e que atuam nas suas seleções, os recordistas são os goleiros Casillas (Espanha) e Buffon (Itália) com 167 partidas cada, seguido por Essam El-Hadary, do Egito (153); Paulo da Silva, paraguaio (143); Ahmed Mubarak, do Omã (142); Sergio Ramos, da Espanha (140); Rafael Márquez, do México (137); Cristiano Ronaldo, de Portugal (136); Shahril Ishak, de Cingapura (136); Andrés Guardado, do México (135); Mascherano, da Argentina (135); Daniel Bennett, de Cingapura (135); e Amer Shafi, da Jordânia (135).


São Paulo: sequência de gols sofridos é a maior desde 2010
Comentários 7

Rodolfo Rodrigues

Pior defesa do Campeonato Paulista com 18 gols sofridos, o São Paulo, do técnico Rogério Ceni, vem sofrendo para acertar seu sistema defensivo. Hoje, em casa, diante do Ituano, o Tricolor empatou em 1 x 1 e sofreu gol pelo 11º jogo consecutivo, contando também as partidas da Copa do Brasil. Desde 2010, quando sofreu gols em 12 jogos seguidos, o São Paulo não tinha uma sequência tão grande de partidas levando gols. Em 2012 e em 2016, o time chegou a ter uma sequência de 9 jogos sofrendo gols.

Em 2017, nos jogos oficiais, o São Paulo disputou 13 partidas e levou 22 gols (média de 1,69 por partida). No Paulistão, foram 18 gols sofridos em 9 jogos (2 por jogo). E dos 13 jogos que fez no ano, não levou gol apenas em um jogo, contra o Moto Club, na 1ª fase da Copa do Brasil (1 x 0). Nos outros 12 jogos, tomou 1 gol em 5 jogos, 2 gols em 6 jogos, 3 em 1 jogo e 4 gols em 1 jogo.

Hoje, diante do Ituano, o técnico Rogério Ceni colocou o time com uma defesa reserva e deu chance ao goleiro Renan Ribeiro, que fez a primeira partida como titular na temporada – e levou um gol. Denis, em 5 jogos, sofreu 7 gols. Já Sidão, o que mais jogou, fez 7 partidas e levou 14 gols.

Sequência de jogos do São Paulo levando gols em 2017:
12/2 – São Paulo 5 x 2 Ponte Preta (Paulista) – casa
15/2 – São Paulo 3 x 1 Santos (Paulista) – fora
18/2 – São Paulo 2 x 2 Mirassol (Paulista) – casa
21/2 – São Paulo 3 x 2 São Bento (Paulista) – casa
25/2 – São Paulo 2 x 2 Novorizontino (Paulista) – fora
1/3 – São Paulo 4 x 2 PSTC-PR (Copa do Brasil) – fora
5/3 – São Paulo 4 x 1 Santo André (Paulista) – casa
8/3 – São Paulo 3 x 1 ABC (Copa do Brasil) – casa
11/3 – São Paulo 0 x 3 Palmeiras (Paulista) – fora
15/3 – São Paulo 1 x 1 ABC (Copa do Brasil) – fora
18/3 – São Paulo 1 x 1 Ituano (Paulista) – casa

Em sua história, desde 1935, o recorde de jogos oficiais consecutivos do São Paulo levando gols é 19 partidas. A primeira delas em 1940 e a segunda em 1965. Em 1941, o time levou gols também em 18 jogos seguidos. E em 1942 e 1954, sofreu gols em 17 jogos seguidos. Contando partidas amistosas, o recorde de jogos do São Paulo levando gols é de 27 partidas, em 1961. Já em 1940, o time ficou 26 partidas seguidas levando gols.


Os maiores artilheiros da Libertadores em atividade
Comentários 4

Rodolfo Rodrigues

Na Europa, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi travam um duelo histórico nessa década para ver quem se torna o maior artilheiro da Liga dos Campeões de todos os tempos. O português lidera hoje com 95 gols, apenas um a mais do que o argentino. Ambos deixaram o espanhol Raúl (autor de 71 gols) para trás há um bom tempo. Na América do Sul, na Copa Libertadores, o recorde de gols na história da competição, porém, parece inatingível.

O equatoriano Alberto Spencer, com 54 gols feitos entre 1960 e 1972 por Peñarol-URU (48) e Barcelona-EQU (6), é até hoje o recordista e disparado na frente. O segundo colocado, o uruguaio Fernando Morena, marcou 37 gols, entre 1973 e 1986, também pelo Peñarol-URU. Entre os mais recentes, os jogadores que mais marcaram gols foram o brasileiro Luizão (29), entre 1998 e 2005, o 6º maior artilheiro em todos os tempos, e o argentino Riquelme – 25 gols entre 2000 e 2013, o 14º maior artilheiro desde 1960.

