Futebol em Números

Arquivo : Neymar

Os brasileiros que já marcaram em finais de Liga dos Campeões
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Autor do segundo gol da vitória do Real Madrid, hoje, por 4 x 1, sobre a Juventus, o volante Casemiro entrou para o seleto grupo de brasileiros que marcaram em finais da Liga dos Campeões. Desde 1995 até hoje, foram apenas dez brasileiros que fizeram gols nas decisões. Desses, quatro fizeram gols do título e nove ficaram também com o título, como Casemiro.

Mazzola (5 gols)
Fez 2 dois pelo Milan-ITA na vitória de virada sobre o Benfica-POR por 2 x 1 na final de 1963. Depois, pela Internazionale-ITA, Mazzola marcou mais 2 gols na final do ano seguinte na vitória por 3 x 1 sobre o Real Madrid-ESP. Em 1967, fez mais um gol em final pela Inter na derrota para o Celtic na final.

Jair da Costa (1 gol)
Fez o gol do título da Internazionale sobre o Benfica-POR na final de 1965.

Juary (1 gol)
Revelado pelo Santos, o atacante fez o gol da vitória do Porto-POR sobre o Bayern Munique-ALE por 2 x 1 na final de 1987 aos 34 do 2º tempo

Lúcio (1 gol)
O zagueiro fez um gol na derrota do seu Bayer Leverkusen-ALE para o Real Madrid-ESP por 2 x 1, na final de 2002.

Deco (1 gol)
O brasileiro naturalizado português fez um dos gols do Porto-POR, campeão, na vitória por 3 x 0 sobre o Monaco-FRA em 2004.

Carlos Alberto (1 gol)
O meia, ex-Fluminense e Corinthians, fez também na final de 2004, quando o Porto, time de José Mourinho bateu o Monaco-POR por 3 x 0.

Beletti (1 gol)
Marcou o gol do título do Barcelona na final de 2006, sobre o Arsenal-ING, na vitória por 2 x 1. O lateral direito fez o gol aos 36 minutos do segundo tempo.

Marcelo (1 gol)
O lateral esquerdo do Real Madrid fez um dos gols na goleada sobre o Atlético de Madri na final de 2014. Marcelo fez o terceiro gol aos 13 minutos do segundo tempo da prorrogação.

Neymar (1 gol)
O atacante marcou o último gol da vitória do Barcelona por 3 x 1 sobre a Juventus na decisão de 2015.

Casemiro (1 gol)
O volante fez o 2º gol na vitória do Real Madrid por 4 x 1 sobre a Juventus.


Quem são os líderes em assistências na Europa
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O belga Kevin de Bruyne, do Manchester City, deu ontem sua 16ª assistência no Campeonato Inglês da temporada 2016/17 e quebrou o recorde do companheiro David Silva, que na temporada 2010/11 havia dado 15 assistências. De Bruyne tem três assistências a mais do que Christian Eriksen, do Tottenham, e deverá terminar como líder nesse quesito na Premier League dessa temporada.

Nos outros cinco principais campeonatos nacionais do Velho Continente, o recordista de assistências é o sueco Emil Fosberg, do Red Bull Leipzig, vice-campeão alemão. Entre os brasileiros, Neymar é o que mais deu assistências entre os seis principais campeonatos, com 11.

Líderes em assistências

Campeonato Alemão
1º Emil Forsberg (Suécia) – Red Bull Leipzig – 18
2º Thomas Müller (Alemanha) – Bayern Munque – 12
3º Frank Ribery (França) – Bayern Munque – 11
Ousmane Dembélé (França) – Borussia Dortmund – 11

Campeonato Espanhol
1º Luis Suárez (Uruguai) – Barcelona – 13
2º Toni Kross (Alemanha) – Real Madrid – 12
3º Neymar (Brasil) – Barcelona – 11
4º Marcelo (Brasil) – Real Madrid – 10
Pablo Piatti (Argentina) – Espanyol – 10

Campeonato Francês
1º Morgan Sanson (França) – Olympique de Marselha – 12
2º Jean Michael Seri (Costa do Marfim) – Nice – 10
3º Florian Thauvin (França) – Olympique de Marselha – 9
Bernardo Silva (Portugal) – Monaco – 9
Ryad Boudebouz (Argélia) – Montpellier – 9

Campeonato Inglês
1º Kevin de Bruyne (Bélgica) – Manchester City – 16
2º Christian Eriksen (Dinamarca) – Tottenham – 13
Gylfi Sigurdsson (Islândia) – Swansea – 13
4º Cesc Fabregas (Espanha) – Chelsea – 11
5º Alexis Sánchez (Chile) – Arsenal – 10

Campeonato Italiano
1º Mohamed Salah (Egito) – Roma – 11
José Callejon (Espanha) – Napoli – 11
3º Alejandro Gómez (Argentina) – Atalanta – 10
Antonio Candreva (Itália) – Internazionale – 10

Campeonato Português
1º Gelson Martins (Portugal) – Sporting – 9
2º Alex Telles (Brasil) – Porto – 8
Pizzi (Portugal) – Benfica – 8
4º Wilson Eduardo (Portugal) – Braga – 7
Pedro Santos (Portugal) – Braga – 7
Iuri Medeiros (Portugal) – Boavista – 7

Brasileiros com mais assistências:
1º Neymar (Barcelona) – 11
2º Marcelo (Real Madrid) – 10
3º Felipe Anderson (Lazio) – 9
4º Alex Telles (Porto) – 8
5º Fernando Marçal (Guingamp) – 7
Philippe Coutinho (Liverpool) – 7
7º Filipe Luís (Atlético de Madri) – 6
Maxwell (Paris Saint-Germain) – 6
Roberto Firmino (Liverpool) – 6
Diego Costa (Chelsea) – 6
Allan (Napoli) – 6
Raphinha (Vitória de Guimarães) – 6
Patrick Vieira (Marítimo) – 6


Vinícius Júnior e os mais novos a estrear no Brasileirão desde 2003
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Grande promessa das categorias de base do Flamengo, o atacante Vinícius Júnior fez sua estreia pelo Flamengo no primeiro jogo do rubro-negro pelo Brasileirão de 2017. Aos 16 anos, o jogador foi o mais jovem a entrar em campo nessa 1ª rodada do Brasileirão. O joia flamenguista é um ano mais novo do que o atacante Paulo Vítor, do Vasco, que entrou em campo ontem pelo Vasco com 17 anos e 9 meses.

Na era do Brasileirão por pontos corridos, Vinícius Júnior é um também um dos mais novo a entrar em campo. Porém, o recorde, até hoje, é do atacante Jô. Em 2003, ele estreou pelo Corinthians com 16 anos e 3 meses. Curiosamente, o atacante está de volta ao clube onde começou e nessa 1ª rodada do Brasileirão de 2017 fez um gol no empate contra a Chapecoense.

Entre os mais novos de cada ano, alguns chegaram à seleção brasileira e também tiveram sucesso no futebol europeu. Além de Jô, outro destaque foi Alexandre Pato, o mais novo de 2006, Neymar (2009) e Felipe Anderson (2010). Outra curiosidade é que maioria dos jovens são atacantes – dez dos 15 mais novos.

Em 2005, o atacante Cláudio, do Palmeiras, entrou em campo com 16 anos e 1 mês e poderia ter sido assim o jogador mais novo a entrar em campo pelo Brasileirão na era dos pontos corridos. Porém, pouco depois, o atleta foi suspenso por ter adulterado seu nome e idade (era dois anos mais velho).

Os jogadores mais novos a entrar em campo em cada edição do Brasileirão na era dos pontos corridos (desde 2003):

AnoJogadorPosiçãoClubeIdade
2003atacanteCorinthians16,3
2004Zé EduardoatacantePalmeiras16,9
2005Bruno MezengaatacanteFlamengo16,8
2006Alexandre PatoatacanteInternacional17,2
2007Michel SchmoellerzagueiroFigueirense16,9
2008MülleratacanteIpatinga17,1
2009NeymaratacanteSantos17,3
2010Felipe AndersonmeiaSantos17,5
2011Yuri MamuteatacanteGrêmio16,4
2012Victor AndradeatacanteSantos16,9
2013SaullomeiaNáutico16,8
2014MalcomatacanteCorinthians17,2
2015LincolnmeiaGrêmio16,6
2016Dodôlateral direitoCoritiba17,5
2017Vinícius JúnioratacanteFlamengo16,9

Neymar chega a marca de 300 gols na carreira
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Autor de 3 gols na goleada do Barcelona por 4 x 1, hoje, sobre o Las Palmas, pelo Campeonato Espanhol, o brasileiro Neymar chegou a marca de 300 gols na carreira, sem contar os jogos pelas seleções sub-17, sub-20 e olímpica.

Pelo Barcelona, Neymar tem agora 110 gols em 190 jogos, sendo 104 em jogos oficiais. Agora, falta apenas um gol para Neymar igualar outro brasileiro, Evaristo de Macedo, autor de 105 gols pelo clube catalão entre 1957 e 1962, e o 16º maior artilheiro da história do clube.

Além dos 110 gols pelo Barcelona, Neymar soma ainda mais 138 gols pelo Santos, em 230 jogos, e mais 52 gols pela Seleção Brasileira em 77 jogos. No geral, na carreira, são 300 gols em 497 jogos. Contanto apenas partidas oficiais (sem contar amistosos por Santos e Barcelona), são 292 gols em 485 jogos.

Pela Seleção Brasileira Sub-20, Neymar tem ainda mais 9 gols em 7 jogos, todos no Sul-Americano Sub-20 de 2011; 8 gols em 13 jogos pela Seleção Brasileira Olímpica (nas Olimpíadas de 2012 e 2016); e mais um gol pela Seleção Brasileira Sub-17.