Dos jogadores em atividade, o uruguaio Hernán Rodrigo López, do Guaraní-PAR, é hoje o maior artilheiro. O atacante, campeão pelo Olimpia-PAR em 2002, disputa em 2017 sua 12ª edição do torneio sul-americano e soma 23 gols (16º colocado em todos os tempos). O argentino Santiago Salcedo, do Libertad-PAR, de 36 anos, é o segundo maior entre os jogadores em atividade com 20 gols, seguido por Esteban Paredes, do Colo-Colo-CHI, autor de 19 gols. Lucas Pratto, hoje no São Paulo, tem 18 gols, mas não está disputando a edição de 2017. Entre os brasileiros, Leandro Damião, do Flamengo, e Robinho, do Atlético-MG, são hoje os maiores artilheiros em atividade com 15 gols, seguidos por Thiago Ribeiro, do Santos, com 14 gols, e Ricardo Oliveira, também do Santos, que marcou ontem seu 12º gol.

Maiores artilheiros da Libertadores em todos os tempos e os maiores em atividade:
1º Alberto Spencer (EQU) – 54 gols
2º Fernando Morena (URU) – 37 gols
3º Pedro Rocha (URU) – 36 gols
4º Daniel Ónega (ARG) – 31 gols
5º Júlio Morales (URU) – 30 gols
6º Anthony de Ávila (COL) – 29 gols
Juan Sarnari (ARG) – 29 gols
Luizão (BRA) – 29 gols
9º Luis Artime (ARG) – 28 gols
10º Oswaldo Ramírez (PER) – 27 gols
Beto Acosta (ARG) – 27 gols
12º Juan Sánchez (BOL) – 25 gols
Palhinha (BRA) – 25 gols
Juan Román Riquelme (ARG) – 25 gols
15º Luis Fernando Salinas (BOL) – 24 gols
16º Hernán Rodrigo López* (URU) – 23 gols
Carlos Aguilera (URU) – 23 gols
Víctor Aristizábal (COL) – 23 gols
Martín Palermo (ARG) – 23 gols
20º Célio (BRA) – 22 gols
Juan Battaglia (PAR) – 22 gols
Raúl Amarilla (PAR) – 22 gols

23º Jairzinho (BRA) – 21 gols
28º Santiago Salcedo* (PAR) – 20 gols
31º Esteban Paredes* (CHI) – 19 gols
Guilherme (BRA) – 19 gols
38º Tita (BRA) – 18 gols
Marcelinho Carioca (BRA) – 18 gols
Lucas Pratto (ARG) – 18 gols
Carlos Tevez (ARG) – 18 gols

46º Pelé (BRA) – 17 gols
53º Zico (BRA) – 16 gols
Jardel (BRA) – 16 gols
64º Leandro Damião* (BRA) – 15 gols
Robinho* (BRA) – 15 gols
Ernesto Farías (ARG) – 15 gols
Rodrigo Palácio (ARG) – 15 gols
Alex (BRA) – 15 gols
78º Neymar (BRA) – 14 gols
Thiago Ribeiro* (BRA) – 14 gols
Santiago Silva* (URU) – 14 gols
Luis Fabiano (BRA) – 14 gols
92º Omar Pérez* (ARG) – 13 gols
Andrés D'Alessandro (ARG) – 13 gols
114º – Ricardo Oliveira* (BRA) – 12 gols
Pablo Escobar* (BOL) – 12 gols
Luis Tejada* (PAN) – 12 gols
Jonathan Calleri (ARG) – 12 gols
Juan Manuel Olivera (URU) – 12 gols
Juan Manuel Martínez (ARG) – 12 gols
Joffre Guerrón (EQU) – 12 gols
Jonathan Fabbro (PAR) – 12 gols
Vasconcelos (BRA) – 12 gols
Palhinha (BRA) – 12 gols
Kléber Pereira (BRA) – 12 gols
Paulo Nunes (BRA) – 12 gols
Edmundo (BRA) – 12 gols
Marcelo Ramos (BRA) – 12 gols
Danilo (BRA) – 12 gols
Jô (BRA) – 12 gols

Em negrito os jogadores em atividade.
* Jogadores que estão atuando na edição de 2017
Em azul os brasileiros


Mina fez o gol da vitória mais tardio do Palmeiras em Libertadores
Comentários 2

Rodolfo Rodrigues

Em sua 17ª partipação na Copa Libertadores, o Palmeiras suou para conquistar sua primeira vitória em casa. Ontem, diante do Jorge Wilstermann, da Bolívia, o alviverde venceu por 1 x 0 com um gol do zagueiro colombiano Mina aos 51 minutos do segundo tempo. Nunca o Palmeiras demorou tanto para conseguir uma vitória na história da competição.

De todas as suas 78 vitórias anteriores, em 155 jogos disputados, a mais sofrida até então foi a de 2009, quando Cleiton Xavier marcou um golaço aos 42 minutos do 2º tempo na vitória por 1 x 0 sobre o Colo-Colo, em Santiago. O resultado, além de suado, garantiu ainda a classificação do Palmeiras para as oitavas de final daquele ano. Já em 2001, também na 1ª fase e no Chile, o Palmeiras ganhou da Universidad de Chile por 2 x 1 com um gol do zagueiro Alexandre aos 41 minutos do 2º tempo (2 x 1).

Gols mais tardios que deram vitórias ao Palmeiras na Libertadores desde 1961:

16/3/2017 – Palmeiras 1 x 0 Jorge Wilstermann (1ª fase)
51 do 2º – Mina

30/4/2009 – Colo-Colo-CHI 0 x 1 Palmeiras (1ª fase)
42 do 2º – Cleiton Xavier

18/4/2001 – Universidad de Chile-CHI 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
41 do 2º – Alexandre

25/5/2000 – Palmeiras 3 x 2 Atlas-MEX (Quartas)
40 do 2º – Rodrigo Taddei

4/2/1968 – Galícia-VEN 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
38 do 2º – Baldomero Amarilal (contra)

16/5/2000 – Palmeiras 1 x 0 São Caetano (oitavas)
37 do 2º – Muñoz

7/2/1968 – Deportivo Portugués-VEN 1 x 2 Palmeiras (1ª fase)
36 do 2º – Ademar Pantera

Já os gols tardios que deram empates ao Palmeiras na Libertadores, curiosamente, aconteceram duas vezes, ambas nas quartas de final de 2001. No jogo de ida, Lopes empatou, em São Paulo, aos 45 do 2º, quando o Cruzeiro, de Felipão, vencia por 3 x 2. Já no jogo de volta, no Mineirão, o zagueiro Alexandre, novamente, empatou em 2 x 2, aos 40 do 2º, levando a disputa para o pênaltis, onde o Palmeiras, de Celso Roth, levou a melhor (4 x 3).

23/5/2001 – Palmeiras 3 x 3 Cruzeiro (quartas)
45 do 2º – Lopes

30/5/2001 – Cruzeiro 2 x 2 Palmeiras (quartas)
40 do 2º – Alexandre


Juventus-ITA: melhor campanha entre os oito finalistas da Liga dos Campeões
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Depois oito emocionantes confrontos de mata-matas nas oitavas de final e 62 gols marcados (média de 3,88 por partida) a Liga dos Campeões da Europa conheceu hoje seus oito times que vão disputar as quartas de final da edição de 2016/17. Como nos últimos três anos, o trio espanhol (Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madri) e o Bayern Munique-ALE estão novamente entre os oito finalistas. Juventus-ITA, Leicester-ING, Monaco-FRA e Borussia Dortmund-ALE completam a lista.

Até aqui, a Juventus e o Real Madrid chegam como os únicos invictos às quartas de final. E o time italiano, comandado por Massimiliano Allegri, vem com a melhor campanha entre os oito clubes que ainda lutam pelo título. Em oito jogos, a equipe de Turim venceu seis e empatou duas. Além disso, o time italiano, do experiente goleiro Buffon, tem a melhor defesa da competição com apenas dois gols sofridos em oito jogos.

O Atlético de Madri, do técnico Simeone, que vai às quartas de final pela quarta temporada consecutiva (foi vice-campeão em 2014 e 2016), fez a segunda melhor campanha com seis vitórias, um empate e uma derrota. Além disso, tem a segunda melhor defesa com apenas quatro gols sofridos. Por outro lado, o Monaco, que despachou o favorito Manchester City, do técnico Pep Guardiola (fora de uma semifinal pela primeira vez em oito edições), tem a pior campanha com quatro vitórias, dois empates e duas derrotas. Já o Leicester, único representante da Inglaterra e que chega às quartas em sua estreia na competição, tem a segunda pior campanha e o pior ataque (apenas 10 gols em 8 jogos). Já o Barcelona, com os 6 gols que marcou na incrível goleada sobre o PSG (6 x 1) passou a ter o melhor ataque com 26 gols, superando Borussia Dortmund (25), Bayern Munique (24) e Real Madrid (22).