Nessa temporada 2016/17, Neymar tem agora 20 gols em 43 jogos pelo Barcelona. Em sua primeira, em 2013/14, o atacante marcou 17 gols em 45 jogos. Na segunda temporada, foram 41 gols em 52 jogos. Já na última, foram 31 gols em 50 jogos.

Tags : Neymar


Brasil nunca perdeu em casa com Neymar
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Desde sua estreia, no dia 10 de agosto de 2010, o atacante Neymar já disputou 76 partidas oficiais pela seleção brasileira e marcou 51 gols. Nesse período, o jogador realizou 28 partidas em território brasileiro e não ainda perdeu. Desde seu primeiro jogo em casa, no dia 4 de junho de 2011, contra a Holanda, no Serra Dourada (0 x 0), Neymar ganhou 19 partidas e empatou 12 com a seleção, marcando 19 gols.

Desses 28 jogos, 15 foram de competições oficiais (Copa das Confederações, Copa do Mundo e Eliminatórias). Destes, foram 12 vitórias e 3 empates (México e Chile, na Copa, e Uruguai, nas Eliminatórias). E nesses 15 jogos, Neymar anotou 11 gols.

Contra o Paraguai, próximo rival da seleção brasileira, Neymar ainda não jogou em casa. O atacante enfrentou nossos vizinhos duas vezes, ambas na Copa América da Argentina, em 2011 (2 x 2 na primeira fase e 0 x 0 nas quartas de final).

Na Arena Corinthians, palco do jogo de terça-feira, Neymar participou de duas partidas lá e marcou gol nas duas. Na primeira partida, na abertura da Copa de 2014, marcou dois gols na vitória sobre a Croácia por 3 x 1. Depois, nas Olimpíadas, marcou na vitória sobre a Colômbia por 2 x 0, nas quartas de final, fez um gol de falta.

Somando ainda os seis jogos das Olimpíadas, três vitórias e três empates, Neymar aumenta sua invencibilidade caseira com a seleção brasileira para 34 jogos.

Jogos de Neymar em casa com a Seleção Brasileira principal:

Data   AdversárioCompetiçãoEstádioGols
04/06/20110x0HolandaAmistoso FIFASerra Dourada0
07/06/20111x0RomêniaAmistoso FIFAPacaembu0
28/09/20112x0ArgentinaSuperclássico das AméricasMangueirão1
07/09/20121x0África do SulAmistoso FIFAMorumbi0
10/09/20128x0ChinaAmistoso FIFAArruda3
19/09/20122x1ArgentinaSuperclássico das AméricasSerra Dourada1
25/04/20132x2ChileAmistoso FIFAMineirão1
02/06/20132x2InglaterraAmistoso FIFAMaracanã0
09/06/20133x0FrançaAmistoso FIFAArena do Grêmio0
15/06/20133x0JapãoCopa das ConfederaçõesMané Garrincha1
19/06/20132x0MéxicoCopa das ConfederaçõesCastelão1
22/06/20134x2ItáliaCopa das ConfederaçõesFonte Nova1
26/06/20132x1UruguaiCopa das ConfederaçõesMineirão0
30/06/20133x0EspanhaCopa das ConfederaçõesMaracanã1
07/09/20136x0AustráliaAmistoso FIFAMané Garrincha1
03/06/20144x0PanamáAmistoso FIFASerra Dourada1
06/06/20141x0SérviaAmistoso FIFAMorumbi0
12/06/20143x1CroáciaCopa do MundoArena Corinthians2
17/06/20140x0MéxicoCopa do MundoCastelão0
23/06/20144x1CamarõesCopa do MundoMané Garrincha2
28/06/20141x1ChileCopa do MundoMineirão0
04/07/20142x1ColômbiaCopa do MundoCastelão0
10/06/20151x0HondurasAmistoso FIFABeira-Rio0
17/11/20153x0PeruEliminatórias Copa do MundoArena Fonte Nova0
25/03/20162x2UruguaiEliminatórias Copa do MundoArena Pernambuco0
06/09/20162x1ColômbiaEliminatórias Copa do MundoArena da Amazônia1
06/10/20166x0BolíviaEliminatórias Copa do MundoArena das Dunas1
10/11/20163x0ArgentinaEliminatórias Copa do MundoMineirão1

 

Tags : Neymar


Neymar: 5º brasileiro com mais gols na Liga dos Campeões
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O atacante Neymar foi um dos heróis da histórica virada do Barcelona sobre o PSG, hoje, nas oitavas de final da Liga dos Campeões. Autor de dois gols (aos 43 e aos 45 do segundo tempo), uma assistência, o camisa 11 do Barça ainda sofreu um pênalti na goleada de 6 x 1 sobre o time francês, que colocou o time espanhol nas quartas de final.

Líder em assistências na atual edição da Champions League (com 7), Neymar marcou seu quarto gol na competição e o segundo de falta. Agora, já soma cinco com a camisa do clube catalão. No Barcelona desde 2013, Neymar já soma agora 21 gols na Liga dos Campeões. Campeão e artilheiro em 2015, com 10 gols, Neymar fez 4 gols na edição 2013/14, mais 3 gols na edição 2015/16 e agora outros 4 gols na atual edição (2016/17).

Com isso, deixou mais um brasileiro para trás na na lista dos maiores artilheiros da competição – Luiz Adriano, autor de 20 gols. Agora, Neymar está atrás apenas de Kaká (30 gols), Rivaldo (27), Jardel (25) e Élber (24).

Pelo Barcelona, Neymar chegou agora a 99 gols e igualou Pedro, hoje no Chelsea, na 18ª colocação dos maiores artilheiros da história do clube. Entre os brasileiros, apenas Evaristo de Macedo (105 gols e 16º colocado) e Rivaldo (130 gols e 4º colocado), fizeram mais gols pelo Barça.

Brasileiros com mais gols na história da Liga dos Campeões:
1º Kaká (30 gols em 86 jogos)
2º Rivaldo (27 gols em 73 jogos)
3º Jardel (25 gols em 46 jogos)
4º Élber (24 gols em 69 jogos)
5º Neymar (21 gols em 38 jogos)
6º Luiz Adriano (20 gols em 41 jogos)
7º Juninho Pernambucano (18 gols em 58 jogos)
Ronaldinho Gaúcho (18 gols em 47 jogos)
9º Hulk (17 gols em 50 jogos)
10º Romário (16 gols em 26 jogos)
11º Roberto Carlos (15 gols em 120 jogos)
12º Ronaldo (14 gols em 40 jogos)
Adriano (14 gols em 27 jogos)
14º Sonny Anderson (13 gols em 29 jogos)
Deco (13 gols em 75 jogos)
Willian (13 gols em 56 jogos)


Os maiores artilheiros da Liga dos Campeões por país
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Nesta semana, depois de quatro jogos de ida pelas oitavas de final, a Liga dos Campeões contou com dois novos recordistas de gols na competição por país. Benzema, que marcou na vitória do Real Madrid-ESP sobre o Napoli-ITA, por 3 x 1, se tornou o francês com mais gols na história da competição, superando o compatriota Thierry Henry (51 a 50 gols). Benzema, agora, é o 5º maior artilheiro da Champions em todos os tempos.

Outro que se tornou o maior artilheiro de seu país na história do principal torneio de clubes do mundo foi o atacante Alexis Sánchez, do Arsenal. Com o gol que fez na derrota para o Bayern Munique-ALE por 5 x 1, Sánchez chegou a 12 gols, superando Arturo Vidal, curiosamente do Bayern, que tem 11 gols.

Entre os principais artilheiros por país, muitos estão em atividade ou ainda disputando a competição. No Brasil, Kaká segue como o maior artilheiro (30 gols). Neymar, com 19 gols, é o sexto da lista. Entre os maiores, que disputam a edição de 2016/17, estão Cristiano Ronaldo (96), Messi (93), Benzema (51), Thomas Müller (39), Lewandowski (38), Robben (28), Agüero (25) e Cavani (24).

Confira o top 10 de artilheiros da história da Liga dos Campeões e também os maiores de cada país (entre os principais no futebol):

Dez maiores artilheiros da Liga dos Campeões (1955-2017)
1º Cristiano Ronaldo* (Portugal) – 95 gols
2º Messi* (Argentina) – 93 gols
3º Raúl (Espanha) – 71 gols
4º Van Nistelrooy (Holanda) – 56 gols
5º Benzema* (França) – 51 gols
6º Henry (França) – 50 gols
7º Di Stéfano (Argentina) – 49 gols
8º Ibrahimovic** (Suécia) – 48 gols
Andrey Shevchenko (Ucrânia) – 48 gols
10º Filippo Inzaghi (Itália) – 46 gols
* Estão disputando a edição 2016/17
** Em atividade

Maiores artilheiros por país:
Alemanha
1º Thomas Müller* – 39 gols
2º Gerd Müller – 35 gols
3º Mario Gomez** – 26 gols

Argentina
1º Messi* – 93 gols
2º Di Stéfano – 49 gols
3º Crespo e Agüero* – 25 gols

Bélgica
1º Paul Van Himst – 20 gols
2º Luc Nils – 11 gols
3º Raoul Lambert – 10 gols

Brasil
1º Kaká – 30 gols
2º Rivaldo – 27 gols
3º Jardel – 25 gols
4º Élber – 24 gols
5º Luiz Adriano** – 20 gols
6º Neymar* – 19 gols
7º Juninho Pernambucano e Ronaldinho Gaúcho – 18 gols
9º Hulk** – 17 gols
10º Romário – 15 gols

14º Willian* – 13 gols
19º Alex Teixeira** – 11 gols
23º Jonas* – 10 gols
24º Douglas Costa*, Jádson ** e Robinho** – 9 gols