Campanha dos oito finalistas da Liga dos Campeões 2016/17:

ClubePGVEDGPGCSaldo
Juventus2062014212
Atlético de Madri196111147
Barcelona1860226917
Bayern Munique1860224816
Real Madrid18530221210
Borussia Dortmund17521251015
Leicester165121082
Monaco1442215132

 

Brasileiros
Dos oito clubes que sobraram na Champions League, Real Madrid e Monaco são os clubes com mais jogadores brasileiros no elenco (4), seguido por Barcelona e Juventus(3), e Bayern Munique e Atlético de Madri (2) Apenas  Borussia Dortmund e Leicester não contam com brasileiros no time.
Real Madrid-ESP: Marcelo* (lateral-esquerdo), Danilo (lateral-direito), Casemiro* (volante), Pepe** (zagueiro)
Monaco-FRA: Fabinho* (lateral-direito/volante), Jemerson* (zagueiro), Jorge (lateral-esquerdo) e Boschillia (meia)
Barcelona-ESP: Neymar* (atacante), Rafinha (meia) e Marlon (zagueiro)
Juventus-ITA: Neto (goleiro), Daniel Alves* (lateral-direito/meia) e Alex Sandro* (lateral-esquerdo)
Bayern Munique-ALE: Douglas Costa* (atacante) e Rafinha (lateral-direito)
Atlético de Madri-ESP: Filipe Luís* (lateral-esquerdo)
Borussia Dortmund-ALE:
Leicester-ING:

* Titulares
** Naturalizado português

Elencos mais valiosos
De acordo com o site alemão Transfermarkt, especializado em valores de mercado de clubes e jogadores, o Real Madrid, atual campeão da Liga dos Campeões, é o clube com o elenco mais valioso entre os oito finalistas da edição de 2016/17, seguido pelo rival Barcelona. O Manchester City-ING, que no início da competição tinha o quarto elenco mais valioso, atrás do Bayern Munique, foi eliminado hoje pelo Monaco, curiosamente o time que tem o elenco menos valioso entre os oito finalistas.

1º – Real Madrid-ESP (766,8 milhões de euros)
2º – Barcelona-ESP (753,5 milhões de euros)
3º – Bayern Munique-ALE (556,15 milhões de euros)
4º – Atlético de Madri-ESP (497,5 milhões de euros)
5º – Juventus-ITA (447,8 milhões de euros)
6º – Borussia Dortmund-ALE (378,4 milhões de euros)
7º – Leicester-ING (205,3 milhões de euros)
8º – Monaco-FRA (197,8 milhões de euros)

Quem mais chegou às quartas de final
Desde que a antiga Copa dos Campeões passou a ser chamada de Liga dos Campeões, na temporada 1992/93, o Barcelona foi o time que mais vezes chegou às quartas de final (x vezes). Entre os oito finalistas da atual edição, o Leicester, que faz sua estreia na competição, é o único que alcança essa fase pela primeira vez também.

1º Barcelona (em 22 participações chegou 16 vezes às quartas – classificou-se em 11 e foi campeão 4 vezes)
2º Bayern Munique (em 21 participações chegou 16 vezes às quartas – classificou-se em 10 e foi campeão 2 vezes)
3º Real Madrid (em 22 participações chegou 15 vezes às quartas – classificou-se em 11 e foi campeão 5 vezes)
4º Juventus (em 18 participações chegou 10 vezes às quartas – classificou-se em 6 e foi campeão 1 vez)
5º Borussia Dortmund (em 12 participações chegou 6 vezes às quartas – classificou-se em 3 e foi campeão 1 vez)
6º Atlético de Madri (em 8 participações chegou 5 vezes às quartas – classificou-se em 2 e foi vice-campeão 2 vezes)
6º Monaco (em 8 participações chegou 5 vezes às quartas – classificou-se em 3 e foi vice-campeão 1 vez)
8º Leicester (em 1 participação chegou 1 vez às quartas)


Novas arenas: Palmeiras supera Corinthians no desempenho dos clássicos
Comentários 8

Rodolfo Rodrigues

Corinthians e Palmeiras inauguram seus novos estádios em 2014 e desde então vêm tendo um aproveitamento muito bom em casa, principalmente nos clássicos. Na Arena Corinthians, inaugurada dia 18 de maio de 2014, o alvinegro disputou 16 clássicos, com 10 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, com um aproveitamento de 68%. Vitorioso em seus quatro primeiros jogos, o Corinthians foi perder sua invencibilidade em clássicos em Itaquera na 7ª partida, para o Palmeiras. Em 16 jogos, o alvinegro marcou 26 gols (1,63 por jogo) e sofreu 13 gols (0,81). Agora, em 2017, nos dois jogos que fez em casa, o Corinthians conseguiu duas vitórias (1 x 0 sobre Palmeiras e Santos). Diante dos rivais, o Corinthians ainda não perdeu para o São Paulo em casa (4 vitórias e 1 empate e 14 gols feitos). Contra o Palmeiras, foram 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. E diante do Santos, foram 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

Já o Palmeiras, que inaugurou seu estádio no dia 19 de novembro de 2014, já disputou 12 jogos no Allianz Parque. Com a vitória sobre o São Paulo, por 3 x 0, no último sábado, o alviverde chegou a 8 vitórias em casa, 2 empates e apenas uma derrota – para o Corinthians no primeiro clássico realizado lá. Assim, o time já soma 11 clássicos sem derrota em casa – sete vitórias e quatro empates. Em 12 jogos em casa, o Palmeiras marcou 21 gols (1,75) e sofreu 7 gols (0,58) e tem um aproveitamento de 75% dos pontos disputados. Contra o Corinthians, foram três jogos, com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota. Contra o Santos, foram 3 vitórias e 2 empates, além de um título na Copa do Brasil. Já contra o São Paulo, assim como o Corinthians, o Palmeiras não perdeu. Em quatro jogos, foram 4 vitórias e 12 gols marcados.

Desempenho do Palmeiras nos clássicos no Allianz Parque:
8/2/2015 – 0 x 1 Corinthians (Paulista)
25/3/2015 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)
26/4/2015 – 1 x 0 Santos (Paulista)
28/6/2015 – 4 x 0 São Paulo (Brasileiro)
19/7/2015 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
6/9/2015 – 3 x 3 Corinthians (Brasileiro)
2/12/2015 – 2 x 1 Santos (Copa do Brasil)
20/2/2016 – 0 x 0 Santos (Paulista)
12/6/2016 – 1 x 0 Corinthians (Brasileiro)
12/7/2016 – 1 x 1 Santos (Brasileiro)
7/9/2016 – 2 x 1 São Paulo (Brasileiro)
11/3/2017 – 3 x 0 São Paulo (Paulista)

12 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 75% de aproveitamento

Desempenho do Corinthians nos clássicos na Arena Corinthians:
27/7/2014 – 2 x 0 Palmeiras (Brasileiro)
21/9/2014 – 3 x 2 São Paulo (Brasileiro)
9/11/2014 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
18/2/2015 – 2 x 0 São Paulo (Libertadores)
5/4/2015 – 1 x 1 Santos (Paulista)
19/4/2015 – 2 x 2 Palmeiras (Paulista)
31/5/2015 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
26/8/2015 – 1 x 2 Santos (Copa do Brasil)
20/9/2015 – 2 x 0 Santos (Brasileiro)
22/11/2015 – 6 x 1 São Paulo (Brasileiro)
14/2/2016 – 2 x 0 São Paulo (Paulista)
1/6/2016 – 1 x 0 Santos (Brasileiro)
17/7/2016 – 1 x 1 São Paulo (Brasileiro)
17/9/2016 – 0 x 2 Palmeiras (Brasileiro)
22/2/2017 – 1 x 0 Palmeiras (Paulista)
4/3/2017 – 1 x 0 Santos (Paulista)

16 jogos, 10 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 68% de aproveitamento

 


Flamengo: melhor ataque do Brasil em 2017
Comentários 4

Rodolfo Rodrigues

Com 12 gols nos últimos três jogos, o Flamengo passou agora a ser o time de melhor ataque na temporada 2017 entre os clubes que estão na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Com os três gols contra o Fluminense, na final da Taça Guanabara, os quatro na vitória por 4 x 0 na estreia da Libertadores, e os cinco gols na vitória sobre a Portuguesa, pelo Campeonato Carioca, o rubro-negro soma agora 33 gols em 12 jogos – média de 2,75 por partida. O atacante peruano Guerrero, com 7 gols (todos no Estadual do Rio), é o artilheiro da equipe, seguido por Diego (5 gols), Everton, Leandro Damião e Mancuello (3 gols), Gabriel, Trauco, Lucas Paquetá e Willian Arão (2 gols) e Berrío, Juan e Rômulo (1 gol cada).