Chile
1º Alexis Sánchez* – 12 gols
2º Arturo Vidal – 11 gols
3º Marcelo Salas e Zamorano – 5 gols

Colômbia
1º Jackson Martínez** – 13 gols
2º Falcao García* – 6  gols
3º James Rodríguez* e Adrián Ramos** – 4 gols

Costa do Marfim
1º Drogba** – 44 gols
2º Doumbia** – 14 gols
3º Kalou** e Yaya Touré* – 8 gols

Croácia
1º Mandzukic* – 14 gols
2º Olic** – 10 gols
3º Boksic e Prso – 9 gols

Croácia
1º Mandzukic* – 14 gols
2º Olic** – 10 gols
3º Boksic e Prso – 9 gols

Espanha
1º Raúl – 71 gols
2º Morientes – 33 gols
3º Paco Gento – 31 gols

França
1º Benzema* – 51 gols
2º Henry – 50 gols
3º Trezeguet – 29 gols

Holanda
1º Van Nistelrooy – 56 gols
2º Kluivert e Roy Makaay – 29 gols
4º Robben* – 28 gols

Inglaterra
1º Rooney** – 30 gols
2º Paul Scholes – 24 gols
3º Lampard** – 23 gols

Itália
1º Filippo Inzaghi – 46 gols
2º Del Piero – 42 gols
3º Mazola – 24 gols

México
1º Hugo Sánchez – 17 gols
2º Chicharito Hernández** – 14 gols
3º Nery Castillo – 5 gols

País de Gales
1º Giggs – 27 gols
2º Ian Rush e Bale* – 14 gols
4º Ramsey* – 8 gols

Paraguai
1º Óscar Cardozo** – 11 gols
2º Santa Cruz** – 8 gols
3º Derlis González** e Nelson Valdez** – 5 gols

Peru
1º Claudio Pizarro** – 21 gols
2º Farfán** – 9 gols
3º Vargas**, Cubillas e Guerrero** – 2 gols

Polônia
1º Lewandowski* – 38 gols
2º Lubanski – 15 gols
3º Pol – 11 gols

Portugal
1º Cristiano Ronaldo* – 96 gols
2º Eusébio – 44 gols
3º José Augusto e Luis Figo – 24 gols

República Tcheca
1º Nedved – 15 gols
2º Jan Koller – 13 gols
3º Kucera e Rosicky** – 10 gols

Romênia
1º Hagi – 15 gols
2º Lacatus – 14 gols
3º Ilie – 8 gols

Rússia
1º Sergei Yuran – 13 gols
2º Tikhonov – 8 gols
3º Dzagoev**, Shirokov, Dzyuba**, Alenichev e Titov  – 6 gols

Sérvia
1º Stankovic e Milajlovic – 11 gols
3º Dordevic – 9 gols
4º Ivanovic* – 7 gols

Suécia
1º Ibrahimovic** – 48 gols
2º Torbjorn Nilsson – 14 gols
3º Ljungberg – 13 gols

Turquia
1º Metin Oktay e Hakan Sukur – 13 gols
3º Burak Ylmaz** – 10 gols
4º Arda Turan* – 9 gols

Ucrânia
1º Shevchenco – 48 gols
2º Rebrov – 20 gols
3º Blokhin – 11 gols

Uruguai
1º Cavani* – 24 gols
2º Luis Suárez* – 18 gols
3º Pandiani – 12 gols

* Estão disputando a edição 2016/17
** Em atividade


Neymar: temporada com menos gols pelo Barcelona
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Com apenas 9 gols em 25 jogos (média de 0,36 por partida), o atacante Neymar atravessa sua temporada com menos gols pelo Barcelona. Desde 2013, quando fez sua estreia pelo clube catalão, o jogador não passou tantos jogos sem marcar. Na temporada 2013/14, quando ainda estava se adaptando ao novo clube, Neymar marcou 10 gols em seus primeiros 25 jogos. Na temporada seguinte, 2014/15, foram 21 gols em 25 jogos. Já na última temporada, 2015/16, Neymar marcou 20 gols em 25 jogos.

Pelo Santos, Neymar só teve uma fase magra de gols no início, em 2009. Em seus primeiros 25 jogos pelo Peixe, o atacante anotou apenas seis gols. Em 2010, em seus 25 primeiros jogos da temporada, Neymar marcou 24 gols. Em 2011, foram 12 gols. Em 2012, a marca aumentou bem: 27 gols, mais de um por jogo. Já em 2013, em 24 jogos pelo Santos, marcou 14 gols.

No Campeonato Espanhol, Neymar esse ano também tem sua pior marca. Foram 5 gols em 16 jogos (média de 0,31 por partida). Em 2013/14, foram 9 gols em 26 jogos (0,36). Em 2014/15, foram 22 gols em 33 jogos (0,67). Já em 2015/16, foram 24 gols em 34 jogos (0,71). Entre os brasileiros que disputam a Liga Espanhola, Willian José, do Zaragoza, tem mais gols do que Neymar: 9 contra 5. Rafinha, outro brasileiro do Barça, também tem 5 gols até aqui no Espanhol, assim como Deyverson, do Alavés.

O turco Arda Turan, reserva do Barça e que nessa temporada vem entrando no lugar de Neymar em algumas partidas, tem números melhores nessa temporada 2016/17. Em 25 jogos, mesmo número de Neymar, o meia de 30 anos fez 13 gols. Arda Turan, porém, jogou até 1516 minutos na temporada contra 2217 de Neymar.

Perto de seus companheiros Lionel Messi e Luis Suárez, que formam o ataque MSN do Barcelona, os números de Neymar também estão bem abaixo em relação às temporadas anteriores. Em 2013/14, Messi fez 41 gols contra 15 de Neymar. Em 2014/15, Messi fez 58 gols, Neymar 39 e Suárez 25. Em 2015/16, Suárez fez 59, Messi 41 e Neymar 31. Agora, na temporada 2016/17, Messi tem 29 gols, Suárez 21 e Neymar 9.

Tags : Neymar


Cavani, o artilheiro da temporada 2016/17
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

Com a saída do sueco Zlatan Ibrahimovic, o atacante uruguaio Edison Cavani vem brilhando pelo Paris Saint-Germain e fazendo uma ótima temporada, uma das melhores em sua carreira. Aos 29 anos, o jogador tem 32 jogos e 33 gols por PSG e seleção uruguaia, tornando-se o artilheiro da temporada entre aqueles que atuam no futebol europeu.

Pelo Campeonato Francês, Cavani marcou 20 gols em 19 jogos e é o principal artilheiro da competição. Na temporada passada, na mesma etapa do campeonato (21ª rodada), Ibrahimovic tinha 16 gols. Cavani, em 32 jogos na pelo Francês de 2015/16, fez 19 gols. Agora, pela primeira vez em quatro temporadas, superou a casa dos 20 gols na Ligue 1 – e faltando ainda 17 rodadas para o final. E no geral, contando todas as competições, Cavani já tem 28 gols em 27 jogos. Na última temporada, foram 25 gols em 52 jogos.

Na Liga dos Campeões, Cavani é o vice-artilheiro com 6 gols, atrás apenas de Messi, que marcou 10 gols. Assim, o atacante já soma 42 gols em cinco edições, tornando-se o uruguaio com mais gols na Champions, com 13 a mais do que Luis Suárez.

Já na seleção uruguaia, Cavani marcou cinco gols em cinco jogos no período dessa temporada 2016/17. Nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, o centroavante lidera a tabela de artilheiros com 8 gols, dois a mais do que Felipe Caicedo (Equador) e Arturo Vidal (Chile). Pela Celeste, desde 2008, Cavani soma 37 gols em 89 jogos, sendo o segundo maior artilheiro em todos os tempos, atrás somente de Luis Suárez, que marcou 47 gols.

Quarto maior artilheiro da história do Napoli, com 104 gols (11 a menos do que Maradona), Cavani se tornou hoje o segundo maior artilheiro de todos os tempos do Paris Saint-Germain. Com 109 gols em 175 jogos (ótima média de 0,62 por partida), ao lado do português Pauleta, que também marcou 109 gols, mas em 212 jogos. O líder ainda é Ibrahimovic, autor de 156 gols – faltam 47 gols para Cavani alcançá-lo.

Na temporada 2016/17, Cavani lidera então como principal artilheiro em todas as competições disputadas pelos clubes e também pelas seleções nacionais. Confira os principais goleadores dessa temporada:
Cavani (PSG e Uruguai) – 33 gols e 32 jogos
Messi (Barcelona e Argentina) – 29 gols e 29 jogos
Lewandowsky (Bayern Munique e Polônia) – 29 gols e 29 jogos
Cristiano Ronaldo (Real Madrid e Portugal) – 25 gols em 26 jogos
Dzeko (Roma e Bósnia) – 23 gols e 33 jogos
Aubameyang (Borussia Dortmund e Gabão) – 22 gols e 25 jogos
Luis Suárez (Barcelona e Uruguai) – 21 gols e 33 jogos
Lacazette (Lyon) – 20 gols e 23 jogos
Ibrahimovic (Manchester United) – 19 gols em 30 jogos
Alexis Sánchez (Arsenal e Chile) – 19 gols e 33 jogos
Diego Costa (Chelsea e Espanha) – 18 gols em 25 jogos
Higuaín (Juventus e Argentina) – 18 gols e 30 jogos
Mauro Icardi (Internazionale) – 17 gols e 27 jogos
Harry Kane (Tottenham e Inglaterra) – 15 gols e 21 jogos
Neymar (Barcelona e Brasil) – 13 gols e 28 jogos


A estreia das grandes promessas brasileiras na Europa
Comentários Comente

Rodolfo Rodrigues

O atacante Gabriel Jesus, de apenas 19 anos, deverá fazer sua estreia pelo Manchester City, hoje, na partida contra o Tottenham, pelo Campeonato Inglês. Vendido pelo Palmeiras em agosto de 2016 por cerca de 32 milhões de euros, Gabriel Jesus foi o terceiro jogador mais caro a ser vendido por um clube brasileiro na história, atrás apenas de Neymar (88,2 milhões de euros, em 2013) e Lucas Moura (40 milhões de euros em 2012).

Com apenas 19 anos, Gabriel Jesus é uma das grandes estrelas do futebol brasileiro a estrear oficialmente em grandes clubes da Europa com menos de 20 anos. Entre as maiores transferências e também entre os principais jogadores que deixaram o país para os grandes clubes do Velho Continente, apenas Alexandre Pato e Ronaldo (18 anos cada), eram mais novos do que Gabriel Jesus. Ronaldo, porém, foi para o PSV Eindhoven, da Holanda, numa liga que está abaixo das mais fortes da Europa.

Pato, aliás, foi um dos poucos desses jogadores que estreou como titular (e ainda marcando gol). Além dele, apenas Kaká, Lucas Moura, Denílson, Ronaldo e Rivaldo também estrearam como titulares. Outros, como Neymar, Robinho, Romário, Ronaldinho Gaúcho começaram como reservas.

Nos anos 80, o principais jogadores do país foram para a Europa com idade mais avançadas do que essa geração atual ou ainda a dos anos 90 e início dos anos 2000. Falcão tinha 27 anos quando deixou o Internacional para defender a Roma-ITA. Zico tinha 30 anos quando trocou o Flamengo pela Udinese-ITA. Assim como Sócrates, que saiu do Corinthians para a Fiorentina, e Júnior, lateral esquerdo, que foi do Flamengo para o Torino-ITA. Roberto Dinamite foi do Vasco para o Barcelona aos 25 anos, mas ficou apenas um ano lá (17 jogos e 8 gols). Com a mesma idade Renato Gaúcho foi do Flamengo para a Roma. Toninho Cerezo tinha 28 anos quando trocou o Atlético-MG pela Roma. Careca, ex-São Paulo, foi para o Napoli-ITA aos 26 anos. Müller, também do São Paulo, foi para o Torino-ITA com 22 anos. E Casagrande saiu do Corinthians para o Porto aos 23 anos. Já nos anos 90, Raí foi do São Paulo para o PSG aos 28 anos.

Relembre quando as grandes promessas do futebol estrearam na Europa em jogos oficiais (as dez vendas mais caras e outras estrelas que foram para o Velho Continente recentemente):
Mais caros:
Neymar (18/8/2013, aos 21 anos)
Do Santos para o Barcelona-ESP por 88,2 milhões de euros
Estreia: Barcelona 7 x 0 Levante, Camp. Espanhol (entrou aos 18 min do 2º tempo). Em sua apresentação, Neymar foi recepcionado por 56 mil pessoas no Camp Nou. Fez três amistosos e um gol antes da estreia oficial, onde teve apresentação discreta na goleada por 7 x 0. Virou titular em sua primeira temporada.

Lucas Moura (11/1/2013, aos 20 anos)
Do São Paulo para o Paris Saint-Germain-FRA por 40 milhões de euros
Estreia: Paris Saint-Germain 0 x 0 Ajaccio, Camp. Francês (foi substituído aos 39 do 2º tempo). Titular na estreia, foi aplaudido pela torcida. Teve problemas de adaptação no primeiro ano, não brilhou tanto. Mas depois ganhou espaço e teve contrato renovado.

Gabriel Jesus (21/1/2017, aos 19 anos)
Do Palmeiras para o Manchester City-ING por 32 milhões de euros
Provável estreia*: Manchester City x Tottenham, Camp. Inglês (não confirmado ainda)

Oscar (19/8/2012, aos 20 anos)
Do Internacional para o Chelsea-ING por 31,9 milhões de euros
Estreia: Wigan 0 x 2 Chelsea, Camp. Inglês (entrou aos 19 do 2º tempo). Substituiu Hazard na estreia, fez uma boa apresentação e logo depois virou titular da equipe. Perdeu espaço após a 5ª temporada pelo clube.

Denílson (29/8/1998, aos 21 anos)
Do São Paulo para o Betis-ESP por 31,5 milhões de euros
Estreia: Alavés 0 x 0 Betis, Camp. Espanhol (jogos os 90 minutos). Venda mais cara do futebol brasileiro na época, Denílson teve uma estreia discreta. Assim como sua passagem pelo pequeno Betis.

Gabriel “Gabigol” (25/9/2016, aos 20 anos)
Do Santos para a Internazionale-ITA por 29,5 milhões de euros
Estreia: Internazionale 1 x 1 Bologna, Camp. Italiano (entrou aos 29 do 2º tempo). Não brilhou na estreia e não agradou o técnico Frank de Boer e, depois, seu substituto Stefano Pioli. Ainda briga para conquistar mais espaço na equipe. Foi titular pela primeira vez três meses depois, mas num jogo da Copa Itália.

Bernardo (31/8/2013, aos 20 anos)
Do Atlético-MG para a Shakhtar Donetsk-UCR por 25 milhões de euros
Estreia: Shakhtar Donetsk 1 x 1 Metalist, Camp. Ucraniano (entrou aos 27 do 2º tempo). Depois de conquistar a Libertadores e a Copa das Confederações, foi para a Ucrânia como grande promessa. Mas ainda não vingou por lá. Outros brasileiros, como Marlos, Taison, Fred destacaram-se mais desde então.

Robinho (28/8/2005, aos 21 anos)
Do Santos para o Real Madrid-ESP por 24 milhões de euros
Estreia: Cádiz 1 x 2 Real Madrid, Camp. Espanhol (entrou aos 20 do 2º tempo). Grande esperança do futebol brasileiro, Robinho era tido como favorito ao prêmio de melhor no mundo caso repetisse o sucesso que teve no Santos lá no Real Madrid, onde vestiu a camisa 10. Teve uma estreia promissora, deu chapéu, mas depois demorou para virar titular. Não brilhou como esperavam, mas também não foi um fiasco total.

Alexandre Pato (13/1/2008, aos 18 anos)
Do Internacional para o Milan-ITA por 22 milhões de euros
Estreia: Milan 5 x 2 Napoli, Camp. Italiano (jogou os 90 minutos e fez um gol). Contratado com apenas 17 anos, precisou esperar completar 18 para poder fazer sua estreia oficial. Em alta, começou como titular, fez gol e tinha um futuro promissor pela frente. Porém, depois de três temporadas, perdeu espaço.

Geovanni (21/8/2001, aos 21 anos)
Do Cruzeiro para o Barcelona-ESP por 21 milhões de euros
Estreia: Barcelona 1 x 0 Wisla Kraków-POL, Liga dos Campeões (entrou aos 33 min do 2º tempo). Destaque do Cruzeiro, foi muito bem vendido ao Barcelona. Mas não vingou por lá. Fez apenas 43 jogos (16 como titular) e depois emprestado e vendido ao Benfica-POR.

Outros:
Ronaldo
(28/4/1994, aos 18 anos)
Do Cruzeiro para o PSV Eindhoven-HOL por 5,4 milhões de euros
Estreia: Vitesse 2 x 4 PSV, Camp. Holandês (foi substituído aos 41 do 2º tempo; fez um gol). Chegou ao clube holandês depois de jogar a Copa do Mundo. Brilhou por lá e depois de duas temporadas foi vendido ao Barcelona por 15 milhões de euros, onde estreou um mês antes de completar 20 anos.

Romário (29/10/1988, aos 22 anos)
Do Vasco para o PSV Eindhoven-HOL por cerca de 3 milhões de euros
Estreia: PSV 3 x 0 Twente, Camp. Holandês (entrou aos 11 min do 2º tempo). Chegou ao PSV após as Olimpíadas de 1988. Destaque do time, foi vendido ao Barcelona por 12 milhões de euros cinco anos depois, onde estreou aos 27 anos.

Ronaldinho Gaúcho (4/8/2001, aos 21 anos)
Do Grêmio para o Paris Saint-Germain-FRA por 5,1 milhões de euros
Estreia: PSG 1 x 1 Auxerre, Camp. Francês (entrou aos 30 min do 2º tempo). Encantou os franceses na estreia e depois na primeira temporada. Foi vendido ao Barcelona dois anos depois por 32,3 milhões de euros, onde estreou com 23 anos.

Kaká (1/9/2003, aos 21 anos)
Do São Paulo para o Milan-ITA por 8,3 milhões de euros
Estreia: Ancona 0 x 2 Milan, Camp. Italiano (jogou os 90 minutos). Começou como titular e não perdeu o posto na primeira temporada. Conquistou a torcida e brilhou na equipe, onde foi eleito o melhor jogador do mundo em 2007.

Rivaldo (1/9/2003, aos 24 anos)
Do Palmeiras para o La Coruña-ESP por 12 milhões de euros
Estreia: La Coruña 1 x 1 Real Madrid, Camp. Espanhol (jogou os 90 minutos). Começou como titular já no jogo contra o Real, virou destaque da equipe e um ano depois foi para o Barcelona por 23,5 milhões de euros, onde estreou com 25 anos e depois foi eleito o melhor jogador do mundo.

 Mais posts do Futebol em Números:
Vices do Brasileirão têm retrospecto melhor na Libertadores
Atacante Jô pode ter companhia de mais uma estrela em sua carreira
Os brasileiros com mais gols pelos grandes clubes da Europa
Felipe Melo ou Fernandinho: quem leva mais cartões?
Kazim: 43º gringo a vestir a camisa do Corinthians