O São Paulo, que perdeu o clássico para o Palmeiras, no sábado, tem o segundo melhor ataque agora com média de 2,64 gols por jogo (marcou 29 gols em 11 jogos). Entre os 12 grandes do futebol brasileiro, o Corinthians tem hoje o pior ataque na temporada, com apenas 12 gols em 11 jogos – média de 1,09 por partida.

E além de ter o melhor ataque, o rubro-negro, do técnico Zé Ricardo, é ainda um dos invictos na temporada, ao lado do Cruzeiro. Até aqui, em 12 jogos, o Flamengo conseguiu 10 vitórias e 2 empates. A Raposa, do técnico Mano Menezes, que venceu hoje o clássico contra o América-MG (1 x 0), também não foi derrotada em seus 12 jogos (11 vitórias e um empate). Com 94,4% de aproveitamento, o Cruzeiro tem o melhor desempenho entre os 12 grandes no ano, à frente do Flamengo, que conquistou 88,9% dos pontos disputados. O Santos, por outro lado, tem o pior (45,8%).

Melhores ataques em 2017:

ClubeJogosGolsMédia
Flamengo12332,75
São Paulo11292,64
Fluminense12292,42
Palmeiras9212,33
Santos8182,25
Cruzeiro12262,17
Atlético-MG10212,10
Cruzeiro10212,10
Vitória13272,08
Sport14282,00
Internacional13241,85
Bahia13231,77
Ponte Preta10141,40
Grêmio9121,33
Avai13171,31
Vasco10131,30
Botafogo10121,20
Corinthians11121,09
Atlético-PR12131,08
Atlético-GO1090,90
Chapecoense17140,82
Coritiba970,78

 

Melhores aproveitamentos em 2017:

Tags : Flamengo


Neymar: 5º brasileiro com mais gols na Liga dos Campeões
Comentários 3

Rodolfo Rodrigues

O atacante Neymar foi um dos heróis da histórica virada do Barcelona sobre o PSG, hoje, nas oitavas de final da Liga dos Campeões. Autor de dois gols (aos 43 e aos 45 do segundo tempo), uma assistência, o camisa 11 do Barça ainda sofreu um pênalti na goleada de 6 x 1 sobre o time francês, que colocou o time espanhol nas quartas de final.

Líder em assistências na atual edição da Champions League (com 7), Neymar marcou seu quarto gol na competição e o segundo de falta. Agora, já soma cinco com a camisa do clube catalão. No Barcelona desde 2013, Neymar já soma agora 21 gols na Liga dos Campeões. Campeão e artilheiro em 2015, com 10 gols, Neymar fez 4 gols na edição 2013/14, mais 3 gols na edição 2015/16 e agora outros 4 gols na atual edição (2016/17).

Com isso, deixou mais um brasileiro para trás na na lista dos maiores artilheiros da competição – Luiz Adriano, autor de 20 gols. Agora, Neymar está atrás apenas de Kaká (30 gols), Rivaldo (27), Jardel (25) e Élber (24).

Pelo Barcelona, Neymar chegou agora a 99 gols e igualou Pedro, hoje no Chelsea, na 18ª colocação dos maiores artilheiros da história do clube. Entre os brasileiros, apenas Evaristo de Macedo (105 gols e 16º colocado) e Rivaldo (130 gols e 4º colocado), fizeram mais gols pelo Barça.

Brasileiros com mais gols na história da Liga dos Campeões:
1º Kaká (30 gols em 86 jogos)
2º Rivaldo (27 gols em 73 jogos)
3º Jardel (25 gols em 46 jogos)
4º Élber (24 gols em 69 jogos)
5º Neymar (21 gols em 38 jogos)
6º Luiz Adriano (20 gols em 41 jogos)
7º Juninho Pernambucano (18 gols em 58 jogos)
Ronaldinho Gaúcho (18 gols em 47 jogos)
9º Hulk (17 gols em 50 jogos)
10º Romário (16 gols em 26 jogos)
11º Roberto Carlos (15 gols em 120 jogos)
12º Ronaldo (14 gols em 40 jogos)
Adriano (14 gols em 27 jogos)
14º Sonny Anderson (13 gols em 29 jogos)
Deco (13 gols em 75 jogos)
Willian (13 gols em 56 jogos